Colunistas

Pr. Douglas Baptista

Pr. Douglas Baptista

Sola Scriptura ou a práxis do privilégio?

Seg, 20/08/2018 por

Para Lutero, o reformador alemão, o sentido da expressão latina “Sola Scriptura” era literal, ou seja, somente a Escritura – e não a Escritura somada à tradição da Igreja – é a fonte de revelação cristã. Sua defesa era pela centralidade da palavra de Deus. Lutero não reconhecia nenhuma outra fonte como autoridade infalível de fé e conduta que não fosse as Escrituras [1].

As Assembleias de Deus no Brasil, em 2017, por ocasião da publicação da “Declaração de Fé” reafirmaram tal princípio no artigo de fé número um: “Cremos na inspiração divina verbal e plenária da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé e prática para a vida e o caráter cristão” [2].

A declaração indica que nossa conduta ética e moral reproduzida em nosso viver diário deve ser orientada pela autoridade revelada nas Escrituras Sagradas, isto é, não se pode fazer concessão alguma e nem mesmo ajustes que sejam contrários ou afrontem a Palavra de Deus.

Contudo, na contramão das Escrituras alguns trilham a “práxis” da hipocrisia e do falso moralismo. O termo “práxistem origem no grego e corresponde a uma atividade prática em oposição à teoria. Infelizmente, esta tem sido a realidade de diversos setores da sociedade, e, inclusive em algumas Igrejas.

O discurso no sermão e no púlpito da Igreja é pela autoridade das Escrituras, mas a prática diária de uns e outros invalida a mensagem e despreza a Palavra de Deus. Paulo alertou aos Romanos acerca deste nefasto comportamento: “Tu, pois, que ensinas a outro, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas?... o nome de Deus é blasfemado entre os gentios por causa de vós (Rm 2.21,22,24).

Tal práxis recebe força e se torna bem evidente em tempos de campanha política. Não poucos invalidam as Escrituras e negociam os princípios e os valores cristãos em troca de privilégios e favores pessoais. Obreiros fraudulentos ludibriam, enganam e manipulam as ovelhas sob seus cuidados. Interessados em manter ou adquirir privilégios não hesitam em apoiar candidatos políticos contrários à fé cristã. Vislumbram benefício econômico e “status” social. Sem nenhum pudor, ao leve toque musical, prostram-se diante da estátua de Nabucodonosor.

Em contrapartida, os verdadeiros cristãos conduzem suas ações pelo principio da “Sola Scriptura”. Para estes, a ética e a moral cristã não podem ser vendidas e nem podem ser compradas. Partidos ou políticos contrários às convicções cristãs não recebem seu apoio e nem o seu voto. Não se iludem com a presença de políticos oportunistas nos cultos, nem com o esplendor de suas promessas ou de suas dissimuladas garantias.

Aqueles que prezam pelas Escrituras e não se deixam seduzir pela práxis do privilégio dizem não a descriminalização do aborto, casamento homoafetivo, ideologia de gênero, marxismo cultural, liberação da maconha, ateísmo, laicismo e demais pautas “progressistas” e anticristãs, e ainda, repudiam pseudoscristãos que no afã das regalias anulam a cruz de Cristo.

 “Ai daquele que constrói o seu palácio usando de corrupção e meios ilícitos”  (Jr 22.13 BKJA)

Pense Nisso!

Douglas Roberto de Almeida Baptista

 

Notas bibliográficas

 [1] LUTERO, Martinho. As 95 teses e a essência da Igreja. São Paulo: Vida, 2016, p. 126.

[2] SOARES, Esequias (Org). Declaração de Fé das Assembleias de Deus. Rio de Janeiro: CPAD, 2017, p. 21.


17 comentários

pastor lucio araujo

O que está acontecendo já fora revelado pelo Espirito Santo, 1 TM 4.1, 2 TM 3.1-7, 2 TS 2.3-4. Não tem meio termo, não tem jeitinho brasileiro, eu acho eu penso, e SOLA ECRIPTURA, Parabéns Pr. Douglas.

LUCAS MENDES SANTIAGO

É sempre muito importante pautar nossas atitudes, ações e decisões conforme as Escrituras Sagradas. Isso é o que diferencia os que obedecem e os que não obedecem os mandamentos divinos. Este artigo nos alerta sobre nossa conduta neste momento tão importante para o futuro de nossa Nação. Parabéns Pastor Douglas pelo oportuno e excelente artigo.

Daniele Amorim Fernandes

"Aqueles que prezam pelas Escrituras e não se deixam seduzir pela práxis do privilégio dizem não a descriminalização do aborto, casamento homoafetivo, ideologia de gênero, marxismo cultural, liberação da maconha, ateísmo,". Como bem discorreu o texto não podemos ceder de modo algum tais propostas, na política é preciso como cristãos nos posicionarmos a favor de todos que são contrárias as pautas progressistas e marxistas.

Rodolfo

Mais uma excelente colocação em um momento tão oportuno em que muitos tem perdido a coragem, e porque não dizer o caráter para se posicionar a favor das Escrituras Sagradas independentemente das ofertas que são apresentadas por políticos corruptos que teimam em levar o país a desgraça, enganando e mentindo para o povo, e pior muitos "líderes cristãos" se deixam levar pelas promessas de homens e esquecem a de Deus.

DOUGLAS BAPTISTA

Caro OZIEL DE OLIVEIRA. Obrigado por sua participação. Porém, preocupou-me seu posicionamento bem próximo do marxismo cultural. É verdade que a vida privada diz respeito a cada um, portanto, é por esse mesmo argumento que não se pode impor aos outros em forma de lei o que se restringe ao privado. Por exemplo, não se deve impor a prática do homossexualismo as crianças por meio da "ideologia de gênero" nas escolas como desejam fazer os partidos e políticos "progressistas" .

RUBENS

É uma enorme tristeza para os prezadores da ÉTICA E DA MORAL, depará-se com tantos interesses escusos com fins politiqueiros que vão de encontro à Igreja de Deus. Em meios aos púlpitos utilizados como palanque para saciar o desejo de quem não tem compromisso com a verdade, só no resta lembrá-los: “Sola Scriptura" PARABÉNS PROFESSOR DOUGLAS, PELO ARTIGO.

Rocelio Barros Bezerra

A paz de Cristo Jesus! Este artigo só tem a contribuir com está geração Temos sido estimulados a permanecer firmes no propósito De servir a Deus. Estamos orando meu amigo e pastor por sua vida e família Que Deus lhe abençoe.

Oziel de Oliveira

Como cristão, concordo em tese com todos esses NÃOS. Entretanto, fico a pensar se temos legitimidade para impor nossa filosofia de vida ao restante da sociedade. É óbvio que práticas "progressistas" que violam direito de terceiros como é o caso do aborto devem ser repudiadas. Só tenho dúvidas quanto às demais questões que dizem respeito, a princípio, a vida privada de cada pessoa. Paz do Senhor.

João Gonçalves

Na verdade nossos "representantes espirituais" e suas diretorias se comportam da mesma forma dos religiosos do tempo de Jesus. Da mesma forma são escribas e fariseus e pior, agem da mês forma que os políticos que aí estão. Agir de uma forma politicamente correto é o que interessa, pois a eles O PODER E O DINHEIRO.

Magalhães

Verdade, meu professor. Bolsonaro mostrou mais postura cristã do que a irmã Marina, sobre a questâo do aborto, tema tão crucial para o cristianismo.

Josafá Maia

Excelente texto, aqui nós encontramos ensino e correção de rumo. Encontramos também um alerta aos que se dizem cristãos, mas adotam práticas em favor de "medidas progressista" que vão de encontro a palavra de Deus. Que Deus nos abençoe.

Pb. Adelson Bezerra - AD

A Paz do Senhor. Parabéns Pastor Douglas pela veiculação desse artigo. Nada mais oportuno e esclarecedor do que essa publicação nesse período que considero mais eleitoreiro do que eleitoral. A Palavra de Deus, deve em qualquer circunstância, ter a primazia.

Marciano Batista Ferreira

GLÓRIAS A DEUS. ALELUIAS!!!!!!! Que Deus ainda tem os seus profetas no meio de uma geração conrrompida pelo viu metal. A política tem seduzido, engodado e cegado muitos. Mas Deus é o mesmo ontem, hoje e eternamente. Ele jamais mudará. Pastor Douglas, Deus é contigo.

Antonio barbosa ramos

Meus parabéns pastor e doutor Douglas. Muito boa essas explicações sobre assuntos,que permeia a nossa sociedade por isso é necessário artigos como esse para esclarecer o povo de Deus. E muito importante para a igreja do senhor Jesus Cristo tema como esses que por sinal bem esclarecedor.Que Deus continue lhe abençoando grandemente.

Matheus Saraiva

Extremamente pertinente com a realidade atual. Esse tipo de concessão revela as fracas bases morais desses indivíduos. Parabéns Pastor!

Leone Napoleão de Sousa

Pr. Douglas, O seu artigo é um lenitivo em meio a tantas dores que têm sido infligidas à Igreja Evangélica no campo da política, dentre outros... Continue sendo uma voz profética em nosso meio! Oro para que Deus continue sendo o seu sustento e a sua direção, em tudo, para a exclusiva honra e glória do nome Dele.

Carlos Júnior

Graças a Deus pelo excelente artigo, estimado pastor Douglas. De fato, vivemos dias de acentuada hipocrisia. Postura tão censurada pelo Nosso Senhor Jesus Cristo, em seu ministério terreno. O nome da pura e santa igreja do Cordeiro está sendo maculado pelo comportamento de cristãos nominais e infiéis. Mas ai daqueles por intermédio de quem vier o escândalo, dizem as Escrituras.

Deixe seu comentário







Perfil

Douglas Baptista é pastor, líder da Assembleia de Deus de Missão do Distrito Federal, doutor em Teologia Sistemática, mestre em Teologia do Novo Testamento, pós-graduado em Docência do Ensino Superior e Bibliologia, e licenciado em Educação Religiosa e Filosofia; presidente da Sociedade Brasileira de Teologia Cristã Evangélica, do Conselho de Educação e Cultura da CGADB e da Ordem dos Capelães Evangélicos do Brasil; e segundo-vice-presidente da Convenção dos Ministros Evangélicos das ADs de Brasília e Goiás, além de diretor geral do Instituto Brasileiro de Teologia e Ciências Humanas.

COLUNISTAS