Colunistas

Pr. Douglas Baptista

Pr. Douglas Baptista

O suicida Judas Iscariotes foi salvo?

Qui, 01/02/2018 por

Este questionamento é muito comum no meio evangélico. A dúvida de alguns se baseia no conceito equivocado de predestinação. A doutrina da predestinação fatalista ensina que Deus predestinou uns para os céus e outros para o inferno. Os adeptos desta ideia questionam: “Se Judas estava predestinado para trair Jesus, o que ele poderia fazer para evitar sua condenação?”

De outro lado, usando este mesmo pressuposto, alguns consideram uma injustiça Judas não ter sido salvo, uma vez que, segundo esta teoria, ele nada poderia fazer contra os desígnios divinos. Sem entrar nos debates da erudição teológica acerca da doutrina da salvação, especialmente entre Calvino e Armínio, reconhecemos pelas Escrituras que Deus é soberano (Is 41.21-24).

Em sua soberania Deus concede a cada pessoa o livre arbítrio para ser exercido dentro de seu soberano projeto para o passado, presente e futuro. E, as Escrituras também asseveram que a presciência divina das futuras decisões de alguém não é o resultado de sua predeterminação destas escolhas. Portanto, cada qual será responsabilizado e julgado por suas decisões, quer elas sejam boas ou más escolhas (Sl 51.3-4, Rm 2.6-8, Ap 20.12).

Neste caso, a presciência divina sabia que Jesus morreria em uma cruz (Jo 12.32). Sabia que seria traído por Judas Iscariotes (Jo 13.18-27) e também tinha ciência que Pedro negaria o Cristo (Mc 14.19-31). No entanto, a responsabilidade de cada um destes atos recaiu sobre quem os decidiu executar. Quanto à morte de Cristo, Deus não levou as autoridades e nem os algozes a crucificar Jesus, embora o Senhor tivesse conhecimento prévio dos fatos, a culpa ainda era dos executores (At 4.27.28). Isto significa dizer que “Deus não precisa predestinar para saber de antemão” (HORTON, 1997, p. 364).

Quanto ao Iscariotes, sua má índole e sua conduta reprovável não aconteceram de uma hora para outra. Não obstante, Lucas e João escreverem que Satanás entrou em Judas (Lc 22.3, Jo 13.27), isto significa dizer que embora agisse de modo próprio, inconscientemente o traidor cooperou com o Diabo (ARRINGTON, 2003, p. 139). O discípulo amado informa que Judas era um corrupto contumaz e furtava as ofertas que Jesus recebia (Jo 12.6). A sua motivação para entregar o Senhor envolveu uma transação monetária – trinta moedas de prata – o preço de um escravo (Êx 21.32). Apesar disto, considera-se que este não fora o único motivo da traição. Talvez ele achasse que Cristo fosse um embuste e desacreditado da messianidade de seu líder resolveu lucrar com a situação (MOUNCE, 1996, p. 250).

Entretanto, ao contrário de Pedro - que também traiu a Jesus - mas que após negar ao seu Senhor encontrou perdão por meio do arrependimento (Lc 22.62, Jo 21.17), Judas cheio de remorso resolveu tirar a própria vida (Mt 27.5). Por conseguinte tanto o “ato da traição” quanto ao “ato do suicídio” foram escolhas que selaram o seu destino. Assim sendo, Pedro morreu salvo (Jo 21.18,19) e o Iscariotes morreu perdido, conforme afirmação do próprio Cristo: “Enquanto Eu estava com eles, protegi-os e os defendi em teu Nome. E nenhum deles se perdeu, exceto o filho da perdição, para que se cumprisse a Escritura...” (João 17.12).

Pense nisso!

Douglas Roberto de Almeida Baptista

Referências Bibliográficas

ARRINGTON, French L. (Ed.) Comentário Bíblico Pentecostal. Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2003.

HORTON, Stanley. Teologia Sistemática: uma perspectiva pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1996.

MOUNCE, Robert H. Novo comentário Bíblico Contemporâneo. Mateus. São Paulo: Editora Vida, 1996.

13 comentários

pastor lúcio Araujo

a paz do Senhor Pr. Douglas. O texto de joão 17:12 não deixa duvida, e para cooperar com este artigo muito bem explicado; deixo esta passagem para meditação dos irmãos. "Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas por homens santos de Deus que falaram inspirados pelo Espírito Santo".2 pedro 1:20,21.

LUCAS MENDES SANTIAGO

A doutrina da salvação é o ensino bíblico mais importante para os cristãos. Cristo morreu para que os todos fossem salvos. Entretanto, assim como Judas, muitos não entendem a relevância e a profundidade desse tema. Os ensinos equivocados, como o da doutrina da predestinação fatalista, distorcem a verdadeira doutrina bíblica e confundem alguns crentes quanto a responsabilidade individual no processo de salvação. Parabéns Pr. Douglas por mais esse brilhante esclarecimento.

Everaldo escobar

Presado pastor Douglas, parabéns pelo comentário desse tema, pois muitos tem seguido essa doutrina, mas pelo esclarecimento do Senhor, não fica dúvida, nós somos salvos pela fé, em crer que Jesus Cristo é o filho de Deus, quem crer e obedecer, será salvo, quem não crer será condenado. A decisão está nas nossas mãos. Mas somos tentado todos os dias a negar nossa fé. Jesus disse quem quer me seguir negue a si mesmo... .

Sérgio Luís

Pr. Douglas, a paz do SENHOR. Texto muito interessante. Nesses tempos de evangelho "instantâneo", essas questões são deixadas de lado.

BENEDITO ROGÉRIO DA S. R

OBRIGADO PELO ESCLARECIMENTO PASTOR DOUGLAS. AGORA COM CERTEZA PODEMOS RATIFICAR A CONDENAÇÃO DE JUDAS.

Marcus Dalcin Baggio

Muito bem explicado. De fato, não acredito que uma pessoa após ter conhecido a Deus (Judas caminhou mais de 3 anos com Jesus), simplesmente no último segundo da sua vida se arrependa após um ato deliberado de traição. E para consumar a destruição, Judas ainda se suicida.

Jairo Cortez

A Paz do Senhor Pr Douglas, comentário muito profundo e elucidativo, pouco observado no nosso meio, mas importante para instruir os estudiosos da palavra de Deus e dirimir dúvidas que envolvem a doutrina da predestinação , esclarecendo que embora a soberania Divina, o ser humano tem o livre arbítrio. Deus abençoe o querido Pastor, para continuar nos abençoando com estas lições maravilhosas. Abs JCortez

Itamar Ananias de lima

Creio quer o filho da perdicao joao 17.12 poderia ser qualquer um mais judas abril uma porta muito grande ele era ladrao avarento i persuncoso por este motivo estava propicio a o erro que os demais salmos 42.7 creio que estivesti arrependimento Deus o perdoaria Rm5.20 mais o diabo entro no seu coracao ele perfidamente i premeditadamente elaborou tudo mais Deus o deixou,com Exemplo para que nao sejamos igual Deus nos livres deste mal que sejamos fies au nosso Deus em tudo pastor itamar...

DOUGLAS BAPTISTA

Prezado irmão BENEDITO obrigado por seu comentário e participação nesta postagem. Com os dados bíblicos que temos disponíveis, onde consta o arrependimento de Pedro e nenhum registro de arrependimento de Judas, conclui-se que que um foi salvo (Jo 21.18-19) e outro não (Jo 17.12). De fato, existe uma corrente que não se posiciona quanto a esta questão, preferindo conjecturar uma possibilidade de arrependimento de Judas, porém as palavras de Cristo anula esta perspectiva (Jo 17.12).

Rubilar

Prezado Pr Douglas, com grata satisfação li seu artigo, como sempre, muito elucidativo. Ele nos leva a ver o quanto é especial o amor de Deus, pois o Senhor sempre nos da a oportunidade de decidir se iremos permanecer no erro ou nos arrepender. Nos exemplos de Pedro e Judas fica bem claro, as oportunidades que Deus nos da. Deus continue lhe inspirando. Que o Senhor vos abençoe cada dia mais.

BENEDITO ROGÉRIO DA S. R

CERTO DIA NOS BANCOS ACADÊMICOS ESSA QUESTÃO FOI LEVANTADA. ALGUNS ALUNOS, INCLUSIVE EU, AFIRMAMOS ACREDITAR NA CONDENAÇÃO DE JUDAS, NO ENTANTO NA VISÃO DO PROFESSOR, TALVEZ CONHECIDO DO COLUNISTA, NINGUÉM PODE AFIRMAR QUE JUDAS MORREU CONDENADO, TENDO EM VISTA QUE NUM ÚLTIMO SUSPIRO ELE PODERIA TER SE ARREPENDIDO E CONSEGUIDO A SALVAÇÃO. DIANTE DO QUE FOI EXPOSTO FICOU A QUESTÃO, QUE SALVO MELHOR ENTENDIMENTO SÓ TEREMOS A RESPOSTA NO CÉU, OU QUEM SABE TEREMOS AQUI A RESPOSTA DESSE

Antônio Barbosa Ramos

Meus parabéns pastor Douglas por esta linda reflexão. Este é um tema que alguns teólogo insiste em desser que judas foi salvo, Mais diante de uma explicação desta não tem como ter dúvida,que Deus abençoe grandemente asua vida.

Carlos Junior

Obrigado por mais esse esclarecimento bíblico, pastor Douglas. De fato, já por ocasião da aliança noética, Deus ressaltou a importância da vida humana e a punição quando fosse subtraída. Tirar a própria vida viola o preceito divino e cerra as portas de acesso aos céus. Na Bíblia, Saul e Judas Iscariotes são exemplos que infelizmente estão sendo imitados em nossos dias.

Deixe seu comentário







Perfil

Douglas Baptista é pastor, líder da Assembleia de Deus de Missão do Distrito Federal, doutor em Teologia Sistemática, mestre em Teologia do Novo Testamento, pós-graduado em Docência do Ensino Superior e Bibliologia, e licenciado em Educação Religiosa e Filosofia; presidente da Sociedade Brasileira de Teologia Cristã Evangélica, do Conselho de Educação e Cultura da CGADB e da Ordem dos Capelães Evangélicos do Brasil; e segundo-vice-presidente da Convenção dos Ministros Evangélicos das ADs de Brasília e Goiás, além de diretor geral do Instituto Brasileiro de Teologia e Ciências Humanas.

COLUNISTAS