Colunistas

Pr. Douglas Baptista

Pr. Douglas Baptista

Fidelidade na Igreja: virtude do crente salvo

Ter, 05/09/2017 por

1. Constantemente tenho usado uma frase que tomei emprestada, provavelmente a tenha lido em algum lugar, porém não consigo recordar o autor. Não obstante, este lapso de memória a frase é extremamente profunda e diz o seguinte: “A obra de Deus não é feita pela maioria e sim pelos fiéis”.

 

2. Concordo plenamente com a afirmação e assino embaixo. Contudo, quem são estes fiéis? Onde estão? Como identificá-los? Como resposta, posso assegurar que os fiéis são a boa semente da parábola do trigo e o joio (Mt 13.38). Aqueles que já ressuscitaram com Cristo buscam as coisas do alto e não as que são da terra (Cl 3.1-2). Aqueles que em nada tem a sua vida por preciosa, contanto que cumpram com alegria o ministério que lhes foi confiado (At 20.24). Aqueles que não buscam reconhecimento do homem e trabalham com sinceridade e humildade buscando a glória de Deus e de seu reino (Fp 2.3).

 

3. Trabalhar com os fiéis é uma das grandes gratificações e alegrias do ministério pastoral. Poder contar com a fidelidade e o carinho daqueles que nos ajudam a ombrear a causa do Mestre é algo confortante e altamente satisfatório. Nos dias sombrios e difíceis, nos dias de batalha espiritual e até nos problemas financeiros pode-se contar com os fiéis, eles estão ali prontos, disponíveis e preparados para o combate, basta chamá-los.

 

4. Grande é a satisfação pastoral em poder contar com seus filhos na fé que andam na verdade (3Jo 1.4). É gratificante notar o crescimento e o amadurecimento espiritual daqueles que estão conosco na jornada para a Canaã Celestial. Paulo depois de tratar, corrigir, exortar e ensinar a igreja em Corinto pode exclamar com júbilo: “Regozijo-me de em tudo poder confiar em vós” (2Co 7.16).

 

5. O comportamento dos fiéis serve de exemplo para toda membresia. Suas vidas estão escondidas em Cristo. Velhos hábitos e costumes antigos foram arrancados, abandonados e substituídos pelo Fruto do Espírito Santo (Gl 5.22-23). A vida que agora vivem na carne, vivem-a na fé em Jesus Cristo (Gl 2.20) e a paz de Deus domina seus corações fazendo-os serem agradecidos (Cl 3.15).

 

6. Apresentam-se para contribuir e ajudar sem qualquer outra intenção que não seja o crescimento da igreja. São dotados de ética, lisura e disciplina cristã. Não se intrometem se não forem chamados e nem emitem opinião ou palpites se não conhecerem profundamente o assunto. Servem pelo motivo certo e no lugar certo.

 

7. Este comportamento são virtudes adquiridas como resultado de uma vida de temor e comunhão com Deus. Fiéis como este é possível confidenciar assuntos delicados. A eles é possível confiar as variadas e múltiplas atividades da igreja. Os fiés também demonstram preocupação sincera com o bem estar social e a saúde do pastor e de sua família. Prestam apoio despretensioso e não exigem retribuição. Reconhecem seus líderes e os possuem em estima e consideração (1Ts 5.12-13).

 

Qual o seu parecer?

Pense nisso!

Douglas Roberto de Almeida Baptista

26 comentários

Rodolfo Céspedes

Realmente devemos concordar com a frase dita no início que a obra de Deus não é feita pela maioria, mas sim pelos fiéis, isso nos esclarece que o ditado popular "a voz do povo é a voz de Deus" é de fato uma inverdade, uma falácia, pois Deus não trabalha com quantidade, mas sim com qualidade, como muito bem lembrado pelo Sr Pr Douglas aqueles que já ressuscitaram com Cristo buscam as coisas do alto e não as que são da terra (Cl 3.1-2), e isso poucos são os que tem buscado de maneira

Ana Claudia Souza Santos

A paz do Senhor! Fidelidade na igreja, tem se tornado a cada dia que passa, uma prática em desuso entre os que se dizem cristãos. Infelizmente, vivemos um período em que as pessoas têm buscado satisfazer seu ego, andando de igreja em igreja atrás do que lhes convém, e tem congregado com as motivações erradas. Quando o motivo real é viver uma vida agradável a Deus, há zelo e amor no fazer a obra. O sentimento é de gratidão e com isso não serve de impedimento mas de benção à igrej

Claudia Maria de Souza

Uma grande verdade! A obra de Deus não é feita pela maioria mas sim pelos fiéis. Acredito que os que não cumprem a verdade bíblica são aqueles que ainda não experimentaram o novo nascimento. A fidelidade à igreja e a honra aos que lideram são frutos dos que realmente temem ao Senhor e buscam uma vida de íntima comunhão com Ele. Os fiéis que fazem a obra com alegria, sem esperar nada em troca, sabendo que o seu galardão não é terreno. A paz do Senhor!

Jessica Silva

Ao ler o presente artigo, fiquei pensativa sobre a o termo fiel em minha mente recordei sobre homens e mulheres fiéis que a Bíblia nos conta a sua história, exemplos de pessoas que perderam tudo mas não deixaram de ser fiéis a Deus e por serem fiéis receberam cura e outros exemplos, o presente texto trouxe uma reflexão para nossa fidelidade a Deus. Que Deus tenha misericórdia de nós e que possamos ser humildes para que nossa fidelidade seja a cada dia aumentada.

Luan Pirajá

Etimologicamente "Fidelidade é o atributo ou a qualidade de quem ou do que é fiel (do latim fidelis), para significar quem ou o que conserva, mantém ou preserva suas características originais, ou quem ou o que mantém-se fiel à referência". Fidelidade a Liderança eclesiástica deveria ser um dever cristão, deveria ser uma característica do caráter da "nova criatura" . A Liderança da igreja, precisa de crentes fieis, prontos ao trabalho e prontos para fazer a missão da igreja.

Priscila Chagas Verçosa

“A obra de Deus não é feita pela maioria e sim pelos fiéis" - Uma frase muito verdadeira, pastor. Até porque estamos vivendo os últimos dias da Igreja aqui na Terra, onde as pessoas estão cada vez mais egoístas, amantes de si mesmas. A fidelidade é uma característica de quem ama. E quem ama tem compromisso. Em Sl 101.6 diz: "Os meus olhos procurarão os fieis da terra..." O Senhor contempla aqueles que lhe são fieis e há de recompensar a cada um segundo as suas obras (II Cr 15.7, I

Simone viana

Muito enriquecedor o texto Pastor Douglas Baptista, nos faz refletir sobre sermos crentes fiéis e se estamos agindo com temor e comunhão com Deus na nossa caminhada cristã . Nos mostra que devemos seguir os exemplos de Cristo e fazer a obra com amor, fidelidade e dedicação sem esperar nenhum tipo de retribuição por isso.

Ana Claudia Silva dos San

Em Cl 3:23 está escrito: E tudo quando fizerdes, fazei-o de todo o vosso coração como para o Senhor e não para homens. Acredito que quando pelo Espírito Santo temos a compreensão dessa verdade é possível nos encaixarmos nas qualificações citadas no texto, pois nossas vidas devem refletir essas virtudes.Que sejamos esses fieis dispostos a renunciar nossas vontades, a fim de cumprir os propósitos daquele que nos alistou, que não nos deixemos embaraçar com as coisas dessa vida e vamos

Carlos Junior

A fidelidade a Deus deve ser a marca do verdadeiro cristão. Ao fiel o Senhor promete suas bênçãos e proteção. O texto de modo esclarecedor mostra vários exemplos de fidelidade. Quem é fiel a Deus também mostra lealdade ao seu líder. Tem zelo na obra de Deus. É fiel ao contribuir com a causa do Mestre. É abnegado no serviço da Casa do Senhor. Que o Senhor nos faça a cada dia mais leais a Ele. Parabéns pelo excelente artigo, pastor Douglas.

LUCIMEIRE LOPES G. RODRIG

[...] Nos dias sombrios e difíceis, nos dias de batalha espiritual[...}. AO LER ESSE TRECHO DO TEXTO DO PR. DOUGLAS, LEMBREI-ME DA PASSAGEM DE JESUS NO GETSEMANI. NAQUELE MOMENTO, SUA ORAÇÃO NÃO TEVE RESPOSTA E AO VOLTAR VIU PEDRO, TIAGO E JOÃO DORMINDO. QUE TRISTEZA O MESTRE DEVE TER SENTIDO EM NÃO HAVER NENHUM FIEL COM QUE PUDESSE CONTAR. QUE DEUS LIVRE E GUARDE NOSSAS LIDERANÇAS DE TAL SITUAÇÃO E PERMITA QUE SEMPRE HAJA ALGUÉM PARA VELAR PELO MENOS UMA HORA COM OS MESMOS.

ROGERIO E SILVA

A fidelidade a Cristo e a igreja visível, creio eu que sejam as marcas mais notórias no crente salvo. Quando genuinamente aceitamos a Cristo e descobrimos este tão grande tesouro a única vontade que temos é de servi-lo e atuar na sua ceara. Mescla-se em nossos corações um sentimento de gratidão a Deus pela salvação, pela nova vida com o desejo de retribuí-lo de alguma forma pelo sacrifício vicário então, intrinsecamente, nos engajamos tanto para sermos fieis a Ele com em trabalhar

LUCAS MENDES SANTIAGO

Este artigo é muito rico em reconhecimento para uns e um estímulo para outros. Ele exalta os crentes fiéis e convida àqueles que ainda não são a trilhar esse caminho maravilhoso. É ao mesmo tempo um agradecimento e uma exortação. Mostra que apesar das lutas, dificuldades e sofrimento no Ministério Pastoral, há muitos motivos de alegria e felicidades proporcionados pelo Senhor Jesus Cristo. Parabéns Pastor Douglas!

Geruza sousa Araújo

Verdade pastor Douglas, que texto lindo. Eu me pergunto sempre: será que alguém lê com frequência aquela passagem de João 3:3 ? Acredito que essa passagem é o passa porte para o crente, está com seu nome escrito no livro da vida, e muitas outras passagens bíblicas. As características do crente fiel é reconhecido a olho nu, do jeitinho que o senhor descreveu. Agora eu ficaria com o pé atrás de contar algum segredo (rsrs) cachorro mordido de cobra tem medo até de salsicha. Rsrs .Descu

everaldo

Muito apropriado esse tema Pastor, nessa época que a falta de compromisso e porque não dizer a falta de amor, com o próximo e por conseguinte com a palavra de Deus, se faz presente em altíssimo grau, fora e dentro da igreja odiérna. A fidelidade advém de o cristão reconhecer que o preço mais alto já foi pago lá na cruz, a busca incessante de adquirir a estatura de varão perfeito, aprovado para a boa obra de Deus. que fomos escolhidos por Ele, para fazer a diferença neste mundo como

Orlando Lima Santos

Excelente reflexão! Sabemos que durante a nossa vida diária não devemos pensar apenas em nós mesmos, na verdade quando servimos ao próximo sem segundas intenções, refletimos o exemplo do nosso Senhor e Salvador, portanto, que possamos levar as cargas uns dos outros, e assim, cumprirmos a lei de Cristo (Gl 6.2).

Pr. Marcelo

O texto, com muita propriedade, destaca inúmeras características dos fiéis servos de DEUS, que os tornam verdadeiros sofredores nestes tempos trabalhosos. Isso não pode surpreender, uma vez que a Bíblia afirma que convém ao servo do SENHOR ser sofredor (2 Tm 2.24). (continua...)

Pr. Marcelo

O verdadeiro servo de DEUS sofre muito mais quando ele percebe que sua devoção está sendo usada por líderes “espertos”. Sofre diante da pompa de sua liderança; diante de prebendas que dão vergonha de divulgar; diante do despreparo no manejo com a Palavra. Como ser fiel quando os que defendem a santidade são acusados de puritanos? Como ser fiel com tantos líderes adúlteros, divorciados e com filhos endemoninhados? Com tanto sacrifício da santidade a favor da arrecadação?(continua.

Pr. Marcelo

Diante desse quadro, o melhor a se dizer para os sofredores é: sofram mais. Apeguem-se à Palavra (2 Tm 4.1-5). Cinjam os lombos do vosso entendimento (1 Pe 1.3; Ef 6.4), para se afastarem das heresias e dos maus obreiros (Fp 3.1,2). Continuem buscando a DEUS! Sejam perseverantes! Não se tornem desigrejados! Procurem “os 7000”, que ainda não se dobraram, certos de que, no fim, o bom mestre vos receberá, com o vosso galardão (Hb 11.6,26).

Emanuel Oliveira

Parabéns pela postagem Pr Douglas!A igreja hodierna tem crescido expressivamente em quantidade, mas diminuído em qualidade principalmente quando falamos em comprometimento.Muitos não querem pagar o preço de viver plenamente a Palavra,serem submissos, ajudadores, comprometidos,gratos a seus lideres em fim FIÉIS.Observamos isso quando ocorre um mutirão,escalas de trabalhos,oferta missionária etc..,sempre são os mesmos.A fidelidade do Cristão verdadeiro não espera nada em troca,pois ele

BENEDITO

CONCORDO COM O ENTENDIMENTO DO PR DOUGLAS, POIS É UM FATO QUE SE REPETE EM MUITOS TEXTOS BÍBLICOS. DOS DOZE ESPIAS QUE MOISÉS ENVIOU, SOMENTE JOSUÉ E CALEBE PERMANECERAM FIÉIS (Números 14:6-9);EM JUÍZES DE UM EXÉRCITO DE MILHARES, GIDEÃO SÓ PODE CONTAR COM TREZENTOS (Juízes 7:7); EM TODO O SEU EXÉRCITO, DAVI TINHA TRÊS HOMENS DIFERENCIADOS  (2 Samuel 23:8-11). ASSIM COMO NO PASSADO, HOJE SÃO POUCOS OS QUE SE ESFORÇAM NA PELEJA, MAS É COM ESTES POUCOS QUE O NOME DE DEUS SER

Ailton Silva Junior

Muito gratificante esse estudo Pr Douglas Baptista, esses valores em nosso meio infelizmente tem se perdido, muitos de nós, nas maiorias das vezes só queremos cuidar de nossas vidas. não damos a devida importância ao nosso próximo ao nosso Pastor ou de quem precisa de nós.Que abençoe as pessoas que lerem esse estudo, e que venham aprender a ser verdadeiros homem e mulheres de Deus, fazendo a obra do Senhor com dedicação, sem esperar nada em troca, ainda existem pessoas que são fieis a

Valmar Queiroz

O texto nos chama à reflexão! É maravilhoso sermos inseridos em uma comunidade formada por pessoas salvas por Cristo Jesus. O salvo é diferente! Ele é determinado, perseverante. Sua força vem de seu Deus. Ele não enxerga a terra e seus frutos. Ele foca apenas a promessa de seu Deus. Assim, é a igreja; este corpo místico, cuja cabeça é Cristo. Ele a edificou. Dentre os fiéis, ele estabeleceu ministros para apascentar seu rebanho. A estes cabe, pelo exemplo, conduzirem suas ovelhas ao

Alan Neander

Características genuínas de um cristão que entendeu o sacrifício de Cristo na Cruz do calvário, um crente cheio dos gomos do Espírito Santo, um crente que expressa o caráter de Cristo, permitiu ser confrontado pelo evangelho. O dever dele agora é ser o bom tempero, ou seja, ser luz e sal para aqueles que estão no prossesso de santificação, externar esse amor e obediência cumprindo o ide, sendo relevante dentro das quatro paredes e principalmente fora, não somente ouvinte, mas patic

RUBENS

"Não se intrometem se não forem chamados e nem emitem opinião ou palpites se não conhecerem profundamente o assunto" O grande problema é vaidade, as pessoas não conseguem ficar caladas por um segundo, querem de qualquer forma emitir uma opinião, mesmo que não tenha sentido. PRONTO PARA OUVIR, TARDIO PARA FALAR.

robson nobrega medeiros

sabemos que a verdadeira igreja e aquela que guarda as características de CRISTO JESUS....O seu CARATE UMA VIDA DE CONSAGRAÇÃO E TEMOR E COMUNHÃO com o seu Criador DEUS. Os Fies e o verdadeira igreja o Trigo separado do joio se TORNANDO A VERDADEIRA VIRGEM PRUDENTE GUARDANDO O AZEITE PARA CASAR COM JESUS.

Marco Aurélio

Ótima meditação pastor Douglas. O texto leva-nos a pensar em que tipo de cristão temos sido, onde estão nossas prioridades. Lutar por aquilo que não trouxemos e não vamos levar certamente não é o propósito. Precisamos voltar a palavra e entender que a virtude exposta no texto, deve ser o alvo de nossas vidas aqui na terra. Nos faz ainda meditar sobre a penosa lutas dos nossos pastores que precisam no mínimo de nossas orações. Obrigado pastor por mais essa preciosa lição.

Deixe seu comentário







Perfil

Douglas Baptista é pastor, líder da Assembleia de Deus de Missão do Distrito Federal, doutor em Teologia Sistemática, mestre em Teologia do Novo Testamento, pós-graduado em Docência do Ensino Superior e Bibliologia, e licenciado em Educação Religiosa e Filosofia; presidente da Sociedade Brasileira de Teologia Cristã Evangélica, do Conselho de Educação e Cultura da CGADB e da Ordem dos Capelães Evangélicos do Brasil; e segundo-vice-presidente da Convenção dos Ministros Evangélicos das ADs de Brasília e Goiás, além de diretor geral do Instituto Brasileiro de Teologia e Ciências Humanas.

COLUNISTAS