Colunistas

Pr. Douglas Baptista

Pr. Douglas Baptista

O limite da laicidade estatal e a religiosidade

Qui, 06/07/2017 por

 

1. O debate atual acerca do limite estatal da laicidade no Brasil enfrenta sérios e complexos problemas. De um lado, temos a prática nacional das tradições surgidas e impostas pelo grupo majoritário do catolicismo cristão, tais como: a invocação do nome de Deus no preâmbulo da Constituição Federal, a expressão “Deus seja Louvado” nas cédulas do Real, o calendário público e anual organizado com feriados e celebrações essencialmente católico-cristãs (Sexta Feira da Paixão, Páscoa, Corpus Christi, Festas Juninas, Padroeira do Brasil, Natal e outras), as cerimônias fúnebres oficiais permeadas pela liturgia de cunho católico, os símbolos religiosos, tais como o crucifixo que ocupam diversos espaços da Esfera Pública e as imagens de “santos” que emolduram o acesso principal de milhares de municípios.

2. De outro lado, observamos o surgimento do “fundamentalismo laicista” que luta pela eliminação de toda a crença e de todos os valores religiosos, especialmente a influência do cristianismo, na constituição do espaço público. Programas de ação são elaborados para fazer triunfar a propagação de ideologias puramente laicas e contrárias a cultura judaico-cristã. Este debate tem sido travado no âmbito dos poderes constituídos com relevante embate na esfera legislativa. Abordagens complexas e polêmicas como a sexualidade, reprodução, eutanásia, aborto, pesquisas com células-tronco, direitos humanos e ensino religioso tem sido palco de tensões entre laicidade e religiosidade.

3. Diversos projetos tramitam no Congresso Nacional que provocam acaloradas discussões entre adeptos de valores laicos e preceitos religiosos. Dentre os debates está à parceria civil do mesmo sexo, a criminalização da homofobia, tributação das Igrejas, criminalização e descriminalização do aborto e da eutanásia, o uso de símbolos religiosos nas repartições públicas, o ensino da religião na escola pública, entre outros. O debate tem gerado tensas relações entre valores religiosos, conceitos laicos, política e direitos humanos.

4. Diante deste debate não se pode ignorar a importância, a força e a vitalidade da religião em nossa nação. A crescente secularização da sociedade não pode negar a persistência e o avanço das concepções e necessidades religiosas. O estado laico não pode impor sua linguagem e nem impedir a prática ou a manifestação dos valores do cidadão religioso. É fundamental o equilíbrio e a mediação entre fé e as questões laicas, teológicas e éticas. Não se pode simplesmente restringir a presença da religiosidade nos espaços públicos. Em contrapartida na opinião de muitos educadores, juristas e legisladores, por sua natureza laica, afirmam que o Estado deve ignorar os assuntos de fé como forma de proteger a liberdade de consciência, de crença e de culto.

 

Pense nisso!

Douglas Roberto de Almeida Baptista

10 comentários

RUBENS

Todos os valores morais continuam em acelerada falência por conta do descaso dos Governos e da sociedade em ignorar a palavra de Deus como regra de vida. Esta é mais uma astúcia cilada do diabo, impedindo a religião de propagar o evangelho, utilizando-se como desculpa: " A LAICIDADE DO NOSSO PAÍS"

Rodolfo Céspedes

Primeiramente agradeço a Deus por nos permitir ter o Pr Douglas entre nós, e que sempre aborda temas de grande relevância e que nos facilita o entendimento. Sobre este tema, mais uma vez é bastante oportuno e esclarecedor, pois algumas vertentes da nossa sociedade representadas por alguns políticos procuram excluir Deus de todos os contextos sociais. Parabéns mais uma vez pelo artigo Pastor Douglas, e que Deus nos ajude.

Rubilar

Pr Douglas que cada dias mais o Senhor lhe use com artigos como esse, que nós alertam para assuntos como os acima, pois em muitas vezes não nos atentamos para as retalhações em forma de leis ou até de atitudes veladas que são impostas à queles que procuram fazer o que é correto, sob orientação do Senhor. Infelizmente vivemos dias de relativismo e de vã religiosidades. Deus nos proteja de tais leis e ações contras os remanescentes fieis. Parabéns, Deus seja louvado por sua vida.

JOSÉ CARLOS ALVES DA SIL

O problema do laicismo não é os efeitos do estado laico e sim o conteúdo do pacote de maldade que ele contém. Sempre vêm na discussão algo escalafobético: faço sua citação: parceria civil do mesmo sexo, a criminalização da homofobia, tributação das Igrejas, criminalização e descriminalização do aborto e da eutanásia, o uso de símbolos religiosos nas repartições públicas, o ensino da religião na escola pública, entre outros. O arquiteto mal está em ação!

Sérgio Luís

Pr. Douglas, mais uma vez, o senhor nos brinda com seu texto. Que Deus o abençoe. Seria pura coincidência que tais questionamentos cresçam,exatamente,em um período que a fé evangélica está em crescimento?

pastor lucio

Não podemos ficar de braços cruzados esperando Deus fazer tudo, pois Ele entregou poder a igreja em nome de Jesus para lutar contra todo esse mal. Porem e sabido que é chegando o tempo dos escolhidos começarem a se manifestar, pois diz a palavra, muitos são chamados, mas poucos escolhidos. mateus: 22:14. Parabéns pastor Douglas.

Daniele Amorim Fernandes

Parabéns Pastor Douglas! Verdade! Estado e Religião não são coisas tão distintas! A maioria do nosso país é cristã, qualquer manifestação em locais públicos é resultado do que somos! Da nossa cultura, abonar isso é interferir nas ideologias da população brasileira! Como já dito é preciso um equílibrio! Essa ideia laicista não pode predominar! Muito bom e esclarecedor o texto!

EMANUEL OLIVEIRA

Parabéns Pr Douglas pela elucidativa explanação sobre o tema! Observamos que em nosso país existem movimentos para degradação de valores cristãos, como família, moralidade, ética e outros. Ha uma forte corrente para uma completa degradação destes valores, somada a um aumento da intervenção do Estado do modo como educamos nossos filhos sobre temas como sexualidade, religião, politica e outros.Que Deus tenha misericórdia de nossos lares, para que estejam alicerçados na Rocha que é

Janilson Junior

Parabéns Pastor Douglas! Que este artigo possa chegar ao conhecimento dos tás "limitadores da Fé", também conhecidos como defensores da laicidade. O que na verdade está acontecendo, é que o espírito do anti-cristo está operando, conforme predito pelo apostolo Paulo em 1Tss 2.4: "...Opondo-se contra tudo que se chama Deus...". Artigos como este, nos levam à vigilância, "conhecendo o tempo, que já é hora de despertarmos do sono" Rm 13:11. Deus te abençoe meu Pastor!

Carlos Junior

Parabéns por mais esse esclarecedor e atual artigo, pastor Douglas. De fato, tem sido grande o embate das ideologias de cunho secularista para neutralizar a cultura judaico-cristã na qual foram forjados os valores de nossa sociedade. A Bíblia é clara ao ressaltar que feliz é a nação cujo Deus é o Senhor. Grande parte de nossas mazelas sociais advém justamente do abandono dessa verdade.

Deixe seu comentário







Perfil

Douglas Baptista é pastor, líder da Assembleia de Deus de Missão do Distrito Federal, doutor em Teologia Sistemática, mestre em Teologia do Novo Testamento, pós-graduado em Docência do Ensino Superior e Bibliologia, e licenciado em Educação Religiosa e Filosofia; presidente da Sociedade Brasileira de Teologia Cristã Evangélica, do Conselho de Educação e Cultura da CGADB e da Ordem dos Capelães Evangélicos do Brasil; e segundo-vice-presidente da Convenção dos Ministros Evangélicos das ADs de Brasília e Goiás, além de diretor geral do Instituto Brasileiro de Teologia e Ciências Humanas.

COLUNISTAS