Colunistas

Pr. Douglas Baptista

Pr. Douglas Baptista

O perigo do pragmatismo espiritual

Seg, 24/10/2016 por

 

Pragmatismo é uma doutrina filosófica cuja corrente de ideias prega que a validade de uma doutrina é determinada pelo seu bom êxito prático. Se algo dá certo então deve continuar sendo praticado. Pode ser sintetizado como uma "filosofia de resultados". Quem adota esta filosofia faz todo o necessário para atingir seus objetivos.

 

O pragmatismo não se importa com os meios, apenas com os resultados. O pragmatismo tende a subordinar a concepção da ética. Portanto, quando alguém elege somente os resultados acaba por ferir a ética. Deste modo, o pragmatismo não se importa com a ética de suas ações desde que seus propósitos sejam alcançados.

 

Infelizmente estes conceitos tem influenciado a liturgia de alguns de nossos cultos. Alguns líderes desprovidos de ética adotam técnicas de manipulação de auditório para promover suposta espiritualidade na Igreja. As ideias do pragmatismo tem sido usadas e abusadas para conceber o falacioso sentimento de Igreja avivada.

 

Muitos pregadores tem feito uso de jargões para imprimir no culto a falsa sensação de espiritualidade. Expressões como “eu profetizo”, “receba” e “tome posse” tem sido banalizadas em muitos de nossos púlpitos. Perguntas como “tem fogo aí?” ou ainda “os pentecostais já chegaram?” são utilizadas para criar uma aparente atmosfera “espiritual” entre os presentes no culto.

 

Os pragmáticos espirituais não se importam se tais manifestações são expressões genuínas do Espírito ou apenas arranjos forçados de aparente espiritualidade. Para eles, o que é importa é o resutado, ou seja, o barulho. Se a Igreja pula, brada, gesticula e solta “rajadas” de línguas estranhas, então o culto é identificado como sendo pentecostal.

 

Tais líderes desprovidos de conhecimento bíblico, não tem nada para transmitir ao rebanho, não tem alimento espiritual para oferecer, e, por isso incentivam tal comportamento para manter os fieis manipulados por uma enganosa espiritualidade. Se alguém questiona estes métodos, imediatamente recebe a alcunha de “crente carnal”, “crente gelado”, "incrédulo" e outros termos de cunho pejorativo.

 

Quase sempre por trás disto tudo existem pecados ocultos e não confessados na Igreja. Cria-se uma cortina de “espiritualidade” para acobertar as falhas de caráter e de integridade da liderança. Para estes é melhor manter a Igreja na “carnalidade” disfarçada de “espiritualidade”, pois se o Espírito de Deus verdadeiramente se manifestar, então seus pecados serão revelados (1Co 14.25).

 

Finalizo lembrando que Cristo já nos alertara acerca do perigo do pragmatismo espiritual: “Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade” (Mt 7.22-23).

 

Nem tudo que está dando certo tem a aprovação de Deus!

Pense nisso!

 

Douglas Roberto de Almeida Baptista

22 comentários

Douglas Viana

Esse comentário foi bem na testa de alguns pregadores bom de criar vergonha na cara, e pregar verdadeiramente a palavra de Deus. Fazem dos uma verdadeira montagem pragmática, gostei muito, ei quem tem o dom de discernimento de espírito não difere esses tipos de pregadores não. Naquele grande eu quero ver se muitos pregadores vão chegar na presença do Mestre com pragmátismo, ele vai dizer apartai-vos de mim bando de praga. Pense nisso e se converta enquanto a tempo. Parabéns pela reflex

LUCAS MENDES SANTIAGO

Parabéns Pr. Douglas pelo excelente e oportuno artigo. Vivemos um tempo em que prevalece os interesses individuais em detrimento ao bem comum. A vaidade é evidenciada no egoísmo e no narcisismo. Infelizmente, esses conceitos entraram nas igrejas e muitos líderes evangélicos abandonam a orientação do Espírito Santo e agem como empresários, buscando grandes lucros e resultados imediatos. A falta de discernimento espiritual, mantem as pessoas alienadas aos conceitos desses falsos mestres.

Carlos André De Souza

Primeiramente gostaria de parabenizar o pastor pelo artigo, bem sucinto, mas muito oportuno. E isto infelizmente tem sido uma realidade em nossas igrejas, o famigerado "retetê" palavra que inclusive nem existe em nossos dicionários, técnicas como "fala pro teu irmão" e outros ja citados pelo pastor estão contaminando nossos púlpitos, eu ja falei sobre isto em uma aula da Ebd, que eu devo ser "muito pecador" pois quando me deparo com o "retetê" parece que é só eu que não estou sentindo

Andre Luiz Costa

Pastor Douglas quero agradecer a Deus por sua instrumentalidade. Deus continue te usando com uma explanação clara das Sagradas Escrituras. O que o senhor tem abordado corrobora com o que é apresentado no Livro Cristianismo em Crise, em que o autor aborda o perigo do pragmatismo das igrejas. Infelizmente, algumas igrejas estão sendo engodadas por esse tipo de filosofia. Um forte Abraço!

Luan

Excelente abordagem sobre o pragmatismo espiritual. Realmente a igreja está vivendo uma avalanche de suspostos avivamentos e espiritualidade. Muitos congressos já não procuram ministros que pregam a verdade(a palavra), querem avivalista e como o senhor mesmo disse manipuladores de auditórios.

benedito

A INVERSÃO DE VALORES TÊM INVADIDO DESDE A PRÉ-ESCOLA ATÉ AS FACULDADES, INSTI-TUIÇÕES PRIVADAS, PÚBLICAS E INFELIZMENTE TAMBÉM AS IGREJAS. O TAL "JEITINHO BRASILEIRO" , TEM SIDO A ESTRATÉGIA DE MUITOS P/ TER TEMPLOS CHEIOS, PORÉM, DE PESSOAS VAZIAS DO ESPIRITO SANTO. TEMOS MUITOS EXEMPLOS BÍBLICOS DE PESSOAS QUE DEIXARAM DE LADO AS ORDENANÇAS DO SENHOR, PARA FAZEREM DO SEU JEITO E PAGARAM CARO POR TAL ATITUDE. NÃO HÁ JEITINHO PARA LIBERTAR ALGUÉM DO PECADO, SÓ A VERDADE LI

Carlos Matheus

Pr. Douglas parabenizo o senhor pelo ótimo texto. Muitos líderes, pela experiência que possuem na seara eclesiástica, esquecem que a experiência não sobrepõe a Bíblia. A experiência é uma ótima aliada dos preceitos bíblicos, porém se for contrária as Sagradas Escrituras está incorreta. Não é porque está dando certo que tem que continuar (pragmatismo), Paulo asseverou que os hebreus viveram muitos milagres, ocorre que mesmo assim não tiveram a aprovação divina (1Co 10)

PEDRO INÁCIO, Pr

O pragmatismo se alastrou por que é mais fácil viver a falsa espiritualidade, do que a autêntica comunhão com Deus, onde se requer uma vida consagrada em oração e estudo. O viver de forma superficial, mas querendo mostrar espiritualidade autêntica corre grande perigo, no entanto, o que está alicerçado na Rocha, permanece para sempre. O irresponsável com o rebanho que o Senhor lhe confiou vive no pragmatismo, porém, quem é sério se preocupa em transmitir a genuína Palavra de Deus.

Ricardo Alves Leone

Excelente artigo, Pr. Douglas Baptista.

Paulo Vidal

Os pragmáticos também foram chamados por Cristo de sepulcros caiados , e por João Batista de raça de víboras.

Davi dos Santos

O jeito é ensinar certo nossos filhos, com certeza o pragmatismo diminuirá.

Marco Aurélio

Ótimo artigo que nos alerta sobre o grande "perigo espiritual" que estamos correndo dentro das nossas próprias igrejas. Imagino que alguns, mesmo não intencionalmente ou por falta de conhecimento, estão adotando ritos litúrgicos porque está "funcionando". Outros deliberadamente adotam esses ritos em busca do sucesso. A verdade é que precisamos mesmo clamar pelo dom do discernimento mais que nunca. Parabéns pastor Douglas. Que Deus continue te abençoar na sua missão.

HERIVELTON MARCULINO DA S

Ótima análise, essa matéria é relevante aos nossos dias. Quisera que todos nós a ouvíssemos e praticássemos o Evangelho verdadeiro e sem mistura que tem se alastrado por muitas de nossas igrejas. Sou grato a Deus por vossas vidas.

Rubilar

Prezado Pr Douglas, vivemos dias difíceis, mas o Senhor , nosso Deus, tem usado remanescentes fiéis como o Sr para nos alertar a cerca de acontecimentos antibíblico que estão acontecendo no meio “do povo” de Deus. Sou grato a Deus que por sua misericórdia tem nos alertando, acerca de tais acontecimentos. Que o nome do Senhor seja glorificado, a cada dia mais, por sua vida Pr Douglas.

josselio costa

Josselio C Costa Realmente ele fala com precisão desses fatos, porém, as nossas igrejas jamais conseguirão retirar essas aberrações de dentro delas por que a própria liderança não estar preocupada com a saúde da igreja mas sim com o volume de membros dentro da mesma. Estão dominados pelo desejo de crescimento e não estão nem aí para os meios que os leve à isso.

Dc Anderson S. Gomes

É a realidade nos dias de hoje onde trocaram a PALAVRA DE DEUS, por somente louvores nos cultos. A água sumiu e o povo está com sede, sem falar no sincretismo religioso onde os MUITOS falsos profetas se apresentam como sendo MILAGREIROS DE PLANTÃO! Prefiro ficar com João 17:17 onde a Palavra de Deus que irá santificar o homem e não o "oba - oba" que muitos fazem e pulam na carne, voltando para casa ainda mais carnais não se convertendo a Deus! Porém um dia essa farsa irá acabar, sur

Janilson Júnior

Mais uma vez Glorificamos ao Deus triúno por tua vida caríssimo Pr. Douglas, que com tamanha sabedoria veio abordar um assunto tão sensível quanto pertinente as igrejas hodiernas... Parabéns!

EMANUEL OLIVEIRA

Realmente Pr Douglas, muitos falsos obreiros tem utilizado deste subterfúgio, para atrair multidões, alcançar sucesso e lucrar com estas técnicas.Muitos sem discernimento caem nesta falsidade,concordando e apoiando este tipo de movimento. Nestas reuniões onde o pragmatismo é utilizado, não ha mudança de vida, o povo não é levado ao arrependimento e santificação e sim ao emocionalismo. Que possamos prezar pela verdadeira Palavra, que traz cura, libertação e salvação. Parabéns Pr

Sérgio Luís

Prezado pastor Douglas, a paz do Senhor. Texto atual e contundente. Alguns de nós somos bombardeados todos domingos por “menssagens" egoisticas, egocêntricas e sobretudo, banais. Dia desses, fui orientado à trazer uma “palavra de ânimo", pois, no outro dia seria segunda feira, e assim os ouvintes seriam “impactados"para começar uma nova semana.

Jose Carlos Alves

A sensação e de vunerabilidade cristologica. Penso que, as ministrações viraram culto de negócios. A Teologia viraram moedas pragmaticas. E flagrante a presença de lideres (Papas) gospel. Que de pulpitos sfirmam: "a minha igreja" e são ovacionados por membros neofitos.

Pr.Henrique Silveira

Primeiramente quero parabenizar ao Pastor Douglas pela excelente postagem as vezes em alguns lugares o pragmatismo é tão a grande que a gente prega a palavra e como se tive falando um coisa anormal mas se usa a manipulação logo você aceitação. Já dizia um amigo nosso que senhor conhece " quando você percebe que ninguém tá recebendo a mensagem comece a chuta pra todos lado até ele começa a glorificar " isto é começa com as farmosa frases de efeito isto é manipulação!

CARLOS JUNIOR

Concordo com sua análise, Pr. Douglas. De fato, nossas igrejas têm sido assoladas pelo pragmatismo. Vale o que dá certo e não o que é certo. E pensar que esses pseudoevangelistas arrebatam fortunas, pilhando igrejas e convenções que, por sua vez, são lideradas também por líderes pragmáticos. Há escassez da verdadeira e genuína mensagem bíblica cuja exposição, longe do delírio do emocionalismo, faz arder o coração. Parabéns ao nobre pastor por mais essa oportuna e atual me

Deixe seu comentário







Perfil

Douglas Baptista é pastor, líder da Assembleia de Deus de Missão do Distrito Federal, doutor em Teologia Sistemática, mestre em Teologia do Novo Testamento, pós-graduado em Docência do Ensino Superior e Bibliologia, e licenciado em Educação Religiosa e Filosofia; presidente da Sociedade Brasileira de Teologia Cristã Evangélica, do Conselho de Educação e Cultura da CGADB e da Ordem dos Capelães Evangélicos do Brasil; e segundo-vice-presidente da Convenção dos Ministros Evangélicos das ADs de Brasília e Goiás, além de diretor geral do Instituto Brasileiro de Teologia e Ciências Humanas.

COLUNISTAS