Colunistas

Pr. Douglas Baptista

Pr. Douglas Baptista

O Cristão e seu relacionamento com os excluídos

Dom, 26/06/2016 por

Durante seu ministério terreno, Jesus quebrou vários paradigmas ao encontrar-se com coletores de impostos e prostitutas (grupo de excluídos à época na cultura judaica). No entanto, ao se relacionar com estas pessoas, Jesus nunca aprovou e jamais incentivou a conduta de nenhuma delas. Ao contrário, ao demonstrar amor e interesse pelos excluídos Jesus tinha como objetivo libertá-los da má conduta e da opressão do pecado.

O encontro de Jesus com Zaqueu, por exemplo, trouxe mudanças imediatas na vida do publicano. Zaqueu devolveu os impostos cobrado a mais e ainda entregou metade dos seus bens para ser repartido entre os pobres. Diante desta transformação na vida deste coletor de impostos Jesus exclamou: "Hoje veio salvação a esta casa" (Lc 12.9).

Outra situação esclarecedora trata-se do encontro de Cristo com a mulher que havia sido flagrada se prostituindo com um homem casado. Ao despedir envergonhados aqueles que queriam apedrejá-la, Jesus disse a mulher: " Vai-te, e não peques mais" (Jo 8.1).

Portanto, certamente Jesus deseja que façamos algo em favor dos grupos de excluídos, mas sem aprovar ou incentivar nenhuma conduta pecaminosa. Os Cristãos devem amar os pecadores e repudiar apenas o pecado. O verdadeiro cristão não nutre ódio algum por quem quer que seja. O cristão não sente fobia alguma por homossexuais ou prostitutas, nem por políticos corruptos, pedofílos ou bandidos. Apenas não concorda com suas atitudes e práticas:

"Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus" (1Co 6.10)

Reflita nisso!

Douglas Roberto de Almeida Baptista

10 comentários

Alan Douglas

Muito bom Pr Douglas! Que Deus continue te usando mais e mais.

Davison da Silva Alves

Amem! Deus seja louvado...

Francisco Pinto

Parabéns, pastor Douglas. Sintético, direto e elucidador. Numa época em que nossa juventude anda desnorteada, imiscuída e embebeda pelas más companhias, este artigo põe um termo no assunto de forma precisa e competente.

Janilson Júnior

Sucinta e direta, assim é a Mensagem do Evangelho... parabéns Pr. Douglas, por reproduzir fielmente neste artigo o ensinamento do Mestre dos mestres, o Rei Jesus. O mundo precisa entender, que o fato dEle ter caminhado "Entre" pecadores, não significava apoio as suas práticas! Ele os amava, sim! por isso os via, como alguém que de fato precisava de sua ajuda para se livrar das amarras do pecado. pois o seu Santo Evangelho se trata disso "Eu tenho, não o que você QUER, mas sim o que PRECIS

Sérgio Luís

Pr. Douglas, a paz do Senhor. Parabéns pelo texto, simples, conciso e sobretudo, evangelístico. Jesus nunca foi indiferente aos grupos de excluídos ou minorias; nós, os seguidores do Nazareno, deveríamos fazer o mesmo.

Pastor lucio

Uma mãe que tem o seu filho nas drogas não deixa de ama-lo, porém ela não concorda com o vício praticado por ele. Assim é o verdadeiro Cristão, assim como Deus amou o mundo tambem devemos amar, porem não devemos ser conivente com o pecado.

Carlos Junior

Muito esclarecedor, pastor Douglas. A mídia, por vezes, descreve o cristão como alguém intolerante e raivoso, mas seu artigo, extraído do contexto bíblico, revela que Jesus amou os pecadores, mesmo condenando a prática do pecado. Quem aprendeu com o Mestre Supremo segue seus passos.

Ronaldo Alves da Silva

Excelente assunto abordado, perfeito para o momento em que vivemos. Como darei bom exemplo discriminando ou ate mesmo excluindo o próximo, e quem somo nós para julgar alguém? Devemos sim seguir o que manda as escrituras, amar o próximo, mas isso não significa que amo o erro, muito pelo contrário. Porque Deus ama o pecador e o pecado ele abomina. Podemos sim amar o próximo, independente de suas atitudes e suas escolhas, isso não significa que estou concordando com seus erros.

EMANUEL

Parabéns pelo artigo Pr Douglas, é de suma importância a clareza do que diz a a Palavra de Deus sobre este tema que nos dias atuais muitos em nossa sociedade lutam por seus direitos, mas esquecem dos deveres. Devemos amar o pecador e não o pecado, devemos combater a pratica pecaminosa e não o praticante, somos exortados a "sermos santos". Que Deus possa nos ajudar e nos capacitar a cumprir o ide de Jesus, não somente com palavras mas principalmente com exemplo. Deus vos abençoe.

sousa dias

Muito bom artigo pastor, não podemos de modo algum discriminar seja qual for o grupo (conhecido como excluídos) de nossa sociedade, seja homossexuais, prostitutas, etc. mas devemos ser contra o pecado sempre, porque Deus ama o pecador, mas abomina o pecado. Deus nos abençoe.

Deixe seu comentário







Perfil

Douglas Baptista é pastor, líder da Assembleia de Deus de Missão do Distrito Federal, doutor em Teologia Sistemática, mestre em Teologia do Novo Testamento, pós-graduado em Docência do Ensino Superior e Bibliologia, e licenciado em Educação Religiosa e Filosofia; presidente da Sociedade Brasileira de Teologia Cristã Evangélica, do Conselho de Educação e Cultura da CGADB e da Ordem dos Capelães Evangélicos do Brasil; e segundo-vice-presidente da Convenção dos Ministros Evangélicos das ADs de Brasília e Goiás, além de diretor geral do Instituto Brasileiro de Teologia e Ciências Humanas.

COLUNISTAS