Colunistas

Pr. Douglas Baptista

Pr. Douglas Baptista

Cuidado com o pecado da cobiça

Qui, 12/05/2016 por

 

O maior e mais perigoso inimigo do homem é ele próprio. Nossa própria carne e a natureza pecaminosa que em nós habita constituem um inimigo vicioso e enganoso. As três áreas de pecado que se encontram na raiz da queda de qualquer cristão são a imoralidade, a cobiça e o orgulho.

Comparados com isso os inimigos externos são fáceis de combater. A cobiça vem de uma insegurança com relação à provisão de Deus e o amor pelo dinheiro. Em Mateus 6.24, Jesus ensinou sobre dois senhores, dentre os quais devemos escolher um: Deus e mamom. Mamom era o nome do deus pagão da riqueza e da prosperidade. Muitos cristãos têm caído na armadilha de Mamom e assim tornaram-se prisioneiros da cobiça.

Paulo ensina que a cobiça é idolatria. A Escritura esclarece que a cobiça, ou a avareza, é o amor ao dinheiro. E quando o homem ama o dinheiro torna-se refém da malignidade que está por detrás dele: "Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra; a prostituição, a impureza, o apetite desordenado, a vil concupiscência e a cobiça, que é idolatria; Pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência" (Cl 3.5-6).

Um cristão dominado pela avareza ou pelo desejo de acumular riquezas é insensato e delira em vãos pensamentos, Jesus deixou bem claro que "a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui"(Lc.12:15). Lamentavelmente, não são poucos os que acabam se perdendo por causa da cobiça.

A Bíblia registra diversos casos em que a ganância foi obstáculo para salvação, como nos casos do mancebo de qualidade (Mt 19.22), de Judas Iscariotes (Lc 22.3-6), de Ananias e Safira (At 5:1-5, 8-10), de Simão (At 8.18-23) e muitos outros. Infelizmente, o incentivo pela prática da cobiça tem partido do púlpito de diversas igrejas. Os crentes são atraídos por pseudos líderes a participarem de cultos cuja ênfase é a prosperidade financeira.

Para refutar tal conduta nociva em nossas igrejas, deixo para nossa reflexão as palavras de Paulo em sua carta a Timóteo: "os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores" (1Tm 6.9,10).

Reflita nisto!

Douglas Roberto de Almeida Baptista

11 comentários

Alan

Maravilhosa mensagem Pr Douglas! Pode ser que não queremos "ouvi-la", mas precisamos. Que Deus continue falando através das vossas mensagens!

Janilson júnior

Tenho a alegria de ser lapidado por Deus a cada mensagem que leio, escuto e reflito! Pastor Douglas, Que Deus abençoe poderosamente sua vida!

JOSE MARCOS

Parabéns pelo excelente comentário! É preciso que entendamos que a vida cristã não consiste nos deleites carnais, porém numa vida santa e irrepreensível diante de Deus e dos homens.

Sérgio Luís

Pr.Douglas,a paz do Senhor. Nesses dias tão conturbados, o povo em geral(incluindo a igreja),está em busca de alívio,então, alguns líderes, com alguma intenção (boa ou má?) exploram esta necessidade. O problema é que ao invés de administrarem o remédio de alívio, receitam placebos, que só enganam e nada resolvem.

ANTONIO CARLOS SILVA ROSA

Excelente artigo Pastor Douglas Baptista! Realmente, a verdadeira paz e alegria não se adquire cobiçando coisas materiais, riquezas, fama e vanglória (I Co 10.6). A verdadeira riqueza, que produz a real felicidade, que todo ser humano ambiciona, só nos é possível adquiri-la, quando descobrimos o real sentido da vida e a verdadeira razão de nossa existência junto a Cristo Jesus, nosso Senhor.

Carlos Junior

De fato, pastor Douglas. A cobiça é a praga que tem assolado a igreja hodierna. A erva daninha a crescer nos corações e mentes, impedindo muitos de herdar o reino de Deus. Que Deus nos guarde dessa contaminação.

Antônio Dias

Precisamos de reflexões como esta, principalmente nos dias atuais, onde a busca pela cobiça tem levado muita gente para trás das grades no nosso país. A busca pelo poder, dinheiro e fama a qualquer custo são atitudes de pessoas que não temem a Deus é não confiam na sua provisão. Parabéns pastor Douglas por mais uma ótima reflexão.

pr. Antonio barbosa ramos

Se o cristão analisar este texto que foi postado pelo Sr pastor Douglas, e procurar com muito cuidado entende-lo, e ficar alerta não cairá no pecado da cobiça. Parabéns por esta postagem porque o povo de Deus esta precisando nos tempo finais de mensagem deste porte, para que todos entendam que o amor ao dinheiro leva o homem a se desviar do caminho do senhor.O dinheiro não pode substituir o amor ao Deus pai,Deus, Deus filho e o espírito santo.

pastor lucio

em Isaías 14:14 fala da cobiça de lúcifer para ser semelhante a Deus, logo satanás levou a eva a cobiçar o conhecimento do bem e do mal. Na igreja contemporânea, a doutrina da prosperidade tem levado muitos cristãos a se corromperem.

Ev Emanuel Oliveira

Parabens Pr Douglas pelo edificante texto, podemos ver que nos dias atuais por causa da ganancia de muitos, nosso pais esta mergulhado em crise.Tudo isso aliado a uma profunda sede de poder,sucesso e facilidades a todo e qualquer custo uma verdadeira CRISE MORAL E DE CARATER. Que Deus continue lhe capacitando e usando para nos trazer tão abençoadas reflexões.

Sergio Barbosa Ribeiro

Louvo a Deus pela vida do pastor Douglas e por sua visão, dada certamente pelo Espírito Santo; são poucos os irmãos que tem e valorizam esta visão, pois a maioria só se preocupa em ajuntar tesouro na terra, quando deveriam repartir, que é a orientação bíblica, para que grandes templos confortáveis, enquanto há necessitados e carentes, vamos abrir mão do que vai além de nossas reais necessidades e cumprir os ensinamentos de nosso Senhor, que Deus abençoe o pastor Douglas.

Deixe seu comentário







Perfil

Douglas Baptista é pastor, líder da Assembleia de Deus de Missão do Distrito Federal, doutor em Teologia Sistemática, mestre em Teologia do Novo Testamento, pós-graduado em Docência do Ensino Superior e Bibliologia, e licenciado em Educação Religiosa e Filosofia; presidente da Sociedade Brasileira de Teologia Cristã Evangélica, do Conselho de Educação e Cultura da CGADB e da Ordem dos Capelães Evangélicos do Brasil; e segundo-vice-presidente da Convenção dos Ministros Evangélicos das ADs de Brasília e Goiás, além de diretor geral do Instituto Brasileiro de Teologia e Ciências Humanas.

COLUNISTAS