Colunistas

Pr. Douglas Baptista

Pr. Douglas Baptista

O joio na igreja: como conviver com os infiéis

Seg, 14/12/2015 por

A tensão entre as diferenças de comportamentos na igreja resulta em problemas de relacionamentos de uns para com outros e inclusive com a liderança. A questão precisa ser administrada com sabedoria e muita paciência. Cristo ao contar a parábola do trigo e o joio ensinou que devemos aprender conviver com estas pessoas sob o risco de “colher o joio e arrancar também o trigo com ele” (Mt 13.29).

O próprio Cristo precisou conviver com o joio durante seu ministério terreno. Por aproximadamente três e ano meio Jesus suportou Judas. Cristo sempre soube que Iscariotes era falso, ladrão e traidor (Jo 6.70; 12.6; 18.5), no entanto o manteve como membro do colegiado apostólico. No final, Judas arrancou-se e arrebentou-se sozinho (At 1.18). Acerca deste tipo de pessoas Paulo advertiu a Timóteo: “Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesto o seu desvario (...). Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados” (2Tm 3.9,13).

Uma das maiores dificuldades no ministério pastoral é saber como apascentar, “administrar” e como manter “bom relacionamento” com os crentes infiéis. Eles fazem parte da igreja. São membros ou congregados identificados nas Escrituras como o joio do campo da parábola de Jesus.

Na parábola, Cristo ensinou que a semente do joio era resultado da falta de vigilância dos homens, sendo sutilmente aproveitada pelo inimigo: “dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se” (Mt 13.25). Mais tarde, ao ser interrogado em particular, acerca do significado da parábola,  Jesus explicou aos apóstolos: “... o joio são os filhos do maligno; o inimigo, que o semeou, é o diabo” (Mt 13.38-39).

De acordo com o ensino de Jesus sempre haverá joio em nosso meio. O número deles dependerá de nossa vigilância espiritual. Uma igreja dormente é aquela que permite o joio germinar e multiplicar. O joio se alastra quando é negligenciado o discipulado para os novos convertidos. O joio se multiplica quando a igreja ignora o ensino da palavra de Deus. Quanto mais a igreja dormir, mais joio e menos trigo no campo. Se dormir menos, o joio será reduzido e o trigo aumentará. E ao se descobrir o joio em meio ao trigo deverá prevalecer a orientação de Jesus: “Deixai crescer ambos juntos até à ceifa” (Mt 13.30).

Não cabe ao pastor arrancar o joio. Sua função é amá-los. Amar com sinceridade, sem hipocrisia, com amor não fingido (Rm 12.9). Não pode ignorar suas necessidades nem tampouco menosprezar sua companhia. Agindo assim, é possível que um dia o joio seja transformado em trigo: “Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível”  (Mt 19.26).

 

Douglas Roberto de Almeida Baptista

28 comentários

NELSON SARTOR

Mas Pastor, não digo arrancar os,mas tem que ensinar a verdade a eles,a palavra de Deus é um remédio,e não precisa arrancar os mas se eles não quizerem obedecer mesmo,eles não pode estar envolvidos em trabalhos na igreja,e tem q ser disciplinados com amor e carinho,pois a disciplina não é uma forma deles parar e pensar no que fizeram:?O que vemos hoje é as vezes o próprio Pr deixando povo a vontade vir a casa de Deus como quér e assim um vai vendo os exemplos e vão imitando

Izaias Braga

Obrigado pastor, pelo esclarecimento, ainda não tinha feito essa observação. Deus continue lhe abençoando!

pastor lucio

mateus 13:38, diz que o joio são os filhos do maligno, se a igreja tiver compromisso com a doutrina do Senhor, e for de oração, o joio não vai resistir ao poder de Deus, vai ser revelado, haverá arrependimento e será tratado ou por si próprio sera excluído do meio das congeração como foi com judas.

Douglas Baptista

Prezado IZAIAS muito boa sua pergunta. A explicação é a seguinte: Tanto o trigo quanto o joio são semeados no mundo (Mt 13.24-27). No mundo alguns são considerados filhos do reino (Igreja) e outros filhos do maligno (Mt 13.38). E dentro do reino (Igreja) existe joio infiltrado que no fim do mundo serão julgados (Mt 13.40-42).

Izaias Braga de Castro

Em relação ao joio, jesus não disse que ele foi semeado no mundo ( pois o campo é o mundo Mt 13.38) e não na igreja? como explica isso? aguardo resposta.

Silvio C Rossi

Agradeço pelo estudo. Acredito que é um assunto difícil de ser tratado pelos pastores. Entendo que o Senhor Jesus não menciona o joio e o trigo dentro de uma congregação (até porque não existia, ainda, congregações). O apóstolo Paulo, apesar de todo amor pelas almas, determina que um irmão "joio" seja tirado de perto dos irmãos "trigos', talvez para não contaminá-los. Sendo bom, após o arrependimento do "joio", para ele, para a igreja e para Deus. Muito obrigado pelos estudos,

Douglas Baptista

Grato pelos comentários e participação. Deus vos abençoe sempre!

Douglas Ribeiro

Pr. para mim que assumi uma congregação recentemente, esse comentário veio muito a calhar, Deus continue usando a sua vida através do ensino da palavra, Deus tem me dado graça e minha esposa tem sido muito sábia também nesse sentido, mas nada melhor do que sábios conselhos para nos aprimorar na obra do Pai.

Durval Alves

Gostaria de agradecer a Deus por usar homens com visão espiritual nestes dias em que estamos vivendo neste terra .Parabéns pastor.

Pr Ayjalon Silva

a abreviatura de Pr. não é PR, ou seja a letra R em maiúscula, e sim a letra r em minuscula, PR significa Paraná.

João Tadeu de Aquino San

muito importante ,com essa mensagem aprendemos que pode ser que o joio de hoje ,amanhã ele tenha a possibilidade de se transformar em trigo . AMEM GLÓRIA A DEUS !!

KLECIO MAIA

Excelente artigo. Paz do senhor!

André Luiz

Seu artigo é singular e de uma realidade, tanto para a liderança como para o membro que está próximo destes "infiéis". Vejo, a necessidade de vigilância constante por parte dos lideres e liderados e há necessidade de palestras especificas acerca do tema. Assim, teremos uma igreja instruída e atenta. (Mateus 22:29 - Oséias 4:6)

Éric Andreson de Lima

Concordo com o senhor e entendo que o joio deva crescer com o trigo. a importância da oração nesse processo é que todos participem, quer joio, quer trigo, dessa forma, aqueles que são joio agora, se tornarão trigo que alimenta. identificar-se como joio é um passo singular para essa transformação. será que estou guardando os Mandamentos de Deus em meu cotidiano?

douglas viana

Conviver no meio do joio as vozes não é facio,a um clima as vez pesado no ar, mas a gente vai vencendo no espírito. O problema é que tem joio querendo ser trigo. Douglas Viana.

Izaias Oliveira Evangelis

Excelente Reflexão.

Morais

Pastor a Paz do Senhor! Por que já não se fala mais em Usos e Costumes nas Assembleias de Deus? Não seria uma marca da denominação uma identidade que por sinal muito positiva que casa muito bem com o tema Santidade? Por que muitos pastores tem feito Vistas Grossas diante desta temática a Igreja sempre cresceu, e agora que não se dar mais este foco está estagnada em números e espiritualmente. Seria um não incomodo a elite hoje muito presente na AD. Haveria possibilidades de uma EBD sobr

gideon

Amém! Gostei muito deste esboço é verdade

Elias Colle

Muito importante PR. DOUGLAS que Deus continue abençoando o seu ministério.

Francisco Bezerra Alves

Paz do Senhor meu querido pr Douglas!! Sou testemunha ocular da sua preocupação em manter um relacionamento autenticamente Cristão entre os irmãos. O q torna esse artigo mais relevante ainda. O Joio pertence a instituição local, mas ñ pertence à Igreja invisível de Cristo. Missão difícil essa, principalmente em nossos dias onde o ministério Cristão está em crise. Mas Deus tem conservado pastores fiéis q com ajuda do seu santo Espírito ñ dormem, e ñ deixam a sâ doutrina.

Sandro Miranda

Excelente reflexão meu Pastor, a partir desta, entendemos que somente quem tem chamada ao santo mistério do pastorado, pode suportar o joio no meio do trigo! enquanto muitos parte p agressão de arrancar o joio logo que percebe, que na ideia dos homens é arrancar logo, mas temos que ter a paciência e a ternura de ama-los e conduzi-los como se fosse ovelhas, e esperar que o Senhor o julgue. livrar dos problemas quando ocorre é sempre disciplinar e excluir sem querer apascentar!! que Deus use

Douglas Baptista

Prezados comentaristas, Agradeço suas relevantes postagens. Deus vos abençoe sempre, em nome de Jesus!

Carlos Junior

Excelente reflexão, pastor Douglas. De fato, o desafio da liderança chamada por Deus é aprender a conviver com o joio em meio ao trigo, com sabedoria e discernimento, aguardando o dia da colheita.

Sérgio Luís

Amado Pr. Douglas. Texto excelente. Teológico, didático e pedagógico. Seu conselho não é de fácil aplicação, porém, necessário. Nesses tempos em que facções, discórdias e coisas semelhantes são tão comuns em nosso meio palavras como as suas nos mostram a necessidade de espiritualidade e equilíbrio. Deus o abençoe. Feliz natal.

EMANUEL FRANCISCO SANTOS

Dignissimo Pr Douglas, realmente esta conduta fica mais dificil nos dias atuais, onde o amor de muitos se esfria e a influencia do mundo é para o embate e ate o desejo de vingança para com os "joios". Mas nos esquecemos da conduta de Cristo com Judas, realmente so com a ação do Espirito Santo é que podemos nos comportar como as escrituras nos ordena. "Mas nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos." Romanos 15:1 PARABENS PELO POST.

Jesus Saraiva

Que Deus continue iluminando seus caminhos e mantendo essa lucidez para continuar sendo um instrumento nas mãos dEle. Parabéns, Pastor!!! 2 Tm 2:24-26

Rubilar

Prezado Pr Douglas, mesmo no Haiti, sempre que posso leio seus artigos, e cada vez mais vejo Deus usando o senhor, como boca do Espírito Santo. Que Deus lhe de cada vez mais sabedoria, para o Sr nos orientar e alertar a cerca de sua Palavra. Deus seja louvado por sua via.

Antônio José de Sousa D

Muito bom, o artigo. Porque a cada dia que passa vem aumentado o número de joio nas igrejas, e a única saída é fazer como Jesus fez, ama-los, vigia-los e no momento certo Deus irá agir. Parabéns pastor Douglas pelo artigo.

Deixe seu comentário







Perfil

Douglas Baptista é pastor, líder da Assembleia de Deus de Missão do Distrito Federal, doutor em Teologia Sistemática, mestre em Teologia do Novo Testamento, pós-graduado em Docência do Ensino Superior e Bibliologia, e licenciado em Educação Religiosa e Filosofia; presidente da Sociedade Brasileira de Teologia Cristã Evangélica, do Conselho de Educação e Cultura da CGADB e da Ordem dos Capelães Evangélicos do Brasil; e segundo-vice-presidente da Convenção dos Ministros Evangélicos das ADs de Brasília e Goiás, além de diretor geral do Instituto Brasileiro de Teologia e Ciências Humanas.

COLUNISTAS