Colunistas

Pr. Claudionor

Pr. Claudionor

Minha primeira leitura teológica

Seg, 14/09/2015 por Claudionor de Andrade

Meu primeiro contato com a teologia deu-se na Assembléia de Deus em São Bernardo do Campo, SP. Numa sala pequena, onde ficava a secretaria da igreja, havia um armário, no qual eram guardados os livros que os jovens íamos vorazmente lendo. Na prateleira superior, compêndios doutrinários; na inferior, devocionais e testemunhos. Entre autores americanos e ingleses, apareciam alguns brasileiros: Emílio Conde, João de Oliveira, Francisco Pereira do Nascimento e João Pereira de Andrade e Silva. Havia também livros de história e outros de cultura geral.

Como freqüentar um seminário era difícil e nada recomendável, íamos formando uma cultura teológica pela autodidaxia. Enfrentávamos ainda outro obstáculo: o desconhecimento do inglês, o que nos restringia o acesso a Strong, Tozer, Finney e Stanley Horton. Boa parte dos escritos desses piedosos teólogos ainda não havia sido traduzida para o vernáculo. Por isso, éramos obrigados a conformar-nos com os poucos livros já vertidos ao português.

Nesse período, duas obras marcaram-me profundamente: Doutrinas Bíblicas, de P. C. Nelson, e Conhecendo as Doutrinas Bíblicas, de Myer Pearlman. Estudei a primeira num curso ministrado na Assembléia de Deus em Santo André. Quanto à segunda, peguei-a emprestada de meu pai. Li o irmão Pearlman com interesse vívido e fervoroso. Diversas vezes, o li. Era uma teologia simples, pura e linda. Não tinha o ranço da academia.

Vieram outros livros teológicos. Outras experiências teológicas também vieram. Por algum tempo, freqüentei o Instituto Bíblico Betel, onde, posteriormente, viria a lecionar. Quando de minha transferência para o Rio de Janeiro, em junho de 1984, fui convidado a lecionar no Instituto Bíblico Pentecostal. Naquela doce e zelosa casa de discípulos, ministrei, além de Teologia Sistemática, Filosofia, História da Filosofia e Ética Cristã.

Peço-lhe licença para voltar no tempo.
 
Desde a meninice, tive o prazer de ouvir grandes doutrinadores. Destaco o pastor da igreja de minha infância. O irmão Roberto Montanheiro, embora não fosse acadêmico de formação, sabia como dar um estudo bíblico. Suas prédicas eram sistemáticas e bem ordenadas. Era um homem profundo. Ouvi também o missionário Eurico Bergstén e o pastor José Pimentel de Carvalho. No Rio, tive a ventura de não somente ouvir, mas também conviver, por algum tempo, com o missionário Lawrence Olson.

O Senhor proporcionou-me, pois, uma rica e diversificada vivência teológica.

Dias desses, ao arrumar a biblioteca, deparei-me com a minha primeira Bíblia. Já surrada e toda marcada, era o presente de um pai a um adolescente de 13 anos. Li-a diversas vezes em voz alta. Dessa forma, numa casa rústica da vila Ferrazópolis, em São Bernardo, tinha início minha experiência teológica. De lá para cá, minhas leituras variaram e espraiaram-se noutros ramos do conhecimento. Mas jamais prescindi das Santas Escrituras. Sem elas, a verdadeira teologia é impossível.

Minha sincera oração é que todos os que se propõem a estudar teologia comecem por ler a Bíblia Sagrada. Afinal, se não conhecermos o Autor do Livro dos livros, como haveremos de falar e discorrer sobre o seu relacionamento conosco? Teologia também é experiência; não pode limitar-se ao campo árido e, às vezes, estressante da teoria.

A Deus toda a glória!

12 comentários

Samuel Marques Moreira

A CPAD News é um bênção (cada articulista), o costume dominical de ler e aprender da Bíblia com Claudionor de Andrade, seu estilo inconfundível e simples, e tantos outros, me fez reconhecer o texto, fiquei maravilhado. Por mais que pense em uma AD com uma universidade nacional, seminários teológicos por todo o Brasil, perder essa simplicidade sabia, acredito, que, é perder o nosso laço com Jesus. No alto dos 23 anos partilho "uma cultura teológica pela autodidaxia". Do sertão cearense, A Paz.

Inocêncio Gunga

Paz do Senhor pr. Claudionor! És nossa inspiração também cá em Angola. O seu testemunho vai motivar-me a ler oitra vez a bíblia. Obrigado!

César Lopes

É como o Pr. Claudionor já disse: "o teólogo deve ser um homem do livro, do Livro Sagrado". Outro dia estava relendo a biografia de Orlando Boyer, publicada em uma das edições do Mensageiro da Paz e Cheguei a me emocionar! Seu testemunho é tremendo e inspirador, Pr. Claudionor! A Paz do Senhor!

Aquiles Marcelino..

Que o Sr Deus o inspire na pessoa bendita do Espirito Santo a cada dia ;para realização de sua obra.

Sérgio Luís

Parabéns pelo texto,Pr.Claudionor. Hoje em dia fica muito difícil separar teologia de ideologia, pois,cada escritor quer “vender" sua “visão" das escrituras. Deve-se ter uma análise crítica sobre o assunto pautado,pois, INTERPRETAÇÃO SEM REVELAÇÃO É TEORIA VAZIA.

Ricardo Alves Leone

Pr. Claudionor, admiro suas obras e também me espelhei nestes autores que o senhor citou, lendo suas obras e aprendendo na minha 'jornada teológica' como não deixando de lado em primeiro lugar a Bíblia Sagrada. Que Deus lhe abençoe poderosamente nesta jornada até o fim.

Cristiano

Relato inspirador e particularmente motivacional. A Deus toda glória.

Edinei Siqueira

Parabéns, Pr. Claudionor por este artigo. Agradeço-lhe também pela mensagem "O bom obreiro" disponível no Blog: teologia pentecostal.

douglas gomes de lima santos

Pr claudionor ,o breve testemunho do senhor me marcou, pois se parece com um momento que passo em minha vida. Deus o abençoe.

Edinei siqueira

Parabéns Pr. Claudionor por este excelente texto, bem como pelo artigo sobre o Meteorito. Gostei também de sua mensagem "Bom Obreiro de Cristo" disponível no blog Teologia Pentecostal.

Geovane Leite

Sola Scriptura

JOHN LENNON

Paz do Senhor! Isso é muito inspirador,pr.Pois observamos que o senhor tem uma intimidade com A Palavra de Deus e não é eco dos livros.Suas reflexões e livros tem me ajudado muito. Sou grato a Deus pela sua vida. Estou muito feliz,pois vamos estudar mais uma lição comentada pelo senhor. Que deus continue lhe abençoando.

Deixe seu comentário







Perfil

Claudionor de Andrade Claudionor de Andrade é Consultor Teológico da CPAD, membro da Casa de Letras Emílio Conde, teólogo, conferencista, Comentarista das Revistas Lições Bíblicas da CPAD e autor dos livros “As Verdades Centrais da Fé Cristã”, “Manual do Conselheiro Cristão”, “Teologia da Educação Cristã”, “Manual do Superintendente da Escola Dominical”, “Dicionário Teológico”, “As Disciplinas da Vida Cristã”, “Jeremias – O Profeta da Esperança”, “Geografia Bíblica”, “História de Jerusalém”, “Fundamentos Bíblicos de um Autêntico Avivamento”, “Merecem Confiança as Profecias?”, “Comentário Bíblico de Judas”, “Dicionário Bíblico das Profecias” e “Comentário Bíblico de Jó”, dentre outros títulos da CPAD.

COLUNISTAS