Colunistas

Pr. Claudionor

Pr. Claudionor

DEFININDO A AUTÊNTICA CRISTOLOGIA BÍBLICA

Qui, 17/01/2019 por Claudionor de Andrade

Querido leitor,
Daremos sequência ao estudo sobre a Pessoa e a Obra de Nosso Senhor Jesus Cristo. Hoje, começaremos a definir a autêntica cristologia bíblica.

I. DEFININDO A AUTÊNTICA CRISTOLOGIA BÍBLICA

A cristologia de Paulo era simples, eficiente e salvadora. Na Segunda Epístola aos Coríntios, ele a define com as expressões mais sentidas do Calvário: “Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado” (2 Co 2.2). O apóstolo não perdeu tempo em diferençar o Cristo da Fé do Cristo da História. Mas, com audácia e coragem, proclamou aos gentios que somente Cristo pode resgatar o homem do inferno.

Passado algum tempo, escrevendo agora aos efésios, professa ele que há “um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos” (Ef 4.5,6). A partir desse pressuposto, busquemos uma definição da cristologia apostólica.

1. Definindo o indefinível. Sendo a cristologia o ramo mais nobre da teologia sistemática, ela pode ser definida, num primeiro momento, como o estudo ordenado e lógico da pessoa e da obra do Senhor Jesus Cristo. Ela é o resultado primário da teologia bíblica, cuja missão consiste em duas meticulosas tarefas. A primeira limita-se a destacar as passagens do Antigo e do Novo Testamento, que se referem, direta e indiretamente, ao Salvador da Humanidade. Já a segunda, um pouco mais complexa, tem como alvo a ordenação desses mesmos textos num todo harmônico, coerente, apologético e soteriológico.

A cristologia busca, ainda, recompor as condições históricas, culturais, sociológicas e políticas, sob as quais o Senhor Jesus viveu entre nós, desempenhou o seu ministério e cumpriu a tarefa que o Pai lhe designara: a redenção da humanidade. Sendo Ele eterno, submeteu-se ao tempo, a fim de dar-nos a vida eterna. E, não obstante Criador de quanto existe, submeteu-se temporariamente à criação; submeteu-se inclusive à morte de cruz, mas desta ressurgiu glorioso.

A cristologia autenticamente bíblica é consoladora.

Estamos diante da seção mais sublime da ciência divina. Não foi por mero acaso que os sete primeiros concílios ecumênicos da Igreja Cristã foram convocados a debater e a definir temas cristológicos. Sabendo Jesus o quanto sofreríamos para compreender-lhe a pessoa e a obra, declarou aos seus discípulos: “Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar” (Mt 11:27). Portanto, somente Deus para compreender plenamente Deus. Todavia, nós, os que recebemos a fé, temos a mente de Cristo (1 Co 2:16).

No estudo da cristologia bíblica, não é nosso intento esgotar o assunto, nem conhecê-lo em sua mais alta e escondida essência. Semelhante tarefa é-nos ainda vedada (1 Co 13.9; 1 Jo 3.2). Mas, conquanto naturalmente limitados, podemos ter uma cristologia plenamente salvadora, jubilosa e experimental.

Ao carcereiro filipense, Paulo expôs uma cristologia redentoramente sumária. Nesta exposição, ele não precisou mais do que 11 palavras: “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa” (At 16.31). Naquele instante, o apóstolo não perdeu tempo algum expondo àquela alma perturbada a diferença entre o Cristo da História e o Cristo da Fé, pois, segundo o teor de sua pregação, somente o Cristo da Fé tem poder para mudar a história do mundo e a biografia de um homem anônimo e oculto num calabouço.

Obs.: Querido leitor, na próxima semana, querendo Deus, daremos sequência a este trabalho. Que o Senhor nos abençoe e nos ilumine o coração, para compreendermos as riquezas de sua Palavra.
Em Cristo: Pr. Claudionor de Andrade

3 comentários

Pr. Rodrigo Clem

Parabéns pela exposição Mestre. De grande valia para nós e realmente a palavra de Deus é magnânima, esplêndida e digna de toda a aceitação. Cristologia o cerne de toda a Bíblia sagrada.

Claudionor de Andrade

Irmão Sérgio, obrigado por me ler o artigo doutrinário. Que Deus o abençoe.

Sérgio Luis

Que o SENHOR continue te abençoando. E o senhor a nós. Paz.

Deixe seu comentário







Perfil

Claudionor de Andrade Claudionor de Andrade é Consultor Teológico da CPAD, membro da Casa de Letras Emílio Conde, teólogo, conferencista, Comentarista das Revistas Lições Bíblicas da CPAD e autor dos livros “As Verdades Centrais da Fé Cristã”, “Manual do Conselheiro Cristão”, “Teologia da Educação Cristã”, “Manual do Superintendente da Escola Dominical”, “Dicionário Teológico”, “As Disciplinas da Vida Cristã”, “Jeremias – O Profeta da Esperança”, “Geografia Bíblica”, “História de Jerusalém”, “Fundamentos Bíblicos de um Autêntico Avivamento”, “Merecem Confiança as Profecias?”, “Comentário Bíblico de Judas”, “Dicionário Bíblico das Profecias” e “Comentário Bíblico de Jó”, dentre outros títulos da CPAD.

COLUNISTAS