Colunistas

Ciro Sanches Zibordi

Ciro Sanches Zibordi

A Assembleia de Deus e as outras Assembleias

Ter, 19/07/2016 por Ciro Sanches Zibordi

Sou pentecostal, membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus desde 1987, quando fui batizado com o Espírito Santo e nas águas. Creio em milagres, minha vida é um milagre, tenho visto muitos milagres. Nasci num lar pentecostal e cresci em meio a visões, revelações, curas, línguas estranhas etc. E, por mais que eu tenha hoje um lado contestador — que não é exclusividade minha, visto que Paulo (2 Co 11.3-15) e o próprio Senhor Jesus (Mt 23; Ap 2-3), só para exemplificar, também se opuseram a heresias e modismos —, sempre cri na multifacetada obra do Espírito Santo mediante a diversidade de dons, ministérios e operações (1 Co 12.4-11). Mesmo assim, sou contra, pois a Palavra de Deus também o é, ao movimento neoassembleiano, que é experiencialista, místico e prioriza manifestações como “cair no poder”, “unção do riso”, “unção do leão”, “unção da lagartixa”, além da ênfase exagerada à prosperidade financeira, que muitos chamam de uma “unção financeira dos últimos dias”.

Na adolescência e na juventude, tive contato com todo o tipo de manifestação pentecostal e pseudopentecostal. Sei o que são cultos no monte; conheço vigílias do “reteté”, que na minha época não recebiam esse adjetivo. Fui dirigente de duas congregações em São Paulo e conheci todo o tipo de crente, dos mais frios aos mais fervorosos; desde os mais céticos até os mais fanáticos. Por graça de Deus, sou ministro do Evangelho desde 1992, ano em que fui consagrado a presbítero (ministro local); recebi o título de ministro pela CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus) somente em 1997, na Assembleia de Deus do Belenzinho em São Paulo. Na ocasião, tendo o meu nome apresentado pelo saudoso pastor e pregador do Evangelho Valdir Nunes Bícego, fui consagrado ao santo ministério numa reunião presidida pelo pastor José Wellington Bezerra da Costa.

Que fique clara uma coisa: não sou um teórico, “frio”, “gelado”. Tenho plena convicção bíblica e experiencial de que o “cair no Espírito” e outras manifestações que ora ocorrem no meio assembleiano não têm aprovação divina. Não estou sendo apressado em minhas conclusões. Falo com conhecimento de causa, depois de ter analisado cuidadosamente as bases e os resultados das tais manifestações. Como tenho dito em meus livros editados pela CPAD, pessoas sinceras e tementes a Deus estão certas de que o “cair no Espírito” e a “unção do riso” são bíblicos. E algumas se apegam ao fato de manifestações similares às mencionadas terem ocorrido na Rua Azusa, em Los Angeles, no começo do século XX, e no início da Assembleia de Deus no Brasil. Mas é claro que as experiências relacionadas com o reavivamento do Movimento Pentecostal não se comparam com as aberrações que vemos hoje. Naquela época, não havia paletó e sopro “ungidos”, empurrões “sutis”, uivos, rugidos, latidos, pessoas rastejando pelo chão, grudadas na parede etc.

Além disso, não se deve supervalorizar as experiências vividas pelos pentecostais do começo do século XX, a ponto de as equipararmos às incontestáveis verdades da Bíblia. Devemos, sim, respeitar os pioneiros, mas a nossa fonte primacial, precípua, de autoridade tem de ser a Palavra de Deus. O “cair no poder”, a “unção do riso” e manifestações afins não se coadunam com os princípios e mandamentos contidos em 1 Coríntios 14. Essas manifestações aberrantes não edificam (v.12); contrapõem-se ao uso da razão, necessário num culto genuinamente pentecostal (vv.15,20,32); levam os incrédulos a pensarem que os crentes estão loucos (v.23); e promovem desordem generalizada (vv.26-28,40). Muitos neoassembleianos, defensores dessas manifestações, dizem que estão na liberdade do Espírito, porém o texto de 1 Coríntios 14 não avaliza toda e qualquer manifestação. No culto genuinamente pentecostal deve haver julgamento, discernimento, análise, exame (vv.29,33). Por isso, no versículo 37, está escrito: “Se alguém cuida ser profeta ou espiritual, reconheça que essas coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor”. Leia também 1 Tessalonicenses 5.21 (ARA); João 7.24 e 1 João 4.1.

Não tenho dúvidas de que o Senhor opera milagres extraordinários em nosso meio. Ele é o mesmo (Hb 13.8). Mas o que temos visto hoje em algumas Assembleias de Deus são práticas viciosas e repetitivas. Jesus curou um cego com lodo que fez com a sua própria saliva, porém Ele não metodizou esse modo de dar vista aos cegos. A obra de Deus surpreende, impressiona, positivamente, e deixa todos maravilhados (Lc 5.26). As falsificações são viciosas, premeditadas, propagandeadas, a fim de que o milagreiro receba a glória que é exclusivamente de Deus (Is 42.8). O “cair no poder”, a “unção do riso” e outros “moveres” não têm apoio das Escrituras e não podem ser equiparados ao batismo com o Espírito Santo, com a evidência inicial de falar em outras línguas, mencionado com clareza na Palavra de Deus (Jl 2.28,29; Mc 16.15-20; At 2; 10; 19; 1 Co 12-14 etc.). Por isso, os neoassembleianos recorrem a passagens que nada têm que ver com o assunto. Citam textos como 2 Crônicas 5.14 e 1 Reis 8.10,11 e dizem, com a boca cheia: “Os sacerdotes não resistiram a glória de Deus e caíram no poder”. Que engano!

Veja o que a Bíblia realmente diz: “E sucedeu que saindo os sacerdotes do santuário, uma nuvem encheu a Casa do SENHOR. E não podiam ter-se em pé os sacerdotes para ministrar, por causa da nuvem, porque a glória do SENHOR enchera a Casa do SENHOR” (1 Rs 8.10,11). Observe que eles saíram do local; não ficaram ali caídos. Não houve também um “arrebatamento em grupo”. A frase “não podiam ter-se em pé” tem sido empregada de modo errôneo e abusivo pelos neoassembleianos. Eles a interpretam como “caíram no poder”. Mas ela, na verdade, denota que os sacerdotes “não puderam permanecer ali”, o que fica ainda mais claro na versão Almeida Revista e Atualiza (ARA). Eles não suportaram permanecer no local ministrando! Não tinham como resistir a glória divina presente ali. Por isso, não permaneceram no local. Onde está escrito que eles caíram no poder?

Outro texto citado erroneamente em abono às manifestações neoassembleianas é João 14.12, pelo fato de mencionar “coisas maiores” do que as realizadas por Jesus. Mas o termo “obras” (gr. ergon) significa: “trabalho”, “ação”, “ato” (VINE. W.E. et al., Dicionário Vine, CPAD, p.764,827), e não “milagres” ou “manifestações”, estritamente. Essas obras maiores incluem tanto a conversão de pessoas a Cristo, como a operação de milagres (At 2.41,43; 4.33; 5.12; Mc 16.17,18). Exegeticamente, são obras maiores em número e em alcance. Dizem respeito à quantidade em lugar de qualidade. João 14.12, por conseguinte, não avaliza truques, trapaças, experiências exóticas e antibíblicas, além de fenômenos “extraordinários” (cf. Dt 13.1-4; 2 Ts 2.9; Mt 7.21-23). O paradigma, o modelo, dos pregadores da Assembleia de Deus deve ser o Senhor Jesus Cristo, que andou na terra fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do Diabo porque Deus era com Ele (At 10.38).

É perigoso quando resolvemos ter um ministério “sem limites”, em que nada pode ser contestado, à luz da Bíblia. Tudo deve, sim, ser regulado, controlado pelo Espírito Santo e pela vontade de Deus esposada em sua Palavra (Mt 7.15-23; 1 Jo 4.1; 1 Ts 5.21; 1 Co 14.29; Jo 7.24 etc.). Na Palavra de Deus não há nenhum fundamento para o “cair no poder” e outras aberrações. O Senhor Jesus nunca derrubou ninguém. Ele não arremessa pessoas ao chão mediante sopros “ungidos” e golpes de paletó. Quem gosta de lançar as pessoas ao chão é o Diabo (Mc 9.17-27). Em Lucas 4.35, está escrito: “E Jesus o repreendeu, dizendo: Cala-te e sai dele. E o demônio, lançando-o por terra no meio do povo, saiu dele, sem lhe fazer mal”. Jesus, o maior Pregador que já andou na terra, e seus apóstolos nunca impuseram as mãos sobre pessoas para levá-las ao chão. Eles jamais sopraram sobre elas ou lançaram parte de suas roupas a fim de derrubá-las.

Considero importantes os milagres e as curas, no nosso meio, mas, na hierarquização feita por Deus, o Ministério da Palavra tem prioridade (1 Co 12.28; Jo 10.41). Os sinais, prodígios e maravilhas devem ocorrer naturalmente, como consequência da pregação do Evangelho (Mc 16.15-20). Entretanto, hoje há muita imitação, falsificação, misticismo no meio dito assembleiano, que é na verdade neoassembleiano. Temos hoje, ainda, a Assembleia de Deus que se mantém fiel às suas origens, e há também outras Assembleias, que não têm mais compromisso com o Deus da Palavra e com a Palavra de Deus. “Converte-nos, SENHOR, a ti, e nós nos converteremos; renova os nossos dias como dantes” (Lm 5.21).

Ciro Sanches Zibordi

51 comentários

ROBSON

Parabéns Pastor Ciro, pelo esclarecimento. É fato que muitos de nossos obreiros (dirigentes e pastores), se deixam confundir, com tantas heresias, misticismo e inovações de homens carnais, que objetivam a autopromoção e holofotes. Colocando em cheque, essa nova geração que se deixam contaminar com esses movimentos e não buscam o verdadeiro conhecimento da GENUÍNA PALARA DE DEUS.....

Monara

Que texto incrível! Obrigada por ele, já estava pensando que o problema era comigo em questionar esse "neoassembleianismo", mas vejo que não estou só. Muito feliz por isso. Texto favoritado.

marcio

Pastor crente que aceitou jesus viveu dentro da escola dominical nos cultos de ensino e comeu alimento sólido a palavra como ela é esta sofrendo com estes tipos de cultos que esta dentro de nossas igrejas este miticismo a convenção geral precisa tratar destes assuntos porque estamos vendo isto acontecer,mas nossas lideranças parece estar de braços cruzados não podemos deixar a assembleia de Deus virar uma igreja mistica sem identidade nosso identidade é a palavra de poder.

ANTONIO Gomes da Silva Neto

Sou um simples auxiliar da Igreja, por que não temos voz? Pastor Ciro não é só o senhor que desaprova isso não, milhares de crentes não aprovam mas os pastores do nosso ministério querem a casa cheia!

Enoch Ribeiro dos Júnior

Paz do Senhor, pastor sempre uma excelente palavra. Por favor comente algo sobre o dízimo. Paz e Vida.

Alice

É difícil discordar do pr. Ciro com artigos sempre equilibrados.

Agnaldo Teles Sousa

A paz do senhor. Pr Ciro concordo plenamente com seu posicionamento bíblico acerca desses assuntos . Porém recentemente passei por essa experiência na congregação onde trabalho. Sofremos uma divisão por causa desses assuntos cair no poder, profetadas, supostas curas etc. Queria sua orientação de como a Igreja deve tratar essas pessoas. ..haja vista eles abriram trabalho do lado.

Márcio Assunção

A paz do Senhor Pastor Ciro Sanches. Parabéns por essa abordagem tão oportuna sobre os movimentos pseudopentecostais que tentam macular a nossa santa e tradicional Assembléia de Deus. Confesso, não minto, tenho ojerize por esses movimentos que envolvem misticismos, rituais escandalosos, profetadas e outras papagaiadas, tudo com o fim de parecerem super espirituais, considerando-se assim, novos mediadores entre o céu e a terra. A sã doutrina e poder genuíno do E.Santo é que alegram a Igreja A.D.

Samuel Henrique

Muito esclarecedor esse artigo. Muitos crentes estão errando por não conhecer as Escrituras, são mais levados por modimos. Pastor Ciro, gostaria que o senhor escrevesse um artigo sobre o Principio Regulador do Culto. Por que Vejo em muitas igrejas priorizando mais a dança, teatro e festas comemorativas dentro de local de culto, argumentando que isso é Biblico. Por exemplo, Davi dançou quando ele trouse a Arca para Jerusalém , eles usam essa passagem para defender a dança no culto

Gilberto de Lima Lemes

Muito oportuno essa mensagem, é de Deus .Deus abençoe o senhor pastor Ciro Sanches. Eu gostaria de saber se esta menssagem está contido em algum livro de sua autoria. Caso seja, por favor passe para o meu email e vou comprar. Qual o nome do livro?

Robson Vieira

Pastor Ciro paz do Senhor Jesus. Fico imensamente grato à Deus, por ter levantado servo comprometido, com a palavra de Deus. Belíssimo artigo parabéns.

Marcos Magnenti

O que vem ocorrendo nas igrejas e que o irmão Ciro vem nos alertando a muito tempo, se resumo em uma unica coisa, secularização. Felizmente temos pessoas, sabias, comprometidas com os valores genuinamente cristãos, que nos alerta e não nos deixa incautos a determinadas doutrinas.

José Carlos da Silva

Achei oportuno e coerente o texto do Pr Ciro e agora a outra investida dentro da AD é o MDA que tem mudado a face de algumas Igrejas e pastores desavisados estão sendo envolvidos nesse movimento que tem dividido em muito essa denominação. Concordo que há muita falta de conhecimento de nossos líderes e pouca cultura bíblica para rebater qualquer novidade que apareça.

Sérgio Luís

Pr.Ciro,a paz do Senhor. Todo o texto reflete, infelizmente, o universo assembleiano contemporâneo, salvo as exceções. Parte da culpa recai sobre aqueles líderes que,por ignorância, agiam tratando os fiéis como propriedade pessoal. Surgiram,assim, novas denominações e as “novas assembléias de Deus". O pior, é que, algumas autoproclamadas tradicionais,têm comportamento símiles à estas.

Fernando da Conceição

Texto muito oportuno, nobre pastor Ciro Sanches. A sua vida e o seu compromisso com a Palavra de Deus e com o Deus da Palavra trazem muita inspiração para minha vida cristã. Sou assembleiano e não abro mão das nossas origens. Que Deus o preserve esse "atalaia" dentro e fora da nossa denominação. Um forte abraço! Fique na paz do Senhor Jesus!

Victor Orellana

Me desencantei com a Assembléia na década de 90, naquela época, se difundiu um fenômeno lá e outras denominações, o "dente de ouro", acreditava que alguém por lá daria uma explicação satisfatória, já que era a "maior denominação pentecostal", pra minha surpresa todos demonstraram ignorância do mundo espiritual de cair o queixo, e o presidente, pastor Wellington, se limitou a não definir nada e deixando a cada crente que interpretasse como quisesse, se era de Deus ou do Diabo.

kedson barros dos santos

gosto muito do Pastor Ciro Sanches Zibordi ........acho ele alguém digno de ser imitado, ou não,...mas realmente gosto dele....ele entende muito da Bíblia....tem muita palavra....e seu livro Procuram-se Pregadores Como Paulo é excelente............e com isso continuo dizendo que eu gosto muito de seus artigos..... "O Trízimo e a Oposição ao Dízimo" , "A Pregação Heliocêntrica e Cristocêntrica" ambas do Jornal O Mensageiro da Paz....são muito boas e excelentes......

sebastião Adão Martins

Caro Pastor muito pertinente seu comentario, mas a luz do momento a nossa AD "original" esta caminhando para esse fim, o de aceitar tudo em seus cultos. Mas isso não é de hoje. Tem momentos que os chamados "pregadores" querem serem apresentados com o seu cabedal de diplomas senão a coisa não esta boa. Escutei em um congresso de missões que varios pastores não querem mais assumir igrejas fixas mas sim desejam ser pregadores itinerantes porque "rende mais dinheiro em suas contas bancarias",

marcio teixeira

Oh gloria Concordo plenamente com o pr Precisamos de uma renovação em nossa igreja com estas verdades aplicadas em nossas convenções e estátutos para que a igreja de Cristo não seja totalmente contaminada poreste circo que tem ocorrido em muitos locais precisamos voltae a sãdouteina biblica e não ficarmos com experiencias e meninices continuemos em nossas bases biblicas e combatendo com zelo paraque a obra do Espirito Santo não seja envergonhada

Jose Romão

Essa é a pior crise de identidade. É pura verdade.

Edson Martins Cury

Depois de ler esse texto do amigo Ciro, você que faz parte de uma dessas "outras Assembleias" ou demais denominações de movimentos parecidos, nunca mais será o mesmo(a) E por mais que você tente enganar a si mesmo, não conseguirá, pois será incomodado(a) em sua mente, porque Jesus disse: "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" João 8:32

Alex ferreira

Parabens pastor pura verdade nossas igrejas hoje pregasse muita prosperidade e pouca salvaçao e muitmgente caindo no poder do palitó e do assopro ou tbm no inpurrão onde a pessoa cai e depois nada aconteçe Precissamos Ouvir hoje em nossas igrejas é que jesus salva cura,liberta aqueles que veem até ele

João Donizete de Souza

Concordo em numero, gênero e grau. Alguém ousa a contradizer biblicamente? http://joaoiemp.blogspot.com.br/2010/12/cair-na-uncao-e-biblico-ou-modismo_27.html

Pb. Adelson Bezerra

A Paz do Senhor. Parabéns Pastor Ciro por este conciso, direto e contundente artigo. Muitos incautos assembleianos, como também de várias outras denominações, estão deixando-se levar por muitos(as) mercenários(as) que, induzem à práticas que na verdade, não têm respaldo bíblico exegético como o nobre pastor muito bem esclarece.

Douglas Fausto Rebelo

Este sincero irmão está no caminho certo. O Santo Espírito trabalha em seu coração. Logo logo ele ouvirá a voz do Senhor. "SAI DELA POVO MEU"

MissNancy Nunes

Graça e Paz da parte do Senhor Jesus Cristo, Lochemet Kadosh, e muito obrigada pela lição, aliás pelos ensinos que muito tem me edificado como assembleiana que caminha rumo á Jerusalém Celestial... Todá rabá, Lochemet...

Daniel Alves

Paz do Senhor Ciro Sanches Zibordi, Excelente! Sou dirigente de uma pequena congregação Assembleiana e tenho dito que algumas de nossas Igrejas que mesmo tendo uma placa "Assembléia de Deus" não têm as características de uma. Precisamos de uma reforma!

Elizeu Ruivo da Silva

Pastor Ciro Sanches, colocação maravilhosa do Senhor e Bíblica, concordo plenamente com tudo que foi colocado.

Hernani Augusto

Parabéns , pura verdade>>>>

Daniel Bernardes de Andrade

Lamentavelmente estamos sendo defrontado por esses homem sem escrúpulos,e somos tidos como crentes frios quando na verdade não somos meninos na fé .

Hebrom Mídias

Concordo plenamente com o nobre e estimado Pr Ciro http//lencoismaranhenses.tk

Misael Soares Ribeiro

Perfeito, Pr. Ciro! O próprio Jesus alerta, em Mateus 22.29, que "errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus". Muito esclarecedor e didático a sua postagem, precisamos conhecer e continuar buscando o conhecimento de Deus na Sua Palavra objetivando não nos colocarmos como presas fáceis desses modismos "neopentecostais" que só desvirtuam e adulteram a genuína Palavra de Deus que, por via de consequência, pode e está levando muitas almas à confusão e perda da salvação. Abraços!

Israel Cândido da silva

Me perdoe a minha sinceridade meu pastor. Moro em tucurui-Pará assembleia no desde o nascimento, na minha adolescência me perdi na caminhada aprouve a Deus ter me aceitado de volta a 10 anos a traz fiz uma nova aliança. ASSISTIR UM CULTO HOJE AQUI A DIFERENCA E MUITO POUCA DE ESTAR EM UM TERREIRO DE MACUMBA. ME perdoe estou sendo sincero

Luciano Santos

Uma abordagem clara e bíblica a respeito do assunto, muita gente hoje está confundindo emoção com a vontade do Espírito Santo.

Ivan

A paz do Senhor querido Pr. Ciro. Gosto muito de seus livros e das colunas que aqui escreve. Mas tenho uma dúvida, não vejo o cair no poder e unção do riso qualificadas como dons espirituais, assim como o texto de coríntios qualificada outros dons, como os de línguas estranhas, curas etc. Vejo esses movimentos como manifestações do Espírito, longe de ser dons, pois os dons tem o propósito de edificar a igreja de Cristo. Mas as manifestações? Quem pode parar aquilo que o Espírito quer fazer?

Marcus Vinicius Barros da Silav

Graça e Paz querido Pastor. Sou membro de uma Primeira Igreja Batista do Rocha (SG), filiada a CBB e acompanho os textos do irmão. Parabéns pela lucidez com que afirma, que o verdadeiro Evangelho deve ser "... controlado pelo Espírito Santo e pela vontade de Deus esposada em sua Palavra".

Julio Cesar

Verdade, como ex membro da Assembleia de Deus, sou obrigado a concordar, sou filho de um saudoso pastor das Assembleia de Deus tradicionalíssima onde a cede fica na região norte da cidade do Rio de Janeiro e não suportei mais congregar nesse lugar,onde começaram a dar ênfase a "milagres, prodígios e prosperidade sem falar em politicagem, hoje estamos vendo esse tal político no antro da corrupção envergonhando os evangélicos, fico pensando que se meu pai ainda estivesse vivo estaria arrasado.

Jarmes

Excelente

João Batista de Freitas

Parabéns meu amigo e companheiro pastor Ciro. O nosso Brasil infelizmente cada dia uma bactéria das heresias está deixando a a Igreja cada dia enferma e o único remédio para combater é com a exposição das escrituras. Que continue levando profeta verdadeiro nesta nação.

Paulo Martins

Pastor Ciro, gostaria de saber, de acordo sua opinião, o ministério do pastor canadense, Roy Durman, não tem aprovação, uma vez que adotava essa prática de derrubar pessoas?

José Márcio IEMP

Sensacional, bereanismo puro.

Edson Martins

A paz de Cristo,prezado pr como membro da igreja ass. de Deus e obreiro na casa do senhor,tenho me preocupado com esses movimentos em nosso meio.Por isso é válido o seu posicionamento e me identifico com o senhor.Penso que precisamos continuar orando ao Senhor,e pedir a ele que continue usando homens com conhecimento bíblico e coragem para refutar essas práticas nocivas ao nosso ministério.pois isso se tornou perigoso aos princípios bíblicos originais. Deus o abençoe..

Eleno Gutemberg Silva

Texto muito esclarecedor, sou de um ministério que leva o nome de Assembléia de Deus, sou pastor de uma congregação e penso que os líderes da assembléia de Deus tem que despertar um verdadeiro avivamento, na defesa das tradições e na sã doutrina dos apóstolos. Seguimos a revista da EBD, CPAD e é muito bom, mas infelizmente muitos estão perdendo os valores edo revestimento espiritual. Deus abençoe .

Valmir de Souza Cursino

Acredito que tenho essa posição também. Sou assembleiano há 50 anos e tenho vivido maravilhas do poder de Deus, sem essas meninices. Um abraço.

Gean Marques

Olá Pastor, Acredito que uma parte está se tornando familiarizada pelo neoassembleianismo, na minha cidade João Pessoa, onde são exibidos programas no rádio, de temática neopentecostal, claro promovida por outra denominação que alugou ou comprou horários. É muito triste essas pessoas se dirigindo a um publico tão coerente e inteligentes biblicamente que são os cristão da assembleia, este programa que citei estimula seções de "desencapetamento" com milagres e curas, tipicas do neopentecostalismo.

Eleno Gutemberg Silva

Texto muito esclarecedor, sou de um ministério que leva o nome de Assembléia de Deus, sou pastor de uma congregação e penso que os líderes da assembléia de Deus tem que despertar um verdadeiro avivamento, na defesa das tradições e na sã doutrina dos apóstolos. Seguimos a revista da EBD, CPAD e é muito bom, mas infelizmente muitos estão perdendo os valores edo revestimento espiritual. Deus abençoe .

José Roberto de Melo

Excelente texto pastor Ciro, e posso endossar porque isso são verdades. Um certo dia um professor me disse, você sabia que há "heresias" nas assembleias de Deus? Fiquei pensando um pouco, e lhe perguntei, por exemplo? E ele começou a citá-las, então, ai estão as declarações do pastor Ciro, e isso mesmo. Mas pastor, quero lhe dizer uma coisa, tudo isso a culpa é justamente dos ministérios, pois hoje estão consagrando obreiros que nem sequer foram diáconos, ou melhor, nem passaram por experiência.

Kelvi

Parabéns pelo ótimo texto! A Igreja, independentemente da denominação, tem que ter a suas base nas Sagradas Escrituras e não apenas em experiências pessoais. Que Deus levante mais homens sérios com a Palavra de Deus como Deus tem te levantado. Sola Deo Gloria

Chrisley A Barcelos

Falou a pura verdade Pastor Ciro hoje e muito barulho e nada de manifestação do Espírito Santo, o v3rdadeiro pentecostal não se porta dessa maneira desordenada e sem discernimento espiritual.Deus continue usando vc poderosamente.

Pedro Henrique

Excelente texto Pastor Ciro. Graças a Deus, temos em nossa denominação homens como o senhor que examinam a palavra de Deus e a ensina com lucidez e clareza. Infelizmente em muitos estados, e a partir das muitas divisões, existentes em nossa denominação muitas "Assembleias" estão surgindo sem nenhuma ortodoxia na palavra!

Oziel Malaquias

Que Deus continue te abençoando Pastor Ciro.

Deixe seu comentário







Perfil

Ciro Sanches Zibordi é pastor, escritor, membro da Casa de Letras Emílio Conde e da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Autor do best-seller “Erros que os pregadores devem evitar” e das obras “Mais erros que os pregadores devem evitar”, “Erros que os adoradores devem evitar”, “Evangelhos que Paulo jamais pregaria”, “Adolescentes S/A” e “Perguntas intrigantes que os jovens costumam fazer”, todos títulos da CPAD. É ainda co-autor da obra “Teologia Sistemática Pentecostal”, também da CPAD.

COLUNISTAS