Colunistas

Ciro Sanches Zibordi

Ciro Sanches Zibordi

Namoro: isto ainda existe?

Sex, 03/02/2017 por Ciro Sanches Zibordi

Quando eu era jovem, tive a felicidade de ter sido instruído por meus pais e pastores acerca do namoro cristão. Aprendi que, para ser abençoado no casamento, é preciso começar certo, tendo um namoro de acordo com a vontade do Senhor (Rm 12.1,2), já que “aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre” (1 Jo 2.17).

Como meu namoro foi grandemente abençoado por Deus, sinto-me no dever de ajudar a outros, apesar de saber que o que vou dizer aqui parecerá ultrapassado, arcaico e rígido demais para o mundo pós-moderno, em que prevalecem o relativismo, o hedonismo, o egoísmo, o imediatismo e o narcisismo. Mas espero ajudar pelos menos os jovens cristãos realmente interessados em glorificar a Deus em tudo (1 Co 10.31).

Há três fases muito importantes num relacionamento afetivo: namoro, noivado e casamento. O namoro é a fase em que o futuro casal deve se conhecer e, por isso, precisa conversar, conversar, conversar... O noivado é o período de preparação para o casamento, isto é, a união do casal propriamente dita.

O que é o namoro?

Confunde-se, hoje em dia, namoro com flerte, aventura e relacionamento sem compromisso. O chamado “ficar” parece ter chegado para ficar, mesmo. E é comum ouvir jovens dizendo: “Eu só fiquei com ele naquele dia; não foi nada sério”. Entre as pessoas que não temem a Deus prevalece a ideia de que os namorados podem se relacionar intimamente, sem nenhuma restrição. E vemos psicólogos e a própria mídia incentivando isso.

O namoro — namoro, mesmo! — é uma fase de conhecimento recíproco, que precede o período de preparação para o casamento: o noivado. Na palavra “namoro” está contido o termo “amor”, evidenciando que não se trata de um período sem importância. O namoro verdadeiro é para pessoas que se amam, e não para aquelas que apenas têm uma atração passageira ou simplesmente não querem ficar sozinhas.

Quando começar um namoro?

Para se começar um namoro, é preciso ter alcançado a maturidade, período que só vem após a adolescência, uma fase de transição entre a infância e a juventude. Como não se trata de passatempo, e sim de uma importante etapa, só deve pensar em namoro quem realmente está determinado a casar. Quem namora por namorar começa errado e sofrerá as consequências (Gl 6.7). Mas quem pensa em namoro sério precisa, necessariamente, se preocupar com as condições mínimas para um futuro casamento.

Certo rapaz que havia pedido uma jovem em namoro ouviu dela o seguinte: “Eu gostei de você, mas quero que converse com o meu pai”. O rapaz concordou em pedir permissão ao pai da jovem para namorá-la (prática que, hoje em dia, é tida como retrógrada, infelizmente) e, então, chegou o dia do interrogatório:
— Você trabalha? — perguntou o pai da jovem.
— Não, mas Deus vai me ajudar — respondeu o rapaz.
— Estuda?
— Não; precisei parar. Mas Deus vai me ajudar.
— Tem ideia de como sustentará a minha filha quando casarem?
— Não, mas tenho certeza de que Deus me ajudará...

Após ouvir tantas resposta repetitivas, o pai disse a sua filha: “Descobri que sou Deus...”

Sabemos que Deus ajuda a quem se esforça, tem vontade de estudar, trabalhar etc. (Jó 5.7; Pv 31.27). Nesse caso, quem namora — namora, mesmo! — deve ter um alvo: o casamento. E deve trabalhar em prol de tal realização, por mais estranhos que isso possa parecer nesses tempos pós-modernos.

Como encontrar a pessoa ideal para namorar?

Quem pensa em namorar de verdade, tendo como objetivo o casamento, precisa atentar para o seguinte:

Ore com fé, esperando no Senhor (Sl 40.1). Ele é poderoso para ajudar o jovem cristão a encontrar a pessoa certa (Pv 19.14). Ao mesmo tempo, é necessário procurar (Pv 18.22), pois em tudo, na vida, existe a parte de Deus e a do homem (cf. Pv 16.1,2; Tg 4.8).

Tenha cuidado com os profetizadores casamenteiros (Ez 13.2,3; Ap 2.20). A profecia, como dom do Espírito Santo que se manifesta, comumente, num culto coletivo a Deus, não serve, em regra geral, para ajudar os jovens crentes a encontrarem a “pessoa preparada”. Suas finalidades são edificação, exortação e consolação do povo de Deus (1 Co 14.3). Muitos hoje são infelizes em sua vida conjugal porque deram ouvidos a falsos profetas. Namoro é coisa séria! Não se deve permitir que a escolha tenha a interferência de terceiros, exceto a dos pais, que devem sim aconselhar e ajudar os filhos nessa tomada de decisão.

Procure uma pessoa segundo os critérios contidos na Palavra de Deus. Nessa busca, é necessário identificar qualidades, como a espiritualidade (1 Co 2.14-16; 5.11), que é uma beleza interior (Pv 15.13). Muitos se preocupam demasiadamente com a beleza física, que é enganosa (Pv 31.30). Esquecem-se de que a beleza do coração é a mais importante (1 Sm 16.17) e permanece mesmo com o passar dos anos, enquanto a exterior é ilusória, passageira e morrerá tal como uma flor (Pv 11.22; 1 Pe 1.24,25).

Preocupe-se com a incompatibilidade (Am 3.3). Muitos hoje dizem que isso não é importante e pensam que podem namorar uma pessoa descrente para ganhá-la para Jesus. Fazer isso, no entanto, é o mesmo que se jogar em um poço para tentar salvar alguém que lá caiu. E ninguém faria isso. Deve-se jogar a “corda” do Evangelho para o não crente se salvar, mas sem nenhum envolvimento sentimental. Antes de começar um namoro, é preciso verificar se não há incompatibilidades espiritual, social, etária, cultural etc. A mais perigosa é a espiritual (2 Jo vv. 10,11).

Considerando que a Bíblia chama os incrédulos de filhos do diabo (1 Jo 3.10), não havendo, pois, meio-termo, relacionar-se com um significa ter o Diabo como sogro. Não pense que um filho do Diabo terá Deus como sogro, em razão de se relacionar com uma filha de Deus, equilibrando, assim, o relacionamento. Nos casos de mistura, sempre é o crente o prejudicado (Gn 6.1-4; 1 Co 10). Por quê? Porque está pecando conscientemente, ignorando o que a Palavra de Deus ensina quanto ao jugo desigual com os infiéis (2 Co 6.14-18). Não há, portanto, nenhum consenso entre a luz e as trevas, entre Cristo e Satanás.

Que cuidados se deve tomar em um namoro?

Aos que já namoram dou também alguns conselhos. É preciso ter a preocupação de não exceder nas intimidades (2 Tm 2.22). Não é preciso se sentar a um metro de distância nem pedir para alguém ficar entre os dois. Todavia, não se deve confundir carinho com carícias, que devem ser guardadas para o casamento (cf. Pv 6.27,28; 20.21). Para isso, é preciso vencer as concupiscências, cobiças (Tg 1.14,15; 1 Jo 2.15-17), seja a dos olhos (Gn 3.6; Js 7.21; Mt 6.22,23), seja a da carne (1 Co 6.19,20). Peço ao leitores interessados no assunto que confiram todas as referências bíblicas, pois elas são muito mais relevantes do que as próprias palavras deste consulente.

Quanto tempo deve durar o namoro?

Nem muito nem pouco tempo. Geralmente, quem prolonga o período do namoro é porque não tem vontade de casar. Alguns, após longos anos, casam, mas não são felizes. O motivo? É possível que o casamento tenha sido ocasionado por pressão, e não por amor verdadeiro. Por outro lado, quem namora pouco tempo, não se prepara suficientemente para o casamento e poderá ter problemas sérios de ajustamento conjugal.

Como conduzir o namoro de acordo com a vontade de Deus?

Leia sempre a Palavra de Deus (Sl 119.105); ore todos os dias (1 Ts 5.17; Jr 33.3); cultive o amor (1 Co 16.14; 13.4-8), pois, sem ele, não há razão para existir namoro; aprenda a renunciar; não seja sempre o “dono da verdade” (Fp 2.4); saiba viver em harmonia (Pv 17.1), aprendendo a “dar o braço a torcer” (Pv 15.1); seja fiel, pois, quem não é fiel no namoro, não o será no casamento. Quem ama de verdade se mantém fiel até o fim (Pv 5.15-20; Ml 2.14,15).

Ciro Sanches Zibordi

7 comentários

Willans Pastor Santos

Muito importante essa mensagem, aprendi bastante sobre esse assunto.

oberdan

Eu acredito em pessoas preparadas pois para isso tem que Orar pra Deus Mostrar e nao escolher a que for agradavel aod olhos,pra isso tem Direçao e Sabedoria da parte de Deus pra ver a pessoa de Deus e mesmo procurando ou nao a pessoa acha oque Deus mandou pra se concretizar Pv 18;22 Procurar nao e obrigatorio.

Angelina

Nunca havia lido algo tão fantástico... Q Deus continue te abençoando e te usando.

Nardel Gama

Pastor Ciro, pode ter beijo no namoro Cristão? Essa é uma dúvida de muitos jovens ...

Sérgio Luís

Amado pastor, texto atualíssimo e infelizmente aplicável em muitas de nossas congregações. Hoje em dia em nome da “unidade"da igreja e do politicamente correto, nossos líderes resolvem situações como estas, “blindando" os envolvidos e maquiando a disciplina. "E DISSE aos discípulos: É impossível que não venham escândalos, mas ai daquele por quem vierem!" Lucas 17:1

Matheus Pantoja

Ótimo, adorei essa matéria. 👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

PEDRO FILHO

Meus singelos parabéns à sua coluna Pr. Ciro. Tornei-me um leitor cativo de seus artigos tão ricos em bons ensinamentos. Deus te abençoe!

Deixe seu comentário







Perfil

Ciro Sanches Zibordi é pastor, escritor, membro da Casa de Letras Emílio Conde e da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Autor do best-seller “Erros que os pregadores devem evitar” e das obras “Mais erros que os pregadores devem evitar”, “Erros que os adoradores devem evitar”, “Evangelhos que Paulo jamais pregaria”, “Adolescentes S/A” e “Perguntas intrigantes que os jovens costumam fazer”, todos títulos da CPAD. É ainda co-autor da obra “Teologia Sistemática Pentecostal”, também da CPAD.

COLUNISTAS