Colunistas

Ciro Sanches Zibordi

Ciro Sanches Zibordi

Conselhos aos universitários cristãos

Seg, 23/05/2016 por Ciro Sanches Zibordi

É muito comum, em cursos de graduação, mestrado ou doutorado etc., alunos cristãos ouvirem gracejos, ironias, comentários preconceituosos a respeito do cristianismo e verberações contra Deus. Não é por acaso que filmes apologéticos como God’s not Dead (Deus não Está Morto) fazem grande sucesso. Eles são uma resposta eficaz aos ataques que os professores e alunos estadunidenses vêm sofrendo simplesmente por terem escolhido seguir a Jesus Cristo.

Alguns universitários cristãos, diante das perseguições, costumam reagir, às vezes de modo hostil. Mas isso não é bom, haja vista o que está escrito em 1 Pedro 3.15: “estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós”. E, pensando nessa dificuldade que os servos de Deus enfrentam, ao longo da sua vida acadêmica, resolvi escrever alguns conselhos, especialmente aos jovens estudantes de ciências sociais e humanas, que têm sofrido os principais ataques no campo ideológico.

1. Não se indisponha com os professores ou colegas. Conscientize-se de que você ingressou na vida acadêmica, sobretudo, para aprender e apreender o que é ensinado, edificando sobre o inabalável fundamento da fé cristã (1 Co 3.10-15). Lembre-se de que o apóstolo Paulo, conquanto tenha tido contato com muitos filósofos, ao passar por importantes centros do saber, como Atenas (de Platão, dos epicureus, estóicos etc.) e Mileto (berço da filosofia pré-socrática), manteve a serenidade e não se deixou influenciar por eles (cf. At 17-20).

2. Procure apreender o que é bom. Muitos educadores, a despeito de serem ateus ou agnósticos, são grandes mestres, com os quais podemos aprender valiosas lições. Ao estudar as principais ciências, eles — que são homens naturais, sem a iluminação do Espírito (1 Co 2.14-16) — passam a considerar a fé cristã e o Santo Livro como seus inimigos figadais. E se sentem no dever de negar veementemente qualquer possibilidade de casamento entre fé e ciência. Sabemos que isso ocorre, na verdade, porque “o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus” (2 Co 4.4).

3. Leve em consideração que os professores não respeitam a cosmovisão judaico-cristã. Eles estão presos à sua ideologia; não os veja como inimigos, mas ore por eles (cf. Mt 5.43,44). Boa parte dos professores de Direito, Ciência Política, Filosofia, Sociologia, Antropologia, Psicologia, História, Linguística, Teoria da Literatura e disciplinas afins emprega ferramentas epistemológicas e metodológicas contrárias à Palavra de Deus. Eles têm como fonte de autoridade, além da sua própria razão, os grandes filósofos, sociólogos etc.; e não a Bíblia, e as ciências derivadas dela, como: a Teologia Exegética (Hermenêutica e Exegese), a História do Cristianismo, a Teologia Sistemática, a Bibliologia, a Teologia Prática, a Arqueologia Bíblica, a Filologia Sagrada etc.

4. Mantenha-se focado em seus estudos. Pensemos num ateu ou agnóstico que resolve fazer um curso de Teologia em uma faculdade evangélica. Na década de 1990 — quando cursei Teologia pela Faculdade Evangélica de São Paulo (Faesp) —, tive um colega de classe não evangélico. Conquanto ele se sentisse incomodado com alguns ensinamentos, sempre afirmava: “Estou aqui para estudar, e não para polemizar”. Apliquei esse princípio ao estudar ciência política e tive um bom aprendizado. Lembro-me de quando um professor me pediu para discorrer sobre Thomas Hobbes (1588-1679), autor de O Leviatã (1651) e outras obras de grande relevância. Tive muita vontade de mostrar o lado teológico desse pensador inglês, mas mantive o foco no assunto em pauta (política), a despeito de ter feito menção de que ele tinha grande apreço pelas Escrituras, mesmo depois da chamada “era das trevas”, a Idade Média.

5. Exponha sem medo as suas convicções, se tiver oportunidade. No primeiro filme God’s not Dead, um aluno cristão é desafiado pelo professor a defender sua fé. No segundo, uma professora é processada por responder a uma pergunta de uma aluna a respeito de Jesus Cristo. Isso, se ainda não ocorreu, poderá acontecer com você, em algum momento, na apresentação de um trabalho, em algum debate etc. Não tenha medo de falar da Palavra de Deus; esteja preparado; demonstre seus conhecimentos segundo a graça do Senhor; e lembre-se do que disse o Senhor aos seus discípulos, em Mateus 10.19: “não vos dê cuidado como ou o que haveis de falar, porque, naquela mesma hora, vos será ministrado o que haveis de dizer”.

Ciro Sanches Zibordi

21 comentários

Misael lopes

Muito interessante!

Adilson

Eu tenha uma opinião sobre a ciência e a religião. Quando a nossa fé se apresenta a ciência e religião pará.

Joares Junior

A Paz do Senhor Pastor. Sou membro da Assembleia de Deus- Min. Belém em SJC-SP. Também, pela misericórdia de Deus, sou professor universitário com graduação, mestrado e doutorado em Física. Recomendo também as palestras do prof. Marco Eberlin (Prof. Titular na Unicamp), membro da igreja Batista e defensor da fé cristã no meio acadêmico.

Ciro Sanches Zibordi

Manoel Argolo da Cruz, o senhor está equivocado. É um erro pensar que os cientistas são seres superiores! Afinal, a "ciência" é multifacetada. Há muitas ciências. E, por outro lado, há muitos cientistas CRISTÃOS renomados. Procure saber algo a respeito de Adauto Lourenço, para citar um brasileiro. Procure assistir no YouTube, também, aos vídeos de William Lane Craig, Lee Strobel, Rice Brooks etc., para que não tenha uma opinião preconceituosa a respeito dos eruditos cristãos. Grato pela visita.

Tales Pires Rocha

Sou acadêmico, curso Administração, tenho passado por essas experiencias onde os mestres e doutores aplicam as suas ideologias; no primeiro período tive uma professora de psicologia que relatou algo que min superientende quando ela relatou que era "crista", o comportamento da mesma é totalmente fora dos padrões bíblicos, mais finalmente no final da matéria observei que o meu comportamento chamou há atenção da mesma; em fim que venhamos fazer a diferença pois somos a Luz do Mundo.

Manoel Argolo da Cruz

Prezado Pastor Ciro Gomes, Uma das coisas mais importantes nas democracias é o debate racional, lógico e com fundamentos. Há um grande engano em dizer que cientistas são ateus ou que negam a Deus. Há tantos cientistas ateus como há em qualquer outra categoria. Cientistas não brigam com religiosos, mas religiosos é que brigam com os cientistas. Cientistas derrubaram diversos credos religiosos, pois, afinal caro Pastor, política e religião são apenas especulações.

Ciro Sanches Zibordi

Caro Clayton Guerreiro, o que é óbvio é que o senhor não entendeu o propósito do texto. Leia-o de novo, devagar, com calma... Talvez, ao final, sua reação não seja expressada por "Eu, hein!", e sim por: "Meu Deus!" Boa (re)leitura!

Clayton Guerreiro

" Eles têm como fonte de autoridade, além da sua própria razão, os grandes filósofos, sociólogos etc.; e não a Bíblia, e as ciências derivadas dela..." Isso não é meio óbvio, em se tratando de um espaço de estudo científico? Quem quiser estudar Bíblia, Hermenêutica, Exegese etc, não deve se matricular em uma faculdade de teologia ou seminário? Eu, hein!

luis claudio de carreira de araujo

Pastor Ciro Sanches, estes conselhos foram mui preciosos tanto para quem está cursando uma faculdade quanto para quem vai cursar ( como eu). Há também faculdades cristãs que põem em dúvidas alguns pontos de nossa fé. Um abraço e que o nosso Senhor continue te inspirando.

Ciro Sanches Zibordi

Caro Luiz Henrique de Almeida Silva, sugiro que o irmão e outros interessados assistam ao filme God's not Dead (1 e 2). Leiam também o livro, com o mesmo nome, de Rice Broocks, bem como as obras de Lee Strobel, Charles Colson, Nancy Piercey, Norman Geisler etc., onde encontrarão as informações desejadas. Meu texto tem como objetivo apenas despertá-los, a fim de que estejam preparados para responder (1 Pe 3.15). Que Deus os abençoe.

Ciro Sanches Zibordi

Agradeço a todos os irmãos pelos comentários. Que Deus os abençoe!

Jessé Feitosa

Pastor Ciro Deus abemçoe mais uma vez por essas dicas tão importantes, eu estou cursando pedagogia e tenho visto os professores verberarem contra os princípios judaico-cristãos e eu precisava muito de orientação pra continuar esse curso que tanto almejo pois eu ja estava meio que desanimado por ouvir tantos ataques e deboche à fé cristã mas depois dessas dicas ficará mais fácil prosseguir. Deus te abençoe sempre, um abraço. (Quando puder publique mais sobre esse assunto).

Luiz Henrique de Almeida Silva

Seria interessante que o irmão escrevesse sobre quais os tipos de ataques e as respostas para esses ataques. Assim os estudantes teriam como se defender.

JOSÉ MARCOS IEADPE

Excelente texto! A juventude cristã precisa defender com sabedoria a sua posição como verdadeiro servo do Senhor nos bancos escolares! Pela graça e misericórdia do Nosso Deus tive a oportunidade de concluir um curso superior (Economia na UFPE), mas, entrei como crente e terminei crente ainda mais! O verdadeiro cristão jamais se deixará levar pelas vãs filosofias!... Deus vos abençoe em Cristo Jesus!

Flaviana Alzira

Sábios conselhos Pastor Ciro, principalmente para quem faz faculdade de Serviço Social.

Sérgio Luís

Pr.Ciro,a paz do Senhor. É comum ouvir de jovens, inclusive cristãos,recém ingressos na faculdade esta frase:“- Até agora me enganaram sobre Deus, a biblia, criação, etc." são confrontados com o “cristo histórico", o big-bang,a teoria da evolução e outros. Então, chega a dúvida e até descrença. Nossos jovens precisam de melhor ensino bíblico.ao invés de “night gospel" e coisas do gênero.

Maurício de Souza Lino

Caríssimo, paz fraterna! Estou terminando minha graduação em História, e há dois anos atrás, tive problemas com meu professor de sociologia, a ponto de me mandar calar a boca. Foi o máximo! A partir daí, mantive-me focado no assunto, e deixei de levantar questões polêmicas, que contradiziam as Escrituras Sagradas Sei que terei boas oportunidades para relevar os temas polêmicos. Há tempo para todas as coisas. É importante estes conselhos. Parabéns pelo post.

Marco Leme

A paz! Obrigado por este valioso conselho Pr. Ciro, estava precisando muito.

Weverton Martins Soares

Muito importante esses conselhos Pr. Ciro, sou estudante de direito e já estudei sobre vários filósofos. Continue compartilhando materiais como esse. A paz do Senhor Jesus!

Claudio Ananias

Muito bom os conselhos pr. Ciro. Nossa juventude cristã precisa deles.

Mailson Jerônimo

Muito bom!!!!!!

Deixe seu comentário







Perfil

Ciro Sanches Zibordi é pastor, escritor, membro da Casa de Letras Emílio Conde e da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Autor do best-seller “Erros que os pregadores devem evitar” e das obras “Mais erros que os pregadores devem evitar”, “Erros que os adoradores devem evitar”, “Evangelhos que Paulo jamais pregaria”, “Adolescentes S/A” e “Perguntas intrigantes que os jovens costumam fazer”, todos títulos da CPAD. É ainda co-autor da obra “Teologia Sistemática Pentecostal”, também da CPAD.

COLUNISTAS