Colunistas

Ciro Sanches Zibordi

Ciro Sanches Zibordi

O que a Bíblia diz sobre o Milênio? (parte 2)

Qua, 02/03/2016 por Ciro Sanches Zibordi

Com o Anticristo, o Falso Profeta e os representantes das nações opressoras de Israel para sempre no Inferno, além de Satanás aprisionado por mil anos no Abismo (cf. Ap 19.11-20.3), o mundo terá um novo começo. Haverá mil anos de paz, justiça e prosperidade, sob o comando do Rei dos reis e Senhor dos senhores (Is 33.22). Como o próprio termo “milênio” sugere, será um período de mil anos em que a Igreja reinará com Cristo na Terra (Ap 20.4). Trata-se de uma época áurea, aguardada com muita ansiedade por Israel e pela Igreja. Se alguém pensa que os judeus estão equivocados quanto a esperarem um Reino messiânico na Terra (Lc 2.38; At 1.6), é bom atentar para o fato de que o próprio Senhor Jesus não tirou deles essa esperança. Ao ser perguntado sobre o tempo da restauração do tal Reino, Ele apenas respondeu: “Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder” (At 1.7). Mas não é somente Israel que tem essa esperança.

A oração diária de quem ama a Segunda Vinda de Cristo é: “Venha o teu Reino”, pois hoje já fazemos parte do Reino de Deus — que implica domínio divino nos corações do seu povo e no meio dele (Mt 12.28; Jo 14.23; Mc 9.1; Cl 1.13) —, mas o Milênio será estabelecido na Terra, literalmente (1 Co 15.24-28). O Reino Milenar é também a última dispensação: a da “plenitude dos tempos”, ainda que alguns insistam em dizer que as dispensações foram “fabricadas” pelos dispensacionalistas. Um exame sem preconceito de algumas passagens bíblicas é suficiente para nos convencer de que o Senhor sempre teve as suas maneiras de tratar com a humanidade, fazendo com ela alianças que ensejaram dispensações, por assim dizer (cf. Gn 2.15-17; 3.9-24; 9.8-17; 12.1-3; Êx 20—23; Dt 28; Jo 1.17). De acordo com Efésios 1.9,10, para o Milênio convergem todas as alianças e períodos mencionados na Bíblia.

O SONHO PROFÉTICO DE NABUCODONOSOR

Nos dias do profeta Daniel, o Senhor deu um sonho a Nabucodonosor, pelo qual se resume a história dos impérios mundiais — que realmente existiram! —, a partir do babilônico, até chegar ao tempo do Milênio. Este, todavia, não será propriamente um império, e sim o Reino de Cristo. Um império prevalece pela imposição; mas, mesmo no período em apreço, Jesus não obrigará ninguém a recebê-lo como Senhor e Salvador. Tal sonho teria sido um devaneio, sem nenhuma importância no plano escatológico, caso o Deus do Céu não tivesse revelado a sua significação a seu servo Daniel (Dn 2.27-45).

O rei viu uma grande estátua. Ela tinha as seguintes características: cabeça de ouro fino; peito e braços de prata; ventre e coxas de cobre; pernas de ferro; pés de ferro e barro. E foi atingida nos pés por uma pedra cortada sem auxílio de mãos (vv. 31-34). Daniel disse ao imperador da Babilônia que ele era a cabeça de ouro; e que, depois dele, se levantaria outros dois reinos inferiores, representados pela prata e pelo cobre (vv. 36-39). Segundo a História, os dois impérios que vieram após o babilônico foram o medo-persa, fundado por Ciro, em 539 a.C., e o grego, estabelecido por Alexandre o Grande, em 330 a.C. Este, aliás, teria domínio sobre toda a Terra (v. 39).

Daniel explicou que as pernas de ferro da estátua também representavam um reino, que “será forte como o ferro; pois, como o ferro esmiúça e quebra tudo, como o ferro quebra todas as coisas, ele esmiuçará e quebrantará” (v. 40). Sabemos, pela História, que esse quarto império mundial foi o romano; este, com a sua truculência, dominou o mundo a partir de 67 a.C., numa amplitude sem precedentes. Quanto aos pés da estátua e seus artelhos em ferro e barro, Daniel explicou que se tratava de um reino dividido: firme como o ferro; e, ao mesmo tempo, frágil como o barro. O fato de esses dois elementos não se misturarem denota que o tal império (uma confederação de reinos), não se entenderia; seria um grande governo, porém dividido (vv. 41-43).

Ferro alude a um governo ditatorial, totalitário; simboliza blocos compactos; indica poder centralizado. Barro aponta para o governo do povo, democrático, republicano, formado de partículas soltas. Sabemos, também pela História, que, depois do Império Romano, surgiram alguns estados nacionalistas fortes, e outros, fracos, os quais, ao longo dos séculos vêm tentando uma grande e forte coalizão, mas sem sucesso. Haja vista a União Europeia, formada por países fortes, como Alemanha e França, e fracos, como Letônia e Lituânia.

Após ter sido atingida nos pés pela pedra cortada sem mãos, a estátua foi esmiuçada por completo. Ferro, barro, cobre, prata e ouro tornaram-se pó, e este foi levado pelo vento (vv. 34,35). A pedra, então, cresceu e se transformou em um grande monte e encheu toda a Terra (v. 35). Daniel disse a Nabucodonosor que, nos dias desses reis, Deus levantará um Reino que jamais será destruído, o qual esmiuçará e consumirá todos os outros reinos (vv. 44,45). À luz da Palavra profética, os pés da estátua, com os seus dez dedos, representam os reinos que formarão a base para a ascensão da Besta (cf. Ap 13.1; Dn 7.24,25). E exatamente os pés serão atingidos pela Pedra! O Milênio será, portanto, o último Reino mundial — literal, assim como os impérios mencionados —, que sobrepujará a todos os impérios que antes dele existiram, principalmente o do Anticristo.

Ciro Sanches Zibordi

11 comentários

Miquels7

Esse Pr Eloi Marques é muito desinformado. Para debater escatologia temos que conhecer a Bíblia de cor e salteado. O livro do profeta Zacarias é a prova de que haverá, sim, um reino vindo do céu aqui na terra durante mil anos. Neste estudo faltou o pr. Ciro citar as profecias de Isaías e Zacarias sobre o reino milenar. Uma pergunta aos amilenistas: Se a Igreja vai reinar com Cristo no Céu, sobre quem vão reinar? Seria por acaso os anjos os súditos desse reino? Quem serão essas nações?

Daniel Oliveira

Com o Anticristo, e o Falso Profeta no lago de fogo, e os representantes das nações opressoras de Israel no Inferno... estou certo pastor?

adilson padilha

A paz do Senhor Pr Ciro, tenho uma admiração pelo seu caráter de homem de Deus. Também pelo serviço prestado ao nosso mestre Jesus. Pode contar com as minhas orações. sou de SC e tenho quase todos seus livros.

marcio

Paz do Senhor! surgiu uma duvida em uma aula de Teologia a respeito do milênio, a minha pergunta é a seguinte:"haverá morte no milênio?

Ciro Sanches Zibordi

Caros irmãos Jeremias e Eloi, não tenho a mínima pretensão de convencê-los a crerem na Bíblia como eu creio, e nela está escrito claramente que Cristo reinará por mil anos (Ap 20), mas peço aos irmãos que, se desejarem, continuem lendo esta série. Na próxima parte talvez os irmãos obtenham alguma resposta que lhes seja útil. Abraços.

Jeremias Dorneles Ramos

E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória; E todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas; Mateus 25:31-33 Onde colocar o milenio literal a partir da sequencia dos eventos contidos neste trecho claro das palavras de Cristo? Aqui fica claro q é juizo final para as nações! Como o evangelho do reino sera pregado no suposto milenio????

Pr Eloi Marques

Se o milênio será na terra, onde estarão as pessoas que não aceitaram a Cristo ? estarão vivas depois de passar por tantos acontecimentos da ira ? Estarão mortas ? Mas então sobre quém a igreja reinará se estarão todas mortas ? Está claro que o milenio será no céu e reinaremos com Cristo. As pessoas estarão mortas na terra e satanáz estará preso por circunstancia pois não terá quem tentar a não ser quando na vinda para o juizo os impios ressuscitarem.Qual a dificuldade em entender.Esta escrito.

Ary Junior

Pastor Ciro, Paz do Senhor. Gostaria de parabenizar o Senhor pelos excelentes artigos que estão sendo publicados, considero eles um apoio importante em minha preparação como professor da EBD. O Senhor escreve de forma clara e objetiva. Parabéns e que Deus continue derramando ricas bençãos sobre sua vida.

Leonardo Figueredo

Obras maravilhas de Ciro Sanches pra mim o maior escritor do Brasil. parabéns estes artigos são muitos importantes para quem gosta de estudar.

Itamar Dias de Oliveira

sou responsável pela escola bíblica dominical em porto alegre bairro jardim Protasio Alves e tenho observado uma grande resistência por parte dos alunos em aceitar os comentários da revista . Eu não vejo nada de errado mas os alunos ....... O senhor já leu a revista da escola bíblica dominical desse trimestre ? tem alguma opinião a respeito ? desde já muito obrigado .

jenilton oliveira

A paz do senhor Pr. ciro!! Glória a Deus por que tem levantado homens como o senhor que tem pregado verdadeiramente a sua palavra. No milênio os cristãos que foram arrebatados ( já com corpos glorificados ) irão conviver normalmente com as pessoas que ficarem na terra?

Deixe seu comentário







Perfil

Ciro Sanches Zibordi é pastor, escritor, membro da Casa de Letras Emílio Conde e da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Autor do best-seller “Erros que os pregadores devem evitar” e das obras “Mais erros que os pregadores devem evitar”, “Erros que os adoradores devem evitar”, “Evangelhos que Paulo jamais pregaria”, “Adolescentes S/A” e “Perguntas intrigantes que os jovens costumam fazer”, todos títulos da CPAD. É ainda co-autor da obra “Teologia Sistemática Pentecostal”, também da CPAD.

COLUNISTAS