Colunistas

Ciro Sanches Zibordi

Ciro Sanches Zibordi

Os levitas (levitas?) e a pregação com fundo musical: dois modismos

Sex, 11/09/2015 por Ciro Sanches Zibordi

Na Bíblia Sagrada, o título “levitas” refere-se exclusivamente aos israelitas da tribo de Levi que trabalharam no Tabernáculo e, posteriormente, no Templo. Como esse título nada tem a ver com a Igreja do Senhor, procura-se quem começou a chamar os músicos cristãos de “levitas”! Com toda a sinceridade, não vejo com bons olhos essa veterotestamentarização, por assim dizer, do culto neotestamentário.

Sabe-se, à luz do Antigo Testamento, que os levitas não se ocupavam exclusivamente da música e do cântico. Eles zelavam, de modo geral, pelo lugar de culto ao Senhor, exercendo o sacerdócio, no caso dos filhos de Arão (Lv 21), fazendo a arrumação e a manutenção do Tabernáculo e, depois, do Templo, atuando como guardas, porteiros e padeiros, além de realizarem todos e quaisquer serviços gerais (Nm 1.50; 1 Cr 9.26; 15.22, etc.). Será que os “levitas” de hoje estão dispostos a fazer tudo o que aqueles levitas faziam?

Depois de ter lido o meu artigo Pregação com fundo musical: mais um modismo, neste blog, um “levita” comentou: “É muito diferente ministrar um estudo de uma pregação. A pregação é manipuladora, sim, pois conclama o ouvinte a um desafio de mudança de atitudes, e não vejo nada errado nesse tipo de manipulação. Quando estou tocando para alguém pregar, eu não faço fundo musical, ministro com as teclas. Ora, o profeta não recebeu a palavra profética até que alguém tangeu uma harpa. Enquanto a música soava, a palavra profética era liberada. Aprendam com a Bíblia e não com ideias humanas e achismos”. Bem — com todo o respeito —, receio que esse “levita” esteja um tanto equivocado. Afinal, com quem ele aprendeu que a pregação é manipuladora? Creio que ele esteja confundindo persuasão com manipulação!

O pregador ou o músico que manipulam pessoas não têm compromisso com a Palavra de Deus e com o Deus da Palavra e, por isso, se valem de “ferramentas” de animação de auditório, como chavões que massageiam o ego dos ouvintes, teatralização e música de fundo. Assista aos vídeos do showman Benny Hinn e veja como ele derruba as pessoas usando, inclusive, fundos musicais variados. Pura manipulação! Mas a persuasão está relacionada com a ação do Espírito Santo e o poder da exposição da Palavra de Deus, que não precisa de “muletas” como fundos musicais.

Aliás, a pregação eficaz abarca três elementos, representados por três palavras gregas: logos (o conteúdo verbal da mensagem, incluindo-se arte e lógica na sua exposição); pathos (o fervor, a paixão, o sentimento, a eloquência do pregador); e ethos (o caráter percebido do orador). Vemos essas três palavras em 1 Tessalonicenses 1.5: “porque o nosso evangelho não chegou até vós tão-somente em palavra [logos], mas, sobretudo, em poder, no Espírito Santo e em plena convicção [pathos], assim como sabeis ter sido o nosso procedimento [ethos] entre vós e por amor de vós” (1 Ts 1.5, ARA).

O mencionado “levita” também fez uma referência ao episódio narrado em 2 Reis 3, em que o profeta Eliseu mandou chamar um tangedor antes de transmitir aos exércitos de Judá e Israel uma mensagem profética. Em primeiro lugar, pergunto: O tangedor tocou seu instrumento antes ou durante a palavra profética? A Bíblia não diz que o tangedor continuou tangendo enquanto Eliseu profetizava. Mesmo que ele tivesse feito isso, essa passagem não apresentaria um argumento válido para os tempos neotestamentários, haja vista o ministério profético nos moldes do Antigo Testamento ter durado até João Batista (cf. Mt 11.13; Ef 4.11; 1 Co 12.28,29).

De acordo com o Novo Testamento, a música faz parte do culto a Deus, mas existe o momento certo para executá-la (1 Co 14.23). Uma música suave, em tom baixo, no momento do convite para o pecador pode até ser útil. Não obstante, é necessário tocar instrumentos na hora da pregação e no momento da oração? Quando o Senhor Jesus ou os apóstolos pregavam ou ensinavam a Palavra de Deus, contavam com fundo musical? Os pregadores dos primeiros séculos precisavam de fundo musical para pregar o Evangelho? Os famosos pregadores da História da Igreja recente, como Spurgeon, Moody, Wesley, etc., usavam esse recurso para comover ou manipular os ouvintes? Não! Portanto, isso, assim com o título de levita, é — definitivamente — mais um modismo!

Ciro Sanches Zibordi

57 comentários

Eliel Feitosa da Silva

A PAZ DO SENHOR EXCELENTE EXPLICAÇÃO Pr Eliel Feitosa Músico ,compositor e Educador

Felipe

Pastor Ciro Sanches, gostei muito do seu texto. Concordo que não é necessário o fundo musical para que a Palavra penetre nos corações. Mas muitas vezes vi o fundo musical, bem tocado, harmonizar muito bem com a Palavra e não atrapalhar os ouvintes, mas sim ajudá-los. O que o senhor pensa a respeito?

Oliveira de Souza

A paz do Senhor, Pr. Ciro, Concordo com tudo falado no artigo! Se existisse levitas na Igreja, seriam os diáconos. Eu particularmente me incomodo com o fundo musical. O pregador deve, acima de tudo, buscar a unção do Espírito Santo. Não estamos precisando de modismo ou de chavões. Estamos precisando é de pregações bíblicas e ungidas pelo Espírito Santo. Pregadores, preguemos a Palavra! A Palavra!

Pb. Laerte Sasse

Fui interrogado sobre este assunto nesta semana após o culto e andei pensando sobre o assunto. Eu não fico incomodado com fundo musical, mas ouvi algumas reclamações sobre esse recurso. Então analisei, o fundo musical incomoda alguns ouvintes, mas a pregação ungida traz edificação a todos. Para mim é simples, fiquemos com a Palavra e o fundo musical deixemos para outros momentos em que todos possam de comum acordo desfrutar desse recirso. Deixo meu abraço ao Pr. Ciro.

Jr Melo

Grande texto..PArabens servo de Deus .A Verdade acima de tudo Fortaleza - Ceará

Ciro Sanches Zibordi

Irmão Luciano, a paz do Senhor. Se o irmão está começando, lhe dou um conselho: siga aos bons exemplos, principalmente os da Bíblia. A Verdade é melhor que o pragmatismo. A porta e o caminho são estreitos. Deus deseja que o irmão pregue o que o povo PRECISA ouvir, e não o que o povo DESEJA ouvir. Conteúdo é prioritário, mas a forma também tem a sua importância. Pense nisto. Abraços.

luciano

pr ciro comecei a ler suas colunas a poucos dias,confesso que gostei mais sobre esse assunto quero discordar do pr porque existe tantas coisas na biblia que o nosso mestre Jesus fez e a gente não faz eu por exemplo estou começando no ministerio da pregação da palavra pela graça e uso esse método vale lembrar que eu concordo não porque uso esse método. atenciosamente aux. trabalho luciano.

Silvia

Não faz muito tempo que descobri o trabalho do Pr Ciro, e gostei MUITO!! Pr não tem como o senhor convocar esses lideres do Brasil inteiro (de todas as congregações do Belem) e "ensiná-los" porque infelizmente tudo que tenho lido que o senhor descreve como "inadequado" ou, o que não deveria acontecer, é o que vemos!! E pior, muitas vezes dos pastores presidentes de campo ou dirigentes de igrejas grandes (importantes) da cidade, ta dificil!!! Já "condicionei" meu "emociona/psiólógico/sentimental" a prestar um culto racional a Deus e a olhar somente pra JESUS porque se vc olhar para alguns líderes, "desvia" !! Tá dificil de continuar no Belem, como o senhor consegue sabendo e vendo isso quase que diariamente? Que Deus multiplique o seu ministério!! fique na paz de Cristo!

Silvia

Não faz muito tempo que descobri o trabalho do Pr Ciro, e gostei MUITO!! Pr não tem como o senhor convocar esses lideres do Brasil inteiro (de todas as congregações do Belem) e "ensiná-los" porque infelizmente tudo que tenho lido que o senhor descreve como "inadequado" ou, o que não deveria acontecer, é o que vemos!! E pior, muitas vezes dos pastores presidentes de campo ou dirigentes de igrejas grandes (importantes) da cidade, ta dificil!!! Já "condicionei" meu "emociona/psiólógico/sentimental" a prestar um culto racional a Deus e a olhar somente pra JESUS porque se vc olhar para alguns líderes, "desvia" !! Tá dificil de continuar no Belem, como o senhor consegue sabendo e vendo isso quase que diariamente? Que Deus multiplique o seu ministério!! fique na paz de Cristo!

alex dias nascentes

Muito bom estudo.Concordo plenamente com o sr.O Espirito Santo não precisa de modismos pra operar na sua Igreja.A Palavra por si só fala aos corações.Deus te abençoe meu querido irmão.

Douglas Viana

Concordo prenamente com o PR. Ciro logo tem em alguns cultos,uns sonoplastas que não tem sensibilidade da altura do som para o microfone espero no senhor que muitos leiam este alerta do PR.Ciro para darem prioridade a palavra de Deus quando Cristo pregava sonoplasta não colocava música,más todos meditava na palavra de Deus,um abraço. Douglas Viana.

Ciro Sanches Zibordi

Irmão Laércio Soares, discordo plenamente da sua opinião, pois tenho convicção de que a doutrina da Trindade é bíblica. Mas o irmão inseriu seus comentários no lugar errado... O assunto aqui é outro. Risos. Mas que o Deus trino, formado pelas três benditas Pessoas do Deus Pai, do Deus Filho e do Deus Espírito Santo o abençoe cada vez mais!

Laércio Soares

complementando a critica textual, os dois únicos textos que fazem alusão a suposta trindade esta Mateus e João (cartas apostólicas) e é sabedor que são textos apócrifos não existentes nos originais gregos. Na Bíblia o pecado mais abominável é a idolatria em êxodo 20. [e claro em proibir adorar outro D-us além de D-us(Pai) o próprio Jesus disse a Satã somente a D-us a adorarás e somente a ele prestarás culto. Creio que dei meu ponto de vista e critica textual espero não ter sido mal entendido,

Laércio Soares

Não tem o objetivo de critica apenas critica textual: primeiro não existe em nenhum lugar na Bíblia que fale de unicismo ou trindade as duas são doutrinas católicas, o judaísmo e o cristianismo primitivo dos apóstolos criam no "SHEMA" D-us único e seu filho Jesus . Com relação a resposta em uma só "frase " a quem se referia se for o Espirito do Santo e Eterno D-us ele já estava aqui antes da fundação do mundo, e sempre esteve, com os profetas e com o próprio Jesus, a Bíblia fala de homens Sa

Newton Carpintero

Poucas palavras. Diretas palavras! Quem dera virassem moda pregar a verdade. Mas, está fora de moda pregadores interessados em falar a verdade. Vá em frente meu amigo atalaia. O Senhor seja contigo! O menor dos teus irmãos.

Letícia

Eu gostei do artigo. Confesso que em alguns cultos o fundo musical me irrita profundamente e me faz perder o foco da pregação, especialmente quando quem está no som aumenta o volume do fundo quando o pregador faz aquela 'pausa' entre as falas. Porém, já ouvi algumas pregações em que o fundo combinava com o ritmo do pregador e parecia ser uma coisa só (a fala e o fundo), sem apelar para emoção e claro, a pregação era totalmente bíblica. O fundo não pode atrair mais que a Palavra de Deus!

Rafael

paz do Senhor pr.Ciro. Deus abençoe sua vida e ministério,muito bom esse artigo.

Sérgio Luís

Pr.Ciro,a paz do Senhor. Tínhamos cantores, hoje,temos artistas; tínhamos hinos,louvores, hoje, temos músicas. Os “levitas" de hoje, reclamam da marca do microfone, dos instrumentos, do tempo dispensado à eles para “ministração". Alguns no afã de “declarar a palavra profética" citam textos “biblicos" inexistentes, confundem profetas, milagres, locais,personagens, etc.e todos dizem: AMÉM!

Wellington Francisco de Santana

maravilha de comentário Pastor,concordo com o senhor e ainda existi outros modismo dentro das igrejas como catúca teu irmão,ta certo que isso não tira santidade de nimguém mais acho que mais atrapalha do que ajuda.

Tiago Nazareth

Pastor Ciro belo comentário. Por gentileza responda lá meu email enviei tem uns 30 dias por favor, preciso de tua resposta.

Ciro Sanches Zibordi

Francisco Xavier Neto, nada está acima da Bíblia. O próprio Espírito Santo (com iniciais maiúsculas) trabalha em sintonia com ela. Estude 1 Coríntios 14. E lembre-se de que o trem pode correr livremente no trilho, e o fogo e a eletricidade são úteis, quando sob controle!

francisco xavier neto

IRMÃO XAVIER ( MINISTÉRIO FORTALEZA- CONGREGAÇÃO SÃO PEDRO ) Meus irmãos vamos deixar o espírito santo agir sobre a congregação , sendo a critério do que pede e vem ao coração do presidente da igreja,o espírito santo , o senhor está no controle , não resista. amém.

hosana

que bom que tem o sr e outros também que defendem o verdadeiro evangelho.FICO INCOMODADA COM ESSE TAL FUNDO MUSICAL. PARECE ILUSIVO E NÃO RACIONAL. SÓ TEM EFEITO ALI NAQUELA HORA DEPOIS PARECE QUE AS PESSOAS VÃO VAZIAS PRA SUAS CASAS. PORÉM A PALAVRA PREGADA SOB INSPIRAÇÃO DIVINA POR UMA PESSOA CONVERTIDA FICA MARCADA EM NOSSO CORAÇÃO . GRAÇAS A DEUS POR SUA VIDA PR.

Ciro Sanches Zibordi

Alice, grato por seu comentário. A irmã pode discordar de mim à vontade. Mas, às vezes, o que muitos chamam de "unção e poder" é pura manipulação e emocionalismo! Lembre-se de que a Palavra de Deus (a Palavra de Deus, mesmo) é mais penetrante que uma espada e atinge a divisão da alma e do espírito (Hb 4.12), isto é, ela transcende a esfera das emoções. Nunca os expoentes que se prezam precisaram de fundo musical, mas os "ungidos" da atualidade só pregam com fundo musical. Por quê?

Ciro Sanches Zibordi

Rogério Andrade, em meio ao "blá, blá, blá" há algumas passagens bíblicas. #FicaADica.

Antonio Anderson dos Santos.

Particularmente acredito estarmos diante de dois extremos muito perigosos, a saber: 1) De pensarmos que a palavra de Deus só terá o seu efeito desejado se utilizarmos do recurso do fundo musical como se este fosse um "complemento" necessario para poder convencer o pecador do seu pecado, sendo que é o Espírito Santo e a própria palavra de Deus que por si só conforme diz (HB 4:12) é suficiente para fazer a obra na vida dos seus ouvintes (Is 55:11).

Francisco Veloso

Ótimo comentário, pois estamos fartos de modismos, o pregador deve buscar graça e unção e conhecimento e não ficar com inovações, pois a palavra por si só é poderosa para salvar o pecador.

Rogério Andrade

Nunca li tanto blá blá blá. Não tem o que escrever e fica inventando assunto. Isso é tão importante quanto o sexo dos anjos.

Alice

Não aguento mais chavão e hoje pregações recheadas de chavões na tentativa de levar os ouvintes a um emocionalismo ridículo ou falsa espiritualidadde é como esse modismo de "levita" mas discordo. Pela ( 1a vez) do pastor Zibordi quando se refere ao fundo musical depende da INTENÇÃO e do preparo nas Escrituras do pregador. Não vejo como muleta quando o pregador está preparado na Palavra e unção,.ainda que tenha fundo musical ele sabe o lugar dele, mas aceito pensar sobre o caso.

Charles Washington

Paz! Precisamos pregar e ensinar a Verdade sem subterfúgios, sem invenções humanas querendo melhorar o que já é perfeito. Nada que façamos poderá ajudar o Senhor.

Djalma Souza

Ola pessoal. Olá Pastor Ciro. Particularmente não me respondeu importo se o pregador utilizar fundo musical. Não econtro na biblia condenações para a prática que nada tem a ver com pecado. Respeito no entanto sua posição não me opondo a quem utiliza desde que não o faça com pretensões maldosas e manipuladores. Por outro Lado, acredito que o evangelho é poder de Deus e se não levarmos uma vida de oração e comunhão, qualquer efeito não pode ser tido como ação de Deus. Paz e graça seja sobre todos.

soares

Maravilha de artigo Pastor Ciro, que o Senhor continue te abençoando.

claudio

Quando conheci o evangelho em 1990 prioridade era a mensagem a pregação e máxima reverência na palavra esse fundo musical veio com um grande congresso de gritsdores

claudio

Pense numa coisa chata fundo musical sem falar no músico que era para esta aprendendo a para fuça lá bi ribibao tonto kkk

Letícia Cavalcanti

No momento da oração é muito chato. Eu já vi isso acontecer, e tão alto que dava agonia no ouvido e não dava para ouvir direito palavras do pregador na oração.

FILIPE SOUZA DOS SANTOS

Só tenho a retificar as palavras do Pastor Ciro.!

José Evaldo Tabosa Barbosa

As vezes olho para os meus conceitos e penso que estou descontextualizado e precisando de fazer uma reciclagem. Mas ao ler uma postagem como esta, percebo que ainda existe pessoas que como eu, não se curvaram ao modismo atual dos pregadores modernos,

fábio

pastor ciro muito bom artigo eu sempre me perguntava por que quem canta é chamado levita isso me parecia que eram uma classe de adoradores especial as vezes eu perguntava um irmão é o que mesmo levita do senhor ai dizia sera que esse irmão nunca leu bíblia para falar isso ai li um artigo tb muito bom sobre levita do reverendo augustus nicodemus vcs estão de parabéns de expor esse erro

selma Jeronimo

A paz Concordo com o vosso artigo Pr, haja visto que muitos dos referidos"levitas", fazem e desfazem na Casa do Senhor e quase sempre não aceitam correção... acham-se importantes demais para serem exortados.

Samuel Pereira Mendes

com Isso não quero dizer que aceito o uso da Palavra com a conotação que é dada hoje. assim como não concordo e acho mais perigoso a aceitação do uso de nome de pastora para a mulher de Pastor, mesmo que seja apenas uma loa sobre ela.

Samuel Pereira Mendes

Paz do Senhor Pr Ciro é louvável o artigo em defesa daquilo que é Sagrado, pondero que sobre a questão Levita tratado nos primeiros Parágrafos )pois os demais foi uma reposta sobre fundo musical na pregação) baseado nos textos específicos no livro de Cronicas vemos dividido os levitas em alguns serviços no Santuário tais como : Porteiros, assistentes dos Sacerdotes, músicos e Cantores; a esses dois últimos serviços temos nomes importantes tais como Asafe Jedutum e Hemã.

Elane

Excelente artigo! Louvo ao Senhor por sua vida pastor Ciro, e oro para que Deus continue usando-o para o engrandecimento do Evangelho de Cristo! Continue tocando a Trombeta!

Pr.Reginaldo

Concordo com senhor Pr. Ciro o Q faz toda a diferença é a palavra de Deus,não precisamos de mais modismo,pois o evangelho de Cristo é o poder de Deus para salvação de todo aquele Q crê.amem

juniir

cont... de pedir uma cançao ...de fundo ...talvez se todos pensarem desta forma q eh modismo ..e colocarmos nas cabeças das pessoa isto ...muito iriam reter ,as vezes nem ouvir um pregador quando tiver o tal(fundo)..isso nao atrapalha numa ação do Espirito santo? e me perdoe o portugues rsrs

juniir

pastor ...no caso do levita nao tem argumentos...esta muito claro ..e é um fato ..nao discordo ,tbm nao discordo sobre o modo q o pr colocou sobre o fundo musical..como modismo ..uma vez que muitas igreja e pregadores estao usando mais para emocionar ..as pessoas ...mas nao sou contra mediante um caso separado ,tendo em minha mente q o espirito santo trabalha em cada ser humano diferente um do outro ...eu (acho) q nao posso reter um modo muitas das vezes do espirito q me usa em uma pregaçao cont

Geovane Leite

Prezado Pr. Ciro, parabéns pelo artigo, achei muito interessante a aplicação ao texto bíblico do conceito de oratória apresentado por Aristóteles. Em relação ao assunto em apreço, hoje no contexto pós-moderno, vivenciamos a pior fase da igreja na terra, onde temos muitos profissionais da fé, que fazem uso de técnicas psicológicas para levar os ouvintes a clímax emocional, e até a histeria, sobram pregadores "showmens" , "e procuram-se pregadores como Paulo" (Zibodi, 2015). A Paz do Senhor!

Ciro Sanches Zibordi

Eder, considere o que o irmão falou à luz de 1 Coríntios 2.1-5 e 1 Tessalonicenses 1.5. Na pregação, quanto menos o pregador e qualquer outro (o músico, nesse caso) aparecer, melhor. É a mensagem do Evangelho que deve se sobressair. O protagonismo é de Cristo, e não do "artista".

Ciro Sanches Zibordi

Alex, respeito sua opinião. Mas penso que o fundo musical atrapalha, a menos que o pregador (em geral, o animador de auditório) goste de usá-lo como um tipo de "muleta". O pregador que preza a exposição da Palavra não gosta, em geral, do fundo musical porque a música, ainda que seja calma, obriga o orador a usar um tipo de entonação diferente do seu, além de sugestionar os ouvintes. Como já disse, respeito sua opinião, mas para mim o fundo musical, nesse caso, é uma "muleta".

Arnaldo Camilo

Obrigado Pastor Ciro Eu nunca aprovei tal titulo de levita

eder

logos (o conteúdo verbal da mensagem, incluindo-se arte e lógica na sua exposição); A arte está ligada à estética, porque é considerada uma faculdade ou ato pelo qual, trabalhando uma matéria, a imagem ou o som, o homem cria beleza ao se esforçar por dar expressão ao mundo material ou imaterial que o inspira.

Alex

Não veja nenhum mal em um fundo musical na hora da ministração ( Com exceção de fundos de musicas mundanas e diabólicas.), contanto que não atrapalhe quem ouve e que fala.

Robson Vieira

Paz do Senhor pastor Ciro! Recentemente vi um ministro da palavra de Deus pregando a palavra. E Deus começou a operar maravilhosamente, e colocam o fundo musical instrumental, de imediato o pregador pediu educadamente, que tirasse o fundo musical. E disse que ele não precisava para Deus operar na igreja, e disse mais que não tinha tal costume com fundo musical. Resumindo o culto foi uma bênção.

Edinei Siqueira

Os pregadores que ao final do sermão pedem pra alguém cantar com o intuito de criar um ambiente espiritual, deixam transparecer que não creem na própria mensagem que acabaram de pregar.

Ciro Sanches Zibordi

Mais uma coisa, irmão Juniir: eu afirmei (e afirmo) à luz da Bíblia no texto que o título de "levita" e o fundo musical na pregação são modismos. E uso esse termo sempre no sentido negativo, assim como outros defensores do Evangelho, como o pastor Esequias Soares, em seu livro "Heresias e Modismos" (CPAD, 2007). Peço-lhe que leia novamente o artigo acima com calma, bem devagar, meditando e conferindo as referências bíblicas. A paz do Senhor!

Edinei Siqueira

Parabéns Pr. Ciro, por mais este artigo esclarecedor. Só não irá concordar quem não está disposto a abrir mão dos modismos e se render ao que as Escrituras dizem. E aí, "levitas', mostrem um texto neotestamentário que corrobore a continuidade do ministério levítico nos dias atuais.

Ciro Sanches Zibordi

Juniir, procure ser mais claro, no próximo comentário, por favor. Em Hebreus 12.1,2 se mencionam embaraços e o pecado. Note que os embaraços aparecem antes do pecado, que tão de perto nos rodeia! Vejo que os modismos são embaraços para a pregação do Evangelho. Se não tivermos cuidado com eles, poderão nos conduzir ao pecado, ao afastamento da Palavra de Deus. Precisamos ter mais cuidado com o mal misturado com o bem (o falso bem) do que com o mal declarado.

juniir

entao com isso entendo q as pessoas( pregadoress)ow segmento religioso q usa o fundo musical,,,..estao totalmente fora da direçao do Espirito Santo? Deus nao usa quando tem u. fundo musical? e qual a diferença de quando o pregador esta prrgando. nao tem fundo mmas quando esta quase no fim ..pede para igreja ow mocidade ow algum cantor...louvar a Deus..e prega td de novo resumidamente ...pro fogo cair? coisa q eh mas q normal no belem em qualquer igreja....em minha igreja tbm nao usamos o fundo.

Deixe seu comentário







Perfil

Ciro Sanches Zibordi é pastor, escritor, membro da Casa de Letras Emílio Conde e da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Autor do best-seller “Erros que os pregadores devem evitar” e das obras “Mais erros que os pregadores devem evitar”, “Erros que os adoradores devem evitar”, “Evangelhos que Paulo jamais pregaria”, “Adolescentes S/A” e “Perguntas intrigantes que os jovens costumam fazer”, todos títulos da CPAD. É ainda co-autor da obra “Teologia Sistemática Pentecostal”, também da CPAD.

COLUNISTAS