Colunistas

Ciro Sanches Zibordi

Ciro Sanches Zibordi

Pregação com fundo musical: mais um modismo

Qui, 10/09/2015 por Ciro Sanches Zibordi

Por graça de Deus, prego o Evangelho desde 1988. Por favor, não me pergunte qual é a minha idade! Conheci, por causa do ministério que o Senhor me outorgou, famosos expoentes da Palavra de Deus. E, com o passar do tempo, venho notando que muitos deles passaram a valorizar mais a forma do que o conteúdo. Optaram por priorizar o malabarismo, a animação de auditório e outras práticas mecanicistas, inclusive a adoção de fundos musicais (!), visando a uma suposta “colheita imediata”, muitas vezes, financeira, e não ao “plantio da boa semente”: a Palavra de Deus.

Conquanto este seja um “duro discurso”, não posso deixar de dizê-lo. Além das falações intermináveis dos levitas (levitas?) — que muitos chamam de ministrações — durante o momento de louvor (louvor?), os aludidos fundos musicais durante a explanação da Palavra — a qual se torna cada vez mais sucinta, para não cansar os ouvintes — e outras inovações têm sido um prenúncio de que, em breve, caso os líderes não se despertem, a exposição simples das Escrituras não será mais bem-vinda no culto a Deus.

A bem da verdade, a culpa maior não é dos “levitas”, pois muitos pregadores fazem questão do fundo musical. Alguns, prevendo a possibilidade não haver músicos hábeis para produzir fundos musicais que “toquem a alma”, eles mesmos já têm à mão um CD com melodias que “preparam o coração dos ouvintes”. Não teriam eles aprendido isso com o showman Benny Hinn, que usa o fundo musical para sugestionar pessoas, a fim de derrubá-las? Será mesmo que a exposição da poderosa Palavra de Deus precisa desse tipo de “muleta”? Digo isso, não porque seja inimigo da música. Pelo contrário, a música é uma bênção, mas ao ser executada no momento certo! Segundo a Palavra de Deus, no culto feito com ordem e decência, há o momento apropriado para todas as coisas (1 Co 14.26-40).

Graças a Deus, ainda há ensinadores e pregadores que não aderiram ao modismo em apreço e continuam priorizando a exposição das Escrituras com autoridade e simplicidade. E sabe o que mais os irrita, além dos famigerados fundos musicais não solicitados? Músicos ou “levitas” tocando guitarra — mesmo desligada — durante a explanação das Escrituras! Isso, aliás, além de falta de reverência, é uma deselegância sem tamanho, não é mesmo?

Aliás, nesses tempos pós-modernos, alguns “levitas” não conseguem deixar de tocar seus instrumentos nem no momento da exposição da Palavra! Abrem o culto tocando, tocam enquanto cantores e grupos louvam e, na hora da pregação, em vez de prestarem atenção à exposição da Palavra, preferem “ajudar” o pregador fazendo um fundo musical ou desligam suas guitarras ou contrabaixos, mas continuam batendo nas cordas, alheios à pregação. Eles pensam que aquele barulhinho irritante não atrapalha o pregador! Risos. E, caso tivessem de largar seus instrumentos, na hora da pregação, talvez preferissem se retirar do recinto. “Aviva, ó Senhor, a tua obra” (Hc 3.2).

Ciro Sanches Zibordi

87 comentários

Diego

Eu sou um ouvinte da palavra de Deus e realmente atrapalha Muito música na hora da pregação eu não consigo prestar atenção na palavra Com música de Fundo.

Elton Martins

Muito bom o texto. Uma mensagem para refletirmos.

Pr Joanes Rangel

Parabéns Pastor A verdade incomoda os que vivem fora dela A palavra é que a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus Isto basta Pr. Joanes Rangel Brasília - DF prrangeldf@gmail.com

Marci

Sou música e se eu quiser fazer um bêbado chorar não dura nem dez minutos. A música em qualquer situação manipula os sentimentos da alma. Por isso não se deve fazer dela uma regra geral, ela tem que ser usada no momento certo e com um único propósito de adorar a Deus e não de convencer. Há tempo para todo o propósito e se chegou o momento de ouvir a palavra não se deve misturar com o louvor. O custo segue uma ordem para ter seu progresso.

Carlos Roberto

Eu gosto de pregar com fundo musical, pois a música toca o coração do criador enquanto isso Deus vai falando no profundo do coração... Deus usa cada um do jeito que quer.

Benediro

A paz do senhor!nao cabe alguem ficar julgando os pregadores poque eles prega ou deixa de pregsr c fundos musicais nao podem dizer que eles estao errado , por que julgas os servos alheio, aquele que julga alguempor o fato dele pregar com fundo essa pessoa sera julgado tambem se alguem nao gosta am tem outros que gostam e se edifica entao nao julges p que nao seja julgado, dependendo do fundo musical ele pode valer bastamte nao que seja mais inportante que a palavra.2reis enquanto o arpista toca

luciene albuquerque

Excelente artigo, concordo plenamente com o Pastor. A palavra de Deus é suficiente, única e dispensa qualquer artificio para nos manter ligados a Deus. Qual era mesmo o fundo musical usado por Jesus nos momentos em que orava no Getsemani???

Inaldo Queiroz dos Santos

A paz do Senhor irmãos, concordo com a colocação do pastor e particularmente acho que incomoda

Alcir Alves de Moraes

A música é muito importante na adoração a DEUS.Mas a bíblia díz que a palavra de DEUS liberta, cura e salva. O poder da palavra é insubstituível, a palavra de DEUS não precisa de ajuda para converter o pecador. Não estou aqui dizendo que o louvor não é importante , pelo contrário é sim mas no decorrer do culto . A bíblia diz que a tempo para tudo na terra, no culto a música tem a sua importância na sua hora e a palavra na hora da pregação.

Abeneir Amorim

pastor Ciro Sanches Zibordi concordo com o teu texto ,foi muito bem colocado. gostei....

Abeneir Amorim

pastor Ciro Sanches Zibordi concordo com o teu texto ,foi muito bem colocado. gostei....

Alexandre Alves

Parabéns pastor Uma vez um pastor da Assembleia me pediu pra fazer um fundo musical porque ele ia pedir fundos pra um trabalho na igreja, eu falei que tudo bem (ironicamente) Quando ele começou a pegar, eu toquei aquela música exclusivamente pra ele. "Pra ser sincero não espero que você me perdoe Por ter perdido a calma Por ter vendido a alma ao diabo" Que pra mim foi o que ele fez.

Alexandre Alves

Parabéns pastor Uma vez um pastor da Assembleia me pediu pra fazer um fundo musical porque ele ia pedir fundos pra um trabalho na igreja, eu falei que tudo bem (ironicamente) Quando ele começou a pegar, eu toquei aquela música exclusivamente pra ele. "Pra ser sincero não espero que você me perdoe Por ter perdido a calma Por ter vendido a alma ao diabo" Que pra mim foi o que ele fez.

Alexandre Alves

Parabéns pastor Uma vez um pastor da Assembleia me pediu pra fazer um fundo musical porque ele ia pedir fundos pra um trabalho na igreja, eu falei que tudo bem (ironicamente) Quando ele começou a pegar, eu toquei aquela música exclusivamente pra ele. "Pra ser sincero não espero que você me perdoe Por ter perdido a calma Por ter vendido a alma ao diabo" Que pra mim foi o que ele fez.

Dalecyo

A paz pra todos,a musica esta dentro de cada um de nos,se vc usa pro lado do mal esta errado,mas na pregacao para as pessoas absorveren mas a mensagem tudo bem né! Se vc usa pra se esaltar ou outra coisa assim,problema é seu,sabe porque DEUS SONDA OS CORAÇOES.

jose

com o fundo musical, o ouvinte é inclinado a ouvir duas coisas ao mesmo tempo; a pregação e o fundo musical. portanto, o fundo musical torna-se desnecessario para complementar uma pregação. acho que o necessario para complementar uma pregação seria a vida do pregador em consagração e comunhão com DEUS. O OUVINTE AO OUVIR UMA PREGAÇÃO COM O FUNDO MUSICAL CORRE-SE O RISCO DE DERREPENTE PERDER A ATENÇÃO DA PREGAÇÃO PARA O FUNDO MUSICAL, PRINCIPALMENTE SE O FUNDO FOR MELHOR QUE A PREGAÇÃO.

Lúcia

Não podemos classificar todo o islamismo como terrorista. O cristianismo ao longo da História também já matou muito. Que nos diga a Idade Média.

Ciro Sanches Zibordi

Marcos Luiz, discordo do irmão. Se milhares de pessoas estão se convertendo em pregações com fundo musical, isso significa que o fundo musical está sendo uma muleta; significa que os pregadores estão dando aos pecadores o que eles desejam, e não o que eles realmente precisam. Devemos pregar a Verdade. Quem salva e converte o pecador de fato é o Senhor Jesus e seu Evangelho, e não falsos evangelhos agradáveis aos ouvidos. Medite em 2 Timóteo 4.1-5.

Marcos Luiz

Que dizer-mos também do final da década de setenta e início da de oitenta onde as igrejas, incluindo as Assembléias de Deus, combatinham ferrenhamente a televisão no lar cristão e hoje, praticamente todos os que a combatinham tem pelo menos uma tv em casa. Será que foi a tv que melhorou ou foram os cristãos que se "modernizaram"? Ah, o conteúdo da tv piorou 500%!! Mais fácil agora cristão perseguir cristão. Dá mais ibope. Corrigir erros, ok, mas será que pregar com fundo musical é um erro???

Marcos Luiz

Sinceramente, acho que esse comentário mais espalha que ajunta. Quantos irmãos após o lerem passarão a menosprezar os pregadores que assim preferem fazer e não darão ouvidos à palavra pregada? Muitos certamente. Acho que esqueceram que Deus esquadrinha o coração de cada um, tanto do pregador quanto do ouvinte. Que mal há em pregar com fundo musical?? Quem prefere sem, tudo bem também, afinal, o Deus pregado é o mesmo, ou não? Milhares de pessoas tem aceitado a Cristo através destas pregações!

Abelardo Silveira de Almeida

analisando o conteúdo da sua mensagem, é verdade que existe muitos que por não ter uma vida de oração e plena comunhão com Deus preferem usar de inovações para ser visto pela sociedade e por aqueles que gostam comida fermentadas. acho que louvor é louvor. e a mensagem deve ser acompanhada apenas com o poder de Deus e a unção do Espírito Santo. Jesus não usava fundo musical em suas mensagens. e multidões eram alcançada pelo poder de Deus. àqueles que o criticam precisam ler a bíblia.

Fabio Luiz Correa

Concordo, parece um culto artificial em que precisamos de recursos externos para adora ao Senhor, quando se tira o fundo musical a pregação parece mais autêntica e espontânea.

Ciro Sanches Zibordi

Caro pastor José Milton de Oliveira, agradeço-lhe por seu comentário com alto teor crítico, o qual serve para o irmão também. Aconselho-o, pois, a lê-lo olhando para o espelho. A paz do Senhor.

Pr. José Milton de Oliveira

Li algumas afirmações do Pr. Ciro, tenho observado esse tipo de literatura com teor crítico desde que iniciei no ministério nos anos 80. Professores e teólogos e outros sempre fazendo suas afirmações como se fossem absolutas, que na verdade não são. Tais afirmações tem promovido não poucas divisões no corpo de Cristo, e na verdade penso que o pastor deveria se mais cauteloso com o bisturi. O menino e levado pelo vento de doutrina, mas o adulto olha tudo e retém que é bom. 2 Cor. 2:1-3

Ciro Sanches Zibordi

Felipe, grato por seu comentário. Mas aproveite que gosta de fundo musical e, ao som de uma boa música, leia com atenção Mateus 7.1,2. Talvez o irmão aprenda sobre o perigo de se fazer julgamento "ad hominem"... Estarei em oração, como religioso que sou, para que o Espírito Santo o ajude.

Felipe

Pastor Religioso. Apegado a doutrina ... Até os oradores seculares utilizam sons de fundo em suas palestras, pois a música prepara a alma. Não tira a atenção. A biblia diz também o profeta profetizada en quanto a harpa era tocada ... Enfim, ministrações é uma poderosa arma no louvor. Tão cheio de teologia e tão vazio de conhecimento espiritual. Te indico ir a um congresso de adoração, intercessão e louvor na Lagoinha com o Diante do Trono... e voltará certamente com outra visão sobre tudo.

Zenilde Fernandes

Parabéns Pr. Ciro , concordo plenamente com seu comentário , há tempo para todas as coisas , hr. de Pregação é Pregação , hr. de Louvor é Louvor , e ai por diante , eu acho que atrapalha sim , um Pastor , ou que seja Obreiro pregando , e alguem tocando acho que não tem logica , muitas Igrejas hj. não tem mais temor de Deus , a casa do Senhor não tem mais reverencia , e o que tiver de errado , fala mesmo meu Irmão , fala e não te cala , e Deus se agrada da ordem na Igreja , Que Deus o Abençoe !!!

jefferson

"Atenção! procura-se pregadores que glorificam a Cristo"....essa frase não irá demorar para ser colocada na porta das igrejas.Três coisas todo pregador precisa:vida moral elevada,conhecimento e graça de Deus, quanto aos modismos produzem uma falsa imagem de espiritualidade.

Iracema Cardoso

A paz queridos! Cada cabeça uma sentença , mas não vejo um fundo musical , tirando a atenção da palavra , de maneira nenhuma!!! A nossa alma foi projetada para adorar , e quando vc ouve um louvor , vc se sente bem, principalmente com a palavra. Gente me perdoe, mas nunca , digo nunca, um fundo musical me roubou a atenção na hora da palavra. Muito pelo contrário , é como se a música preparasse sua alma , para ser enxertada a palavra , com muito mais efeito, pois a concentração fica melhor.

Lage

Parabéns Pastor Ciro Sanches Zibordi, pela matéria e quero acrescentar o quanto as igrejas tem desrespeitados os membros e os vizinhos usando os sons acima de 100 db enquanto que a lei permite 60 db após as 19.00 hs. Enquanto nas empresas acima de 85 db tem que usar obturador nos ouvidos. Gostaria que o amado pastor elaborasse uma matéria sobre o assunto. A paz do Senhor Jesus.

Sérgio Luís

Pr.Ciro, a paz do Senhor. Lendo seu texto ( abençoado texto),me lembrei de um comercial antigo, que dizia “é amargo,mas,resolve".

Ualter Filgueira

Amados, Eu fiquei muito satisfeito com a artigo do Prof Ciro, e parabenizo-o pela educação e ética em suas respostas. Estamos vivendo dias difíceis nas "igrejas" falta de reverência generalizada, há uma introdução grosseiras de hábitos mundano dentro das igrejas CRISTÃS, presencio conflito com todas as gerações nas igrejas. Que nos permitem que ousemos a falar e disciplinar as gerações para serem adoradores verdadeiros, não frustrados. Inovação as vezes pode trazer "vazio para a alma".

Ualter Filgueira

Amados, Eu fiquei muito satisfeito com a artigo do Prof Ciro, e parabenizo-o pela educação e ética em suas respostas. Estamos vivendo dias difíceis nas "igrejas" falta de reverência generalizada, há uma introdução grosseiras de hábitos mundano dentro das igrejas CRISTÃS, presencio conflito com todas as gerações nas igrejas. Que nos permitem que ousemos a falar e disciplinar as gerações para serem adoradores verdadeiros, não frustrados. Inovação as vezes pode trazer "vazio para a alma".

Ciro Sanches Zibordi

Gilberto G. Amaral, tudo o que atrapalha a exposição da Palavra de Deus deve ser rechaçado.

Gilberto Garcia Amaral

Paz do Senhor a todos,concordo que á um exagero,mas tem outras coisas piores na hora da pregação exemplo;vamos falar também dos celulares nos cultos,e quando você olha para o (altar) da igreja;vemos pastores de andando de um lado para o outro,conversando na hora da palavra,pastores mandando mensagens pelo celular,usando Nextel,irmãos filmando cantores,pregadores,peças,danças.... Vamos abolir os celulares pelo amor de Deus Eu acho que o exemplo vem de cima,um abraço a todos

ALEXANDRE MACEDO MARQUES

Paz Do Senhor Pastor Ciro, Muito pertinente e abençoado seu comentário, e parece que o homem se esquece que quem faz a obra é o Espirito Santo mediante a palavra de Deus, e quer ajudar através de métodos humanos e muitas vezes usando da emoção para atrapalhar o agir do Senhor. Louvo a Deus por sua vida.

Samir Souza

Analiso a principal mensagem de Jesus e dos primeiros cristãos... O conceito de coletividade e unidade da igreja foi pro espaço... pastores se permitindo serem idolatrados, ou os conceitos vem que VOCÊ vai vencer, VOCÊ vai conquistar e VOCÊ, VOCÊ, VOCÊ... Filipenses 2 (interessante ler todo o capítulo) 3 Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmos. Infelizmente está faltando isso nas pregações.

SamirSouza

Pastor, permita-me complementar o texto, afirmando, como músico ou como "levita" no contexto de serviço e não no conceito de genealogia, que a Palavra NUNCA será alterada por qualquer uma que seja a interferência, até porque ela é a semente que produz a transformação na vida do ser humano. O que eu vejo infelizmente é q realmente as igrejas estão perdendo a sua simplicidade, , ao ponto de termos casas de puros espetáculos o que parte dos "sacerdotes" que preferem pregar fantasias à Palavra.

Claudio

Porque o senhor Pastor Ciro não vai pra igreja tradicional então?, não estamos mais em 1911, mas sim em 2015

Erycson Dilangue

Duro discurso, porém necessário e pertinente. Deus abençoe, pastor.

ev leonardo

classifico como baixa espiritualidade

ev leonardo

realmente hoje em dia se prega para agradar e ter retorno financeiro e uma vergonha no meio cristao chama esse povo pra orar pelo menos 1 hora de joelhos ,os famosos serao os 1° a correr da oraçao.

Charles

tem coisas que me fazem refletir , eu penso no seguinte se a palavra está sendo pregada genuinamente com fundo ou sem fundo musical é valido poxa , as vezes penso que ao invés de ajuntarmos queremos é nos separar e de alguma forma nos apresentar como melhores , sejamos um assim como Jesus é um com o Pai , Jesus nos falou para pregar o evangelho a forma é Dele , Ele é o Deus que trabalha em multiforme e Graça .Deus te abençoe.

Leandro

Concordo plenamente com essa postagem ! Inclusive, já aconteceu muitas vezes de me solicitarem esse tal "fundo musical" e toda vida eu ter que dizer "Não !", porque simplesmente prefiro ouvir/acompanhar a explanação da Palavra, apenas. É cada tolice que inventam ...

Moises Carvalho

Não vejo problemas nos fundos musicais em meio às pregações. O problema é que estão deixando de de valorizar a palavra e a unção que ela produz, para valorizar a pirotecnia que esses fundos proporcionam. Estamos carentes de crentes que suportam pregações bíblicas Cristocêntricas e que exaltem a Deus e não ao ser humano como a maioria nos dias atuais.

Ciro Sanches Zibordi

Osmar Santos, note as aspas. E leia, por gentileza, o próximo artigo, já publicado neste blog, intitulado: "Os levitas (levitas?) e a pregação com fundo musical: dois modismos". A paz do Senhor.

Osmar Santos

É correto chamá-los de levitas? O texto diz: A bem da verdade, a culpa maior não é dos “levitas”... + Aliás, nesses tempos pós-modernos, alguns “levitas”... Boa matéria!

Edinei Siqueira

"...eis que a palavra do Senhor é para eles coisa vergonhosa; não gostam dela" Jr. 6:10. Tudo conspira contra a palavra. O excesso de músicas, coreografias, teatro, cansaço físico e mental, cantina funcionando na hora da exposição da Palavra, crentes indo ao banheiro, outros conversando no pátio, e agora o apelo emocional (fundo musical). Já tem igrejas onde os músicos tocam bateria na hora da mensagem. Daí, me vem aa pergunta: 'Porque os crentes anda levam a Bíblia para o templo?"

Ciro Sanches Zibordi

Carlos, Carlos! Por favor, com quem o irmão aprendeu que a pregação é manipuladora? Não confunda persuasão com manipulação! O irmão cita o exemplo do tangedor... Mas diga-me uma coisa: O tangedor tocou antes ou durante a palavra profética?! Quer um conselho? Aprenda a Palavra de Deus com quem ama a Palavra de Deus e o Deus da Palavra, e não com manipuladores.

Carlos

É muito diferente ministrar um estudo de uma pregação. A pregação é manipuladora, sim, pois conclama o ouvinte a um desafio de mudança de atitudes e não vejo nada errado neste tipo de manipulação. Qdo estou tocando para alguém pregar, eu não faço fundo musical, ministro com as teclas. Ora o profeta não recebeu a palavra profética até que alguém tangeu uma harpa. Eqto a música soava a palavra profética era liberada. Aprendam com a Bíblia e não com idéias humanas e achismos.

Daniel

Graças a Deus Surgiu uma voz para desmascarar o inimigo, pois so pode ser arranjo dele, essa de música na ora da pregação E pior ainda, quando na hora da oração .... Misericórdia.

Davi dos Santos.

Texto e comentários aproveitáveis.

João Batista

Essa coisa de FUNDO MUSICAL é pura demagogia e muito mais que isso, é um retrocesso,é uma coisa tão irritante que eles não fazem nem idéia............o povo quer é ouvir a palavra de Deus mas o povo não pode se concentrar para memorizar a apalavra nas suas mentes, ouvir uma música é muito bom, mas tudo tem o seu tempo determinado.....deixo aqui o meu repúdio aos dirigentes e pregadores que aceitam a prática desse mal.

jesse feitosa

paz do senhor pastor Ciro concordo plenamente com o seu artigo, penso da mesma forma, um abraço!!!! '(...)fale quer ouça ou deixe de ouvir(...)EZ 2.5'

hosana

SEUS TEXTOS SÃO SEMPRE MUITOS ESCLARECEDORES. É VERDADE O QUE O SR DIZ. NAS IGREJAS AGORA SE TORNOU COMUM ESSSES TIPOS DE PREGADORES. E SINCERAMENTE, ACHO ATÉ PERDA DE TEMPO FICAR OS OUVINDO E PIOR AINDA É VER MUITOS ACHANDO QUE TUDO AQUILO É MOVER DE DEUS. TANTO BARULHO E POUCO PROVEITO.

Enilson Ribeiro

Deus seja louvado por tudo aquilo que Ele é, e por levantar homens como o pr. Ciro, homem com elevado zelo pela dotrina apostólica. Nunca concordei com fundos musicais no momento da pregação, me incomodam tanto quanto uma guitarra desligada sendo dedilhada no memento da mensagem. De fato, é uma moleta! Será que também não seria um amuleto para muitos pregadores que tentsm por meio desses aparatos levar seus ouvintes ao êxtase? Que o Senhor nos abençoe!

Ciro Sanches Zibordi

Heber Costa, respeito sua opinião. Mas vejo o fundo musical como "muleta", mesmo, pois o ideal é que o pregador "ande com as próprias pernas", pregando a Palavra de Deus com graça e conhecimento. Infelizmente, esse modismo "bennyhinniano" tem encantado a muitos jovens pregadores, influenciados por animadores de auditório. A música mexe com as emoções. Mas lembremo-nos de que a Palavra de Deus, que é viva e eficaz, é a única capaz de atingir o nosso espírito, transcendendo a esfera das emoções.

Ciro Sanches Zibordi

Rogério Giglioti, verdade absoluta só encontramos na Palavra de Deus. Por isso, também discordo do seu comentário (risos). A paz do Senhor.

JACÓ RODRIGUES SANTIAGO

Pertenço a Assembléia de Deus desde meu nascimento há 56 anos passados, e atualmente sirvo ao Senhor como presbítero no Templo Central da AD em Ipatinga (MG), igreja que tem como líder o Pastor Antônio Rosa da Silva. Nessa igreja, também exerço a função de músico pianista, onde há 35 anos acompanho o coral da igreja. Quando algum pregador me pede para durante a exposição da Palavra eu faça um fundo musical, atendo a sua solicitação, porém, não concordo com essa "ajuda ou suporte" na pregação.

Wanderson

Parabéns Pastor Ciro. Entendo que isso nos abriu os olhos. Também observo que os pastores aceitam esse modismo, não instruem os músicos, não orientam... E como resultado, isso é comum, na hora da palavra os músicos quando não estão dedilhando, eles saem de fininho e ficam do lado de fora jogando papo fora, contando sobre outros artistas, bandas etc... e menos prestar reverência na palavra de Deus. Eu sou musico e já fui assim. Mas não são todos que agem desta forma. e há exceções.

Orlando Gomes (Aju/SE)

Pastor, estamos de um jeito, q poucos são vencidos pelo evangelho. No atual cenário do Pentecostalismo brasileiro.Nós que mantemos a doutrina, somos tidos como frios e carnais, que são contra a Igreja, enquanto esses que imitam cada vez mais o Neo Pentecostalismo como as doutrinas de Hinn, afundam cada vez mais a IEAD. Para estes, nem msm o ensinamento do saudoso Antônio Gilberto tem valor referencial doutrinário da IEAD. Estão cegos! A sua experiência está acima da Palavra e mudarão a Igreja.

Orlando Gomes (Aju/SE)

Ótima publicação PR, Precisamos de mais remanescentes cm o Sr, que dê o devido valor a Palavra de Deus e que entenda que o momento da Palavra deva tocar e mudar a mente e nao o emocional. No ritmo que vamos, o ensino da Palavra através da EBD, cultos de doutrina e outros sendo depressiados, continuará a Supervalorizaçao dos cultos milagreiros e a distribuição de bênçãos materiais e auto ajuda, ganharão mais adeptos. Chegaremos ao ponto que só haverá neopentecostalismo.

Heber Costa

Acredito que exista uma grande diferença entre ferramenta e "muleta" (como foi citado no artigo). E o resultado pratico dessas diferentes interpretações podem nos fazer fechar os olhos para o real motivo de estarmos ali, que é "prestar culto". E um culto só, sem "hora dos hinos" ou "hora da palavra". Acredito ainda que pastores e diaconos caminhando pelos pulpitos e dando seus recadinhos atrapalham muito mais que uma palavra "musicalizada".

JULIO LIMA

Sou pastor e quando prego uso fundo musical (som de teclado com viiolinos), não vejo isso como "modismo", assim como não vejo o uso da gravata e paletó, principalmente nos cultos de igrejas tradicionais, como sendo aparato de modismo, mas de um costume. Que haja respeito, se não usam paleto ou gravata, ou, se não usam fundo musical para pregação, não condenem quem usa. Acho que ministérios se diferenciam, por algumas questões, mas no seu conteúdo, o da pregação da palavra para salvação de almas.

Klécio

Muito bem, excelente artigo,precisamos acabar com esse tipo de pregação, pois só exite emocionalismo e nada de libertação.

jonas moreira cesar de souza

BELA MATERIA É EXTREMAMENTE TRISTE VER AS ASSEMBELIA DE DEUS TOMANDO RUMOS ,QUE FOGE DOS PRINCÍPIOS BIBLICOS , E DE HISTORIA,TRAJETÓRIA.

Rejane Barros

👏👏👏👏 Concordo plenamente

paulo

A paz do Senhor a todos, concordo plenamente que o fundo musical ultilizado nas pregações demostra a falta de unção da parte do ministrante, pois quem realmente esta sendo usado por Deus n precisa de subtérfugios como esses que acredito ser um meio de emocionalismo ai com tal indiscrição muitos ao receberem o apelo para aceitar o Sr Jesus vão por causa da emoção e não por causa da unção que despedaça o jugo, eu penso que tal fundo é tentar fazer aquilo que cabe ao Espirito Santo...

osmario de souza santos

A PAZ PASTOR CIRO PARABENS PELO SEU RELATO, REALMENTE AMAMDO ESTA DIFICIL. HOJE AS IGREJAS ESCOLHEM PASTORES DESPREPARADOS, SEM NENHUM CONHECIMENTO DA PALAVRA ELES CONTAM MAIS HIOSTORIAS DO QUE, A PREGAÇÃO DA PALAVRA. A PALAVRA DE DEUS ELA É VIVA. E ELA QUE ALCANÇA OPECADOR. FUGI UM POUCO DO ASUNTO, MAS PARABÉNS PASTOR CIRO. A PAZ DO SENHOR JESUS CRISTO

DEbora

Temos que pedir sempre uma coisa: Hora vem Senhor Jesus!

Jon

Sou músico e concordo com tudo. Há ainda vida inteligente! Um abraço PR.

Jairo Andre

cada um fala o q pensa e devido a auto posição muitos aderem a idéia do pensador pq é formado em várias Faculdades e possui muitos títulos, sou musico, prego na igreja, ensino na igreja, com musico ou sem musico, mesmo pq temos que buscar inspiração no Espirito Santo e ler a Palavra e orar sempre, jejuar sempre, e a ordem sempre imperou dentro da Igreja às vezes dependendo de ajustes, o momento é de olharmos um pouco mais para as almas, investir um pouco mais na obra de Deus e sua expansão e dei

Edinei Siqueira

Excelente artigo Pr. Ciro. Grato pela sua coragem de tocar neste assunto. Eu mesmo já tive que pedir para alguns músicos não tocar, quando comecei a introduzir o meu sermão. Outras vezes pedi ao próprio pastor da igreja para falar com o músico. As vezes não há esse tipo de problemas, pois os "levitas" (existem levitas hoje?) vão para o pátio da igreja, pois a Palavra não faz parte do seu cardápio.

Rute Santana da Silva

Modismos como sempre vindo do exterior, onde a maioria estão mortos espiritualmente. Quem convence é o Espírito Santo se o pregador estiver cheio DEle!!

JOSIAS SOARES

ALGUMAS IGREJA TEM ESSA PRATICA , PARA MIM NÃO ACRESCENTA NADA ,A QUEM USA, MAS EU FICO COM QUE ME FAZ BEM . HOJE É MELHOR CUIDARMOS DE NÓS MESMO POIS PODEMOS AS VEZES NOS EMBARAÇAMOS COM TANTAS INOVAÇÕES , É A ÚLTIMA HORA ,HORA DE MUITAS INOVAÇÕES SURGIREM .

adenoc

eu ja fiz fundo musical pra o pr. marcos feliciano ah um tempo atraz, em pé e passe 3 dias com as costas doendo ( risos )... 2 hrs de mensagem misturadas com lenga lenga; mas fazer o que o povo ja estar acostumado com isso é a mesma coisa de alguns pastores que ficam folheando a biblia na hora da mensagem é uma falta de respeito e tem mas os obreiros passeia dentro da igreja mas do que o povvo que vão ao banheiro só por Deus mesmo kkkkkkkkkk

Rogério Giglioti

Como a Dalete Viana concordo em parte do texto, faço as palavras dela a minha e complemento, não podemos escrever um texto desse e colocar como verdade absoluta. Tem bastante pontos verdadeiros, mas tem pontos discutível, não podemos generalizar. Música usada com espírito de adoração direcionada por Deus e sempre benção, mesmo que durante a pregação. O que tem que analisar é a intenção do pregador e do músico etc. Abraço pastor muito válido seu texto.

Ciro Sanches Zibordi

Dalete Viana, a irmã disse: "Em várias escolas européias as quais algumas tive o prazer de participar, todas as aulas eram ministradas com música". Sinceramente, em todos os meus anos de academia jamais vi um professor sequer dar uma aula com fundo musical. Isso é, definitivamente, um modismo, que atrapalha o próprio expoente e os ouvintes, a menos que o expoente não queira dar ênfase ao conteúdo da mensagem, e sim manipular o auditório.

Gleison Elias Pereira

Prezado Pr. Ciro, Graça e Paz. Parabéns pelo artigo. Considero o uso indiscriminado de fundo musical por parte de muitos pregadores um tema bastante importante para ser tratado na igreja. Aliás, com sua permissão, como complementação de leitura para os internautas, segue um link onde tratei deste assunto em meu Blog no ano de 2011 em um artigo intitulado "Fundo Musical e Pregação: uma mistura nociva para uma espiritualidade sadia": http://migre.me/ruayk

Evandro Roque

Olá caro pastor Até que enfim alguém falou sobre o uso indiscriminado do fundo musical durante os cultos. Alguns por ignorância, outrospor inincompetência (negligência, mas, todos mal intencionados. Ninguém que pregue utilizando fundo musical tem o objetivo de priorizar a exposição da Escritura. Mas o objetivo dominante é deliberadamente (como o sr escreveu) "tocar a alma" do "público".

DAVI BARRANHA

"Levitas" fazem isso........... Musicos, não! Seu posicionamento é corretíssimo.... no culto há momento para tudo. Já precisei pedir silêncio em algumas igrejas que fui chamado para apresentar o Evangelho através de minhas canções. Entendo que tudo no culto é importante. A Mensagem discursada não é mais importante do que a musica ou outra manifestação. Tudo no culto deve edificar e evidenciar o Cristo. Quem não estiver dando atenção àquilo que está sendo exposto é apenas um mal educado. Abçs.

Hamilton Fontes Galvão

Prezados excelente a matéria Tenho 47 anos nascido em "berço" cristão e desde os 13 anos sou músico Não gosto que toquem no momento da palavra e ja participei porém ja faz tempo que não concordo com o tal momento do "louvor"

alexandre braga

Excelente texto.

Davi Faria de Caires

Perfeito, Pr Ciro. A palavra de Deus é poderosa em si mesma, e dispensa recursos pseudoauxiliares. Aliás, vale lembrar que a música de fundo mais famosa usada em pregações foi composta por ianni, músico hindu místico, que compõe músicas new age... lamentável

Fábio Cavalcante

Discordo de muitas coisas no artigo - não creio que uso de fundo musical (normalmente, um teclado) durante a mensagem, seja questão de modismo ou algo para sensibilizar quem ouve. Pelo contrário, acho que facilita mais a concentração do que o silêncio, que normalmente é interrompido, por assim dizer, pela respiração das pessoas, choro de criança, entre outras coisas. Claro, vai muito do pregador, pois há quem consiga prender a atenção do povo sem problema.

Pedro Gabriel

Tem uns que, inclusive, falam no microfone para o tecladista: "Deixa Deus te usar aí no teclado". Daí é aquele mesmo esquema: manda as pessoas fecharem os olhos; Falam com uma voz mais "mansa" e vai falando palavras triunfalistas etc. Isso chega a ludibriar tanto alguns crente que, se o pregador começar a falar coisas totalmente heréticas ou falar besteiras sem sentido, as pessoas não percebem pois estão prestando atenção prioritariamente ao fundo musical. O principal tem que ser a palavra !

Dalete Viana

Discordo um pouco amado pastor . Muitos cientistas dizem que estudar com música aumenta a capacidade de concentração e até mesmo o aprendizado. Com a palavra de Deus é a mesma coisa. Estamos aprendendo com música. Não para tocar, nem intimidar, mas sim com o objetivo de fixar. Não sou pastora, mas como boa aluna, sei o que me faz bem. Em várias escolas européias as quais algumas tive o prazer de participar, todas as aulas eram ministradas com música..

Deixe seu comentário







Perfil

Ciro Sanches Zibordi é pastor, escritor, membro da Casa de Letras Emílio Conde e da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Autor do best-seller “Erros que os pregadores devem evitar” e das obras “Mais erros que os pregadores devem evitar”, “Erros que os adoradores devem evitar”, “Evangelhos que Paulo jamais pregaria”, “Adolescentes S/A” e “Perguntas intrigantes que os jovens costumam fazer”, todos títulos da CPAD. É ainda co-autor da obra “Teologia Sistemática Pentecostal”, também da CPAD.

COLUNISTAS